Mostrando postagens com marcador pobreza. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador pobreza. Mostrar todas as postagens

segunda-feira, 16 de maio de 2022

Fracasso no combate à miséria, Flávio Dino quer evitar falar o tema na campanha


Dono da campanha do governador-tampão Carlos Brandão (PSB) e candidato a senador, o ex-governador Flávio Dino (PSB) que jogar para debaixo do tapete o debate sobre a miséria do Maranhão.

Fracassado no combate à pobreza, Dino tenta nacionalizar a campanha para evitar que o assunto fome seja tratado na campanha; para isso, conta com a ajuda do poderoso Grupo Mirante, a quem tem feito gestos desde que deixou.

Foi exatamente na Mirante que Flávio Dino desmentiu a si mesmo, negando, em 2018, que havia prometido, no palanque de posse, varrer a miséria do Maranhão.

Os índices sociais do estado, porém, são os priores da história, após quase oito anos de mandato do comuno-socialista.

Por isso, ele prefere evitar o assunto; e acha que se a Mirante não falar disto, o maranhense não saberá.

Ocorre que na era das redes sociais, a população tem informação para além das redes de TVs e rádio; a internet, por mais precária que seja, chega a todos os lugares.

E um fato Flávio Dino não pode negar: a miséria no maranhão piorou em seu governo.

Com informações do Blog do Marco D'eça

segunda-feira, 4 de abril de 2022

Flávio Dino atribui a pobreza no Maranhão à política econômica de Bolsonaro


Em entrevista à TV Mirante nesta segunda-feira, 4, Flávio Dino atribuiu a pobreza no Maranhão à política econômica nacional.

O agora ex-governador, que se elegeu em 2014 com a promessa de tirar o estado da miséria, culpou o governo Bolsonaro pelos baixos índices econômicos e sociais do Maranhão, retirando da gestão estadual qualquer responsabilidade no que diz respeito ao combate à pobreza.

“Quem faz política econômica no Brasil é o governo federal. O governo do estado tem poucos instrumentos. O Banco Central é federal, o BNDES é federal, os bancos de desenvolvimento de modo geral são todos federais. Quando a política econômica federal é ruim, como é atualmente, é claro que todos os estados sofrem”, disse Flávio Dino.   

segunda-feira, 6 de dezembro de 2021

Roberto Rocha diz que Maranhão ficou mais vermelho com Dino


O senador Roberto Rocha voltou a criticar, nas redes sociais, o governador Flávio Dino a quem responsabilizou pelo aumento da pobreza no Maranhão.

Utilizando os dados do IBGE, Roberto rocha lembrou que Maranhão e Piauí disputavam os maiores índices de pobreza no país.

E disparou: “Com Flávio Dino, o Maranhão ficou mais vermelho”.


“É de fato surpreendente a capacidade do governador Flávio Dino de fazer o que parecia impossível. Vocês lembram que o Maranhão e o Piauí disputavam os piores resultados do país? Pois é… taí o resultado da pesquisa do IBGE. Com Flávio Dino, o Maranhão ficou mais vermelho˜, escreveu nas redes sociais.

sábado, 9 de outubro de 2021

Flávio Dino aumenta gastos com aluguel de aeronaves em mais de R$ 2 milhões em apenas um ano


O governo do Maranhão abriu licitação, em julho deste ano, para aluguel de duas aeronaves, do tipo jato e turboélice, ao custo de R$ 9.750.000,00 (nove milhões, setecentos e cinquenta mil reais). O valor é mais de R$ 2 milhões acima do gasto feito ano passado também com a locação de dois aviões com as mesma especificações. A modalidade da licitação é o pregão presencial, do tipo menor preço.

O contrato é de responsabilidade da Secretaria de Estado de Governo (Segov), que tem a atribuição constitucional de atender as necessidades diretas do governador. De acordo com o edital, as aeronaves fretadas serão utilizadas para deslocamento de comitivas em missões oficiais, para atividades de caráter humanitário e até para o transporte de insumos e equipamentos relacionados à prevenção e ao combate à Covid-19.

Um dos aviões fretados pelo governo deverá ter, obrigatoriamente, as seguintes características: bimotor quadripé, com potência a partir de 300 HP, bancos de couro com sistema GPS acoplado ao piloto, capacidade para quatro passageiros e dois tripulantes, com autonomia de voo de no mínimo cinco horas e velocidade de 335 km/h. O custo de cada uma das 600 horas de voo a serem contratadas nessa aeronave é de R$ 10 mil, totalizando um gasto de R$ 6 milhões.

Já o aluguel da segunda aeronave terá custo menor, R$ 3,75 milhões (três milhões, setecentos e cinquenta mil reais), referente a 300 horas de voo contratadas, cada uma delas ao preço de R$ 12.500,00 (doze mil e quinhentos reais). As especificações do avião são as seguintes: asa fixa, bimotor, turboélice, quadripé, cabine pressurizada, capacidade para seis passageiros e dois tripulantes (piloto e copiloto), ar-condicionado de solo, velocidade de cruzeiro de 380 km/h, dentre outros atributos.

Levando-se em conta contrato semelhante firmado pelo governo ano passado, houve um acréscimo de preço de mais de 30%, muito acima da inflação acumulada no período.

A propósito, as 900 horas de voo contratadas – 600 da primeira aeronave e 300 da segunda -, permitirão ao governador Flávio Dino e seus subalternos viajar quase duas horas e meia por dia de avião por um período de 12 meses.




quarta-feira, 14 de julho de 2021

Roseana é "detonada" nas redes sociais por criticar a pobreza do Maranhão


A ex-governadora Roseana Sarney resolveu entrar em um assunto em que ela não tem muita propriedade para falar: a pobreza no Maranhão. Nas redes sociais, ela foi detonada por seguidores do estado e reagiu.

“Estudo publicado no Valor de hoje, com dados da PNAD 2019, levantados pelo IMDS, mostra que o MA é o estado com maior número de pobres no grupo de crianças e jovens até 17 anos – 69%. Ou seja: de cada 10 maranhenses nessa faixa etária, 7 são pobres”, tuitou Roseana.

As críticas a postagem da ex-governadora foram instantâneas, e quase unânimes de que a oligarquia Sarney, que perdurou quase 50 anos no poder do Maranhão, é a grande responsável por ainda o estado ser um dos últimos no ranking brasileiro quando o assunto é pobreza.

Diante da enxurrada de críticas que recebeu, Roseana resolveu reagir saindo pela tangente. “Criticar não é agredir, muito menos desqualificar. Olhares diferentes sobre a mesma paisagem revelam ângulos que às vezes não percebemos. Mais civilidade, mais respeito, mais prudência e mais empatia, assim como canja de galinha, não fazem mal a ninguém”, disse a tiktoker especialista em receitas de culinária.




Da próxima vez com certeza ela pensará muito antes de entrar nesse assunto.