Mostrando postagens com marcador Josimar de Maranhãozinho. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Josimar de Maranhãozinho. Mostrar todas as postagens

quarta-feira, 18 de maio de 2022

Entenda como Josimar de Maranhãozinho se tornou o pesadelo de Brandão e Dino


O deputado federal Josimar de Maranhãozinho, presidente do Partido Liberal (PL-MA) no estado, é um líder político dos mais fortes e bem articulados. Prova disto, além de contar com bancadas fortes na Assembleia Legislativa e na Câmara Federal, Josimar tem cerca de 50 prefeitos aliados e fiéis. Por esse motivo, Josimar tem tirado o sono do governador Brandão e do ex-governador Flávio Dino.

Existe a expectativa de que na próxima sexta-feira (20), Josimar anunciar a retirada de sua pré-candidatura ao governo e declarar apoio ao senador Weverton Rocha (PDT-MA), que se tornou alvo da mídia dinista e brandonista, por não ter sido seduzido pelas benesses dos Leões e mantido a pré-campanha em campo em prol de um estado mais feliz e digno. Caso a expectativa se confirme, Josimar indicará o (a) vice na chapa encabeçada por Weverton e buscará a reeleição para a Câmara.

Selada essa união de Josimar e Weverton, nem o rugir dos Leões afastaria o favoritismo do pré-candidato pedetista, uma vez que Josimar tem aliados deputados estaduais, federais, prefeitos, vice-prefeitos e vereadores que, declarando apoio a Weverton, mudaria drasticamente o tabuleiro político do estado. Por exemplo, em Barra do Corda, Weverton que já conta com o apoio do ex-prefeito Eric, passaria também a ser apoiado pelo prefeito Rigo Teles. O mesmo em Pedreiras, onde Weverton já conta com o apoio da prefeita Vanessa Maia e passaria a contar também com o apoio da família Louro, do deputado estadual Vinícius Louro. Assim como nos dois municípios citados, Weverton com apoio de Josimar fecharia o palanque com as principais lideranças de situação e oposição em diversos municípios em todas as regiões do Maranhão.

Sabedor disso, o governador Brandão tem alertado sua cúpula da necessidade de descontruir as imagens de Weverton e Josimar espalhando fake news e, desesperadamente, buscando nacionalizar a campanha estadual colocando no senador Weverton rótulo de bolsonaristas, tentando atrair simpatizantes do ex-presidente Lula.

Com informações do Blog do Carlos Barroso

Josimar admite não ser candidato a governador


Em live com a deputada estadual Detinha (PL), o deputado federal Josimar de Maranhãozinho (PL) anunciou que reunirá seu grupo político na próxima sexta-feira (20), para definir o rumo que tomará nas eleições.

Ele já indicou que deve desistir da sua candidatura ao governo e anunciar, após ouvir prefeitos, deputados, vereadores e lideranças do seu grupo político, o nome que apoiará na disputa do Palácio dos Leões.

“Agora na sexta-feira, nós vamos reunir todos os prefeitos e, posteriormