Mostrando postagens com marcador Carlos Brandão. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Carlos Brandão. Mostrar todas as postagens

terça-feira, 2 de agosto de 2022

Indicação de Camarão e de 2ª suplente de Dino precisa de aval da Federação, diz PV

A direção estadual do Partido Verde (PV) realizou no sábado (30) sua convenção estadual e homologou as chapas para deputado estadual e federal.

No encontro, no entanto, ficou decidido que o poder de decisão sobre a chapa majoritária será delegado à Executiva Regional da legenda, até o prazo final das convenções eleitorais, 5 de agosto.

O encaminhamento, dizem os verdes, é resultado de pendências, como a indefinição da data da convenção e dos acordos finais da Federação Fé Brasil (PT/PV/PCdoB).

Uma dessas pendências diz respeito à segunda suplência do candidato a senador Flávio Dino (PSB). O PCdoB indicou o nome da vereadora Maria de Lourdes Pereira e Pereira, presidente da Câmara Municipal de Coroatá.

O nome dela já consta na ata da convenção do PSB, também realizada no sábado. Mas, de acordo com o PV, só poderá ser oficializado após apreciação em convenção da Federação, ainda sem data marcada.

Outra indicação que também depende do aval da Federação é o do candidato a vice-governador na chapa do governador Carlos Brandão (PSB), o ex-secretário de Educação Felipe Camarão, do PT.


segunda-feira, 1 de agosto de 2022

Partido Verde realiza convenção e decidirá sobre chapa maioritária até o próximo dia 5


O deputado estadual e presidente do PV no Maranhão, Adriano Sarney, emitiu um comunicado, nesta noite, confirmando que o partido realizou sua convenção no último sábado, dia 30, oportunidade na qual foram homologadas as chapas proporcionais para Assembleia Legislativa e Câmara Federal.

Os verdes estão federados com o PT e PC do B.

De acordo com a nota, os convencionais decidiram delegar a executiva regional o poder de decisão sobre a chapa majoritária – Governo e Senado.

“O Partido Verde fez a sua convenção no último sábado, dia 30. Os convencionais homologaram as chapas para deputado estadual e federal. Mas, decidiram delegar o poder de decisão sobre a chapa majoritária para a Executiva Regional da legenda até o prazo final das convenções eleitorais, dia 05 de agosto. O encaminhamento é resultado de pendências, como a ainda indefinição da data da convenção e dos acordos finais da Federação Fé Brasil, da qual o PV faz parte”, disse o comunicado.

Em contato com o editor do Blog, Adriano Sarney afirmou que os membros do partido ainda estão aguardando posicionamento dos representantes das outras siglas federadas e do próprio ex-governador Flávio Dino (PSB) sobre a indicação de um verde para ocupar a vaga de primeiro suplente na chapa senatorial que será encabeçada pelo comunasocialista.

“Na verdade, a suplência foi mais uma ideia da nacional quando analisou o cenário estadual e o peso do nosso partido local. O que queremos na estadual é que os acordos firmados entre os partidos sejam cumpridos. Estamos aguardando”, informou o parlamentar, que é candidato a reeleição.

A federação partidária, apesar de não possuir o PSB, é controlada no Estado por Dino, que já indicou como sua 1ª suplente a vice-prefeita de Pinheiro, Ana Paula Lobato, que deixou o PDT para ingressar no PC do B.

Ela é esposa do presidente da Assembleia Legislativa e candidato a reeleição, Othelino Neto (PC do B), coordenador da campanha de Dino.

Para 2ª suplência, Dino contemplou outro comunista, qual seja Egberto Magno.

No entanto, o Cidadania, da senadora Eliziane Gama, trabalha para indicar o Pastor Porto, ex vice-governador.

O petismo está contemplado na chapa majoritária para o Governo, com o ex-secretário de Estado da Educação, Felipe Camarão, como vice do atual governador Carlos Brandão (PSB).

Para o PV, nada foi oferecido até o momento.

Sobre o apoio da legenda para o Governo, é questão pacificada, pelo menos até então, o nome de Carlos Brandão.

Com informações do Blog Gláucio Ericeira

quarta-feira, 27 de julho de 2022

Palácio dos Leões tenta esvaziar Edivaldo em favor de Brandão


As duas pesquisas Econométrica pagas pelo Governo do Estado e feita publicar em setores da mídia controlados pelo Palácio dos Leões foram significativamente negativas para o ex-prefeito de São Luís, Edivaldo Júnior (PSD).

No primeiro levantamento, focado na capital maranhense, maior colégio eleitoral do estado, chegaram ao ponto de botar Edivaldo atrás de Brandão.

Só para lembrar: Edivaldo deixou o governo há menos de dois anos, com uma aprovação de mais de 70%; natural, portanto, que ele tenha um recall substantivo nestas eleições e lidere a disputa em São Luís – e não Brandão, que sequer é conhecido fora de Colinas.

A outra pesquisa Econométrica, divulgada nesta segunda-feira, 25, mostra Edivaldo Júnior com rejeição acima de 25%.

A estratégia do Palácio é esvaziar a candidatura de Edivaldo, fazê-lo desistir da disputa, declarando apoio a Brandão e Flávio Dino; assim – entende o governo – Brandão herdaria os votos do ex-prefeito e consolidaria sua posição na capital maranhense, fundamental para vencer as eleições.

O problema é que as pesquisas da própria Econométrica, quando destrinchadas cientificamente – e o palácio sabe disso – mostra que o eleitor de Edivaldo tem tendência natural de migar para o senador Weverton Rocha (PDT) ou para o ex-prefeito Lahésio Bonfim (PSC), não para Brandão.

Com informações do Blog Marco Aurélio D`eça

segunda-feira, 18 de julho de 2022

Acuado após imprensa relevar orçamento secreto de seu governo, Brandão ataca prefeitos


O governador Carlos Brandão (PSB) sentiu o golpe após a imprensa relevar que seu governo destinou via fundo a fundo mais de R$ 60 milhões para prefeituras aliadas e, coincidentemente, os prefeitos dos municípios que mais receberam recurso do orçamento secreto de Brandão foram justamente aqueles que declararam apoio à reeleição do chefe do executivo estadual.

Durante discurso na cidade de Barreirinhas o governador tentou dar eco a reportagem da revista Piauí que, seletivamente, tratou apenas de prefeituras cujos prefeitos são adversários do governador e receberam recursos de emendas federais do chamado “orçamento secreto”, as emendas do relator no Congresso. Prefeitos aliados do governador receberam muito mais dinheiro destas mesmas emendas, como Caxias e Santa Rita, mas, estranhamente, não entraram na reportagem.

O governador atacou os prefeitos com a história do orçamento e fez um discurso dúbio: “Nosso governo não tem orçamento secreto”, e emendou: “Isso nós vamos acabar”.

Mas se o governo Brandão tem orçamento secreto como é que ele vai acabar com o que não existe? Se ele estava se referindo ao chamado orçamento secreto do governo federal como ele vai acabar com uma questão que envolve governo federal e Congresso Nacional sendo governador?

Não faz sentido a fala de Brandão. O governador já destinou R$ 64,9 milhões em orçamento secreto. Entre os dias 13 de junho e 1º de julho, foram realizados 56 repasses diretamente às contas bancárias das prefeituras. Os aportes variam entre 400 mil reais e 2,5 milhões.

sexta-feira, 8 de julho de 2022

Revista destaca contrato de “farmácia suspeita” com aliados de Brandão


Uma suspeita de corrupção envolvendo aliados do governador-tampão Carlos Brandão foi parar na mídia nacional. A revista Piauí trouxe reportagem “Farra Ilimitada” em que cita denúncias de corrupção que estão sendo investigadas, entre elas, o contrato de dois prefeitos ligados a Brandão com uma fornecedora de medicamentos.

O prefeito Felipe dos Pneus, de Santa Inês, chegou a ser afastado pelas investigações da PF no caso. Outra investigada é a prefeitura de Coelho Neto. O prefeito Bruno José de Almeida e Silva é um ferrenho apoiador de Brandão.

Além deles, outros aliados de Brandão são citados, como o deputado federal André Fufuca (PP). O comando de campanha de Brandão já analisa como responder as denúncias durante a campanha.


Com informações do Blog Clodoaldo Correa

quinta-feira, 7 de julho de 2022

Brandão continua tentando enganar sobre ICMS


Em mais uma tentativa de evitar o corte na alíquota do ICMS sem se queimar com a população, o governador-tampão Carlos Brandão (PSB) anunciou ontem Projeto de Lei para fixar em 18% o imposto sobre combustíveis.

A verdade, no entanto, é que Brandão continua tentando enganar a opinião pública.

O projeto encaminhado ao legislativo é desnecessário, uma vez que a lei já foi criada no Congresso Nacional. O tampão só precisa editar um decreto para fazê-la valer no Maranhão.

A nova artimanha de Brandão é apenas uma tentativa de protelar a implantação da redução do imposto dos combustíveis, ganhando tempo até as eleições.

Com a proposta na AL, ele mantém o imposto em 30,50% e pode transferir a responsabilidade para os deputados.

Uma enganação, portanto.

O problema, para ele, é que seu desgaste só aumenta diante do preço alto dos combustíveis no estado.

terça-feira, 14 de junho de 2022

O Imparcial/Exata: Weverton 29%, Brandão 24%, Lahesio 14%, Edivaldo 11%


O Imparcial – A segunda pesquisa O Imparcial/Exata para o governo do Maranhão, aponta o senador Weverton, do PDT, como líder nas intenções de voto para eleição de 2022, a pesquisa foi realizada entre 05 e 09 de junho pelo instituto Exata . Com a desistência do deputado federal, Josimar de Maranhãozinho (PL), que vai concorrer a reeleição à Câmara Federal e do senador, Roberto Rocha (PTB), que vai concorrer a reeleição ao senado, os números para o cenário eleitoral tanto para o governo do estado quanto para o senado sofreram alterações.

Em um cenário com todos os pré-candidatos a governador que até o momento estão mantendo o seu nome na corrida eleitoral para o cargo mais importante do executivo maranhense, na pesquisa estimulada, Weverton tem 29% das intenções de votos, o vice-governador Carlos Brandão (PSDB) tem 24%, o prefeito de São Pedro dos Crentes Lahésio Bonfim (PTB) aparece em terceiro lugar com 14%, seguido pelo ex-prefeito de São Luís Edivaldo Holanda Júnior (PSD) com 11%. Já o deputado federal Simplício Araújo (Solidariedade) tem 2%, Hertz Dias (PSTU) tem 1% e Enilton Rodrigues (PSOL) tem 0%; Outros 6% disseram que pretendem votar em branco ou nulo e 13% não sabem ou não responderam.

Em um segundo cenário, em que apenas quatro nomes estão na disputa, Weverton se mantém em primeiro lugar e aparece com 31% das preferências de votos; Carlos Brandão tem 25%; Lahésio Bonfim com 14% e Edivaldo Holanda Júnior, 12%. Não sabem ou não responderam, 12% e 6% disseram que anulariam o voto ou votariam em branco.

O Instituto Exata também simulou uma eleição no primeiro turno entre Weverton e Carlos Brandão. Neste cenário, Weverton teria 43% e Brandão, 37%. Os que votariam branco ou nulo seriam 11% e 9% não sabem ou não responderam.

Também foi simulado um embate em um eventual segundo turno com um possível confronto entre Weverton com 52% e Lahésio Bonfim 24%. Os que votariam branco ou nulo seriam 11% e 13% não sabem ou não responderam.

Segundo turno

Já a simulação de um embate em possível segundo turno entre Carlos Brandão e Lahésio Bonfim, o atual governador aparece com 47% e o prefeito de São Pedro dos Crentes, figura com 27%. Os que votariam branco ou nulo seriam 12% e 14% não sabem ou não responderam.

Em um outro cenário, em um eventual segundo turno entre Weverton Rocha e Edivaldo Holanda Jr, o senador pedetista aparece com 55% das intenções de voto contra 20% do ex-prefeito de São Luís. Os que votariam branco ou nulo seriam 13% e 12% não sabem ou não responderam.

Se a disputa em um eventual segundo turno ocorresse entre Carlos Brandão e Edivaldo Holanda Jr, o atual governador do Maranhão aparece com 49% das intenções de voto contra 23% do ex-prefeito de São Luís. Os que votariam branco ou nulo seriam 15% e 13% não sabem ou não responderam.

Nesta pesquisa, foram ouvidas 1451 pessoas entre os dias 5 e 9 de junho em todo o estado, com uma margem de erro de 3,28 para mais ou para menos e confiabilidade de 95%, e registro no TSE como MA-04453/2022.

quarta-feira, 1 de junho de 2022

Assembleia aprova autorização para governador Carlos Brandão ausentar-se do Estado


O Plenário da Assembleia Legislativa do Maranhão aprovou, na sessão plenária desta terça-feira (31), o Projeto de Decreto Legislativo nº 001/2022, de autoria do Poder Executivo, que autoriza o governador Carlos Brandão a ausentar-se do Estado, quando for necessário.

Por meio da Mensagem Governamental nº 039/2022, encaminhada ao Poder Legislativo, o governador Brandão solicitou autorização para que, na forma do Artigo 62 da Constituição Estadual, ele possa, quando necessário, afastar-se do estado ou do país, seja em missão oficial ou para tratar de interesse particular, sendo a autorização válida para qualquer período do ano de 2022.

À exceção do deputado Wellington do Curso (PSC), o pedido do governador Brandão foi aprovado por todos os parlamentares que participaram da sessão plenária, tanto de forma presencial quanto remota.

O presidente da Assembleia Legislativa em exercício, deputado Glalbert Cutrim (PDT), que conduziu a sessão, foi elogiado pela condução dos trabalhos durante a aprovação do pedido formulado pelo governador.

No encaminhamento da votação, o deputado Marco Aurélio (PSB) explicou que o governador Brandão pediu licença para estender o período do resguardo da cirurgia a que se submeteu na semana passada, a fim de evitar qualquer tipo de intercorrência.

Em apartes, os deputados Rildo Amaral (PSB), Jota Pinto (Podemos), Neto Evangelista (União Brasil), Helena Duailibe (PP), Cleide Coutinho (PDT) e Arnaldo Melo (MDB) proferiram discursos favoráveis à solicitação do governador Carlos Brandão.

Após a votação, a Mesa Diretora promulgou o decreto, assinado pelos deputados Glalbert Cutrim, Andrea Rezende e Cleide Coutinho.

segunda-feira, 30 de maio de 2022

Mesmo fora do governo, Flávio Dino age como governador de fato…


O governador-tampão Carlos Brandão (PSB) é apenas um retrato nas mãos do ex-governador Flávio Dino (PSB).

Sem desencarnar do cargo, é Dino quem atua como governador no interior.

Convalescendo de uma cirurgia feita do nada, Brandão vê seu mandato usurpado por Dino, que vai ao interior anunciar, vistoria e entregar obras, além de distribuir peixes e cestas básicas, símbolos do fracasso do seu governo no combate à miséria

Brandão tem-se escondido atrás de Flávio Dino desde que assumiu o governo; é Dino quem manda, determina pautas e faz a agenda do tampão.

A presença de Dino ao lado do eterno vice é uma forma de Brandão ser apresentado ao eleitor, já que trata-se de um ilustre desconhecido.

Mas vai chegar a hora em que o tampão não poderá mais recorrer ao padrinho para governar.

E muito menos para debater o estado…

Por Março D'eça

sábado, 21 de maio de 2022

Brandão tenta cooptar prefeitos oferecendo a eles o que daria a Josimar


Uma operação kamikaze foi montada no Palácio dos Leões e na campanha do governador-tampão Carlos Brandão (PSB) para forçar a adesão do deputado federal Josimar Maranhãozinho (PL).

Desde a quinta-feira, 19, o empresário Marcus Brandão, irmão do governador, vem assediando prefeitos ligados ao deputado com todo tipo de ofertas para tê-los em palanque.

A ordem no Palácio e no comitê de campanha de Brandão é repassar aos prefeitos tudo o que tinha sido oferecido ao próprio Josimar.

Desde ontem, por conta da ofensiva, aliados do governador-tampão já davam como certo o apoio do grupo de Josimar.

O deputado lidera três partidos, cerca de 50 prefeitos, 700 vereadores, deputados federais, estaduais e lideranças em todo o Maranhão.

A ele, o Palácio ofereceu mundos e fundos – literalmente – para tê-los no palanque de Brandão; sem resposta, a oferta começou a ser feita aos prefeitos do grupo.

Josimar pretende anunciar na próxima segunda-feira, 23, qual será o seu caminho nas eleições de outubro; e espera contar com a participação de todos os membros do seu grupo.

Mas a ofensiva do Palácio dos Leões deve durar todo o fim de semana…

Com informações do Blog Marco D'eça

terça-feira, 17 de maio de 2022

O plano B de Carlos Brandão


Fontes políticas da família Brandão no Sertão dão conta de um possível Plano B do governador-tampão para o caso dele não reagir nas pesquisas até o mês de agosto.

Os rumores oriundos da Rua do Cancão, em Colinas, dão conta que Carlos Brandão já avalia desistir da disputa eleitoral diante da possibilidade de não emplacar a candidatura à reeleição.

Conselheiros políticos do governador afirmam que ele recebeu um estado falido, endividado, marcado pela pobreza, desigualdades e com problemas estruturais históricos.

Diante disso, avaliam que Brandão pagará o preço da rejeição política e do fiasco administrativo da Era Comunista.

Nesse cenário, só restará ao ex-tucano renunciar à candidatura e negociar com quem estiver liderando as pesquisas uma saída honrosa, a fim de não repetir o equívoco de Arnaldo Melo em 2014.

Pelas bandas de Colinas, tem até quem acredite que Brandão repetirá a trajetória do pai no Tribunal de Contas do Estado.

A estratégia, porém, nunca foi submetida à aprovação de Flávio Dino, que na avaliação dos brandonistas só pensa no próprio futuro.

sexta-feira, 29 de abril de 2022

Brandão vai à Brasília para evento político, mas falta a debate de gestão com prefeitos


O governador Carlos Brandão (PSB) esperou a Marcha dos Prefeitos, evento organizado pela Confederação Nacional dos Municípios (CNM), terminar para poder ir à Brasília pela primeira vez como Governador do Estado.

É um fato inusitado, pois o chefe do executivo estadual não deu as caras no maior evento de gestores municipais do Brasil, onde foram discutidas políticas públicas voltadas para os municípios, palestras e debates com temas de grande relevância como reforma tributária, piso nacional do magistério, desafios do saneamento básico, entre outros.

O motivo poderia ser a falta de tempo, com a desculpa de cumprimento de agendas no Maranhão. Mas para um evento político-partidário, o governador-tampão tem tempo. Ele preferiu apenas lutar por uma foto com o ex-presidente Lula.

Tudo isso mostra que o governador só pensa em eleição. Se estivesse realmente preocupado com o Maranhão iria discutir políticas públicas com os prefeitos. Inclusive, muitos deles que estiveram no evento são seus aliados.

Com informações do Blog do Clodoaldo Correa

sexta-feira, 22 de abril de 2022

Flávio Dino foge de Othelino Neto


Na noite da última quarta-feira (20/04), o presidente da Alema, Othelino Neto, realizou um concorrido evento de lançamento da sua pré-candidatura à reeleição como deputado estadual. No entanto, uma ausência chamou mais a atenção que as presenças que ali se manifestaram.

O ex-governador Flávio Dino (PSB), que está com bastante tempo livre, agora que os despachos do Palácio dos Leões são conduzidos pelo governador-tampão Carlos Brandão, não fez a menor questão de se fazer presente e aparecer ao lado daquele que foi tomado a peso de ouro das fileiras do senador Weverton (PDT), pré-candidato ao governo que lidera as pesquisas.

Com o apoio de Othelino Neto garantido através da primeira-suplência à Ana Paula Lobato (PSB), sua esposa, na chapa ao Senado encabeçada por Dino, que sonha dia e noite não com a Câmara Alta, mas sim com um ministério no eventual governo Lula e em uma indicação ao STF, parece que o ex-governador não quer ser visto ao lado de quem está com fama de “traíra” pelos quatro cantos do Maranhão.

Até o presente momento, não houve nenhuma aparição pública de Othelino Neto e Flávio Dino, desde o acordo selado para que ele, que era um dos “cabeças” da campanha pedetista aos Leões, pulasse de volta para o seio palaciano.

Com informações do Blog Verdade 98

segunda-feira, 18 de abril de 2022

Fracasso de Flávio Dino atinge Brandão e irrita familiares do governador-tampão


O fim da gestão de Flávio Dino (PSB) no Maranhão expôs em luz neon a farsa que foi o governo comunista.

Mas esta farsa – que vem ganhando cores cada vez mais fortes nas últimas semanas – atinge também o sucessor de Dino, o governador-tampão Carlos Brandão, que tenta viabilizar sua reeleição em meio à greve de servidores públicos, aumento da miséria em todos os níveis e agora um calote de R$ 280 milhões deixado pelo comunista.

Mais próximo do antigo Grupo Sarney que do próprio Flávio Dino, Brandão usa a mídia poderosa do grupo para se descolar da imagem ruim deixada por Dino, mas enfrenta dificuldades pelo envelhecimento precoce do próprio governo, formado por ex-políticos que já estavam com as chuteiras penduradas.

O grande legado da gestão de Flávio Dino é o aumento da miséria e o fracasso no combate à fome.

E este legado atinge Brandão em cheio, deixando o vice-governador estagnado nas pesquisas e sem poder atender a aliados sedentos de espaços de poder e dinheiro.

A divisão da comunicação em dois grupos distintos – dinistas e sarneysistas – um comandado por Ricardo Capelli e outro por Sérgio Macedo, tem tornado ainda mais difícil a vida do governador-tampão.

Seguindo as ordens de Flávio Dino, Capelli insiste em vincular o atual governo com o antecessor, tentando mostrar que Brandão é a continuidade de Dino; isso irrita a família do tampão, que usa Macedo para tentar vender a imagem de um novo governo, todo novo, embora com velhas práticas.

Quinze dias depois de assumir o mandato, Brandão ainda não se decidiu se é governador ou candidato, confundindo as agendas e a própria população, boa parte sem saber ainda quem é que continua mandando.

E ele só tem mais 75 dias para dar sua imagem ao Maranhão…

Por Março Aurélio D'eça

quarta-feira, 30 de março de 2022

Acordo do PP para apoiar Brandão é entregar direção do Porto para Ciro Nogueira


O presidente nacional do PP, Ciro Nogueira tem um acordo firmado com o vice-governador Carlos Brandão para que a direção do Porto do Itaqui seja de um indicado dele.

Por esse motivo, Brandão tem tanta segurança de que o partido está fechado com o seu projeto. Inclusive, já foram filiados deputados e lideranças na legenda. Ele tem certeza que não corre o risco de perder o apoio do PP por esse acordo, que deve ser cumprido assim Brandão assumir o governo.

Dentro do acordo com o PP estava a direção do Detran ficar com o indicado do deputado André Fufuca, que já foi cumprido. E a direção do porto ficar com o presidente nacional do PP que, por acaso, é chefe da Casa Civil da Presidência, homem número 1 do Governo Bolsonaro.

O presidente finalmente terá comando desse órgão, como ele queria ter desde o início do governo quando começou o debate sobre federalizar o Porto.

quarta-feira, 23 de março de 2022

Brandão promete a mesma pasta a vários e gera crise entre aliados


A tentativa de consolidar sua base eleitoral tem levado o vice-governador Carlos Brandão (ainda no PSDB) a gerar crises entre aliados por causa de espaços no futuro governo, que começa dia 2 de abril.

Já manifestaram insatisfação com as múltiplas negociações de Brandão o deputado federal Pedro Lucas Fernandes (União Brasil) e os estaduais Fábio Macedo (PROS) e Duarte Júnior (PSB).

Segundo apurou o blog Marco Aurélio D’Eça, o problema ocorre por que Brandão – para criar artificialmente uma base de apoio – tem loteado o governo prometendo a mesma pasta a dois ou até três pretensos apoiadores, o que gera o desgaste.

No caso de Duarte Júnior – que, segundo a imprensa ameaçou até deixar o PSB – Brandão teria oferecido o Viva Procon, gerenciado pela sua mulher, em troca do apoio do MDB.

A insatisfação de Macedo, ainda segundo apurou este blog, se dá pela decisão de Brandão de entregar o controle, do Detran ao deputado federal André Fufuca (PP); o deputado estadual tinha como certo que o órgão seria presidido pelo seu irmão, ex-prefeito de Dom Pedro Hernando Macedo.

Também esperava espaço de poder consolidado no governo Brandão o presidente do Cidadania, pastor Eliel Gama, que é irmão da senadora Eliziane Gama (Cidadania); a ele, também teria sido oferecido o mesmo Detran “dado” a Macedo e a Fufuca.

O problema para Eliel é que o Cidadania está e em federação com o PSDB, que já se posicionou pelo apoio a Weverton Rocha no Maranhão.

Para Pedro Lucas, que anunciou apoio ao vice-governador há duas semanas, a condição para garantia de espaços de poder é a entrega do União Brasil, hoje apoiando o senador Weverton Rocha (PDT); para conseguir, Fernandes precisa vencer a queda de braço com o colega deputado Juscelino Filho.

A guerra de bastidores no governo Brandão tende a se intensificar depois do dia 2 de abril, quando a gestão começa de fato e o loteamento dos espaços tende a ser intensificado.

O problema é que, depois disso, nenhum dos aliados poderá mais mudar de partido, caso seja preterido nas articulações.

Com informações do Blog do Marco D'eça

Flávio Dino e Brandão recebem protestos e são vaiados por onde passam


A 10 dias de renunciar ao mandato, o governador Flávio Dino (PSB) tem enfrentado uma dura realidade no fim do seu governo.

Por onde passa, acompanhado do seu vice Carlos Brandão (PSDB), Dino é recebido com vaias a protestos, sobretudo de professores da rede pública estadual, insatisfeitos com o não-reajuste de 34% concedido nacionalmente e ignorado por Dino no Maranhão.

No último final de semana, as vaias ocorreram em Caxias, Aldeias Altas e São João do Sóter.

Na semana passada, os dois já tinham sofrido protestos em Formosa da Serra Negra, situação que levou, inclusive, ao cancelamento de um evento público.

Flávio Dino fracassou em seus oito anos de mandato e a conta começa a chegar agora que ele deixa o cargo.

E o exemplo dos professores é só um dentre tantos de insatisfação com o seu governo.

Imagine se o Simproessema não estive no bolso do governador…

Com informações do Blog do Marco D'eça

quarta-feira, 16 de março de 2022

Justiça impugna pesquisa que apontava liderança de Brandão


A juíza Camilla Rose Ewerton Ferro Ramos, integrante titular do Tribunal Regional Eleitoral do Maranhão (TRE/MA), impugnou pesquisa de intenção de voto, realizada pela empresa J Pesquisa, do grupo do Jornal Pequeno, cujos números, divulgados no último fim de semana, apontavam liderança do vice-governador Carlos Brandão (PSDB) na disputa pelo comando do Palácio dos Leões.

A sentença atendeu representação protocolado pelo diretório estadual do Partido Democrático Trabalhista, que apontou uma série de irregularidades, tais como: incompatibilidade das informações prestadas a título de quantidade de pessoas entrevistadas expostas no detalhamento da área (municípios e regiões) em que realizada a pesquisa – tamanho da amostra -, com o que efetivamente consta no Plano Amostral, em ofensa direta ao inciso IV do art. 2º da Resolução TSE nº 23.600/2019; comprometimento do resultado da pesquisa dado o desequilíbrio na quantidade de pessoas ouvidas por região; insuficiência das informações constantes acerca do sistema interno de controle e verificação, conferencia e fiscalização da coleta de dados.

“Defiro a liminar pleiteada para determinar à empresa M BOGEA/GRUPO JP que se abstenha de divulgar o resultado da pesquisa ora impugnada até que adeque as informações conflitantes existentes no detalhamento da pesquisa, especificamente quanto ao número de entrevistas, eleitorado da amostra e margem de erro, nos termos do parágrafo 1° do artigo 16 da Resolução TSE nº 23.607/2019, sob pena de multa de R$ 53.205,00 (cinquenta e três mil, duzentos e cinco reais), conforme disciplina do art. 17, da Resolução TSE n.º 23.600/19”, determinou a magistrada.

sábado, 26 de fevereiro de 2022

Aliados de Brandão querem Edivaldo na vice


Os articuladores da campanha do vice-governador Carlos Brandão (PSDB) já começam a trabalhar nos bastidores com a ideia de ter o ex-prefeito de São Luís, Edivaldo Júnior (PSD) como companheiro de chapa.

Para isso, usam a relação do ex-prefeito com o governador Flávio Dino (PSB).

Dino aposta em uma chapa com Brandão, Edivaldo e ele próprio, o que, na avaliação dos coordenadores de campanha – como os secretários Ricardo Capelli e Márcio Jerry – garantiria não apenas a consolidação do vice como líder nas pesquisas como, até mesmo, a possibilidade de uma vitória em segundo turno.

Historicamente, Edivaldo é visto como um político extremamente dependente de Flávio Dino; tanto que, logo após ser anunciado candidato, foi ao Palácio dos Leões para dizer que apoiará o governador em sua campanha pelo Senado.

Desde então, recolheu sua campanha, limitada hoje a reuniões com os deputados Edilázio Júnior (PSD) e César Pires (PV).

E são justamente os dois parlamentares o grande empecilho para uma composição entre Edivaldo e Brandão, a menos que o ex-prefeito busque novo rumo partidário.

Com informações do Blog Março D'eça

terça-feira, 22 de fevereiro de 2022

Escutec: Weverton segue liderando corrida eleitoral no Maranhão


O Instituto Escutec trouxe a primeira pesquisade intenção de votos para o governo do Maranhão, Senado e Presidência da República. Foram 2 mil eleitores ouvidos nos dias 17 a 22 de fevereiro. O registro da pesquisa está com o número MA 03951/2022. 0 intervalo de confiança é de 95% e a margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

No levantamento foram ouvidos 2 mil eleitores em todas as regiões do Maranhão. E no cenário estimulado, o senador Weverton Rocha aparece com 22%. Ele é seguido por Carlos Brandão com 19%.

Em terceiro lugar aparece o ex-prefeito de São Luís, Edivaldo Júnior (PSD), com 12%. Na sequência estão Roberto Rocha (sem partido) com 11%, Lahesio Bonfim (PTB) 11%, Josimar de Maranhãozinho (PL) com 5%, Simplício Araújo (SD) com 2% e Ernilton Rodrigues (PSOL) não pontuou.

Com informações do Blog do Kiel Martins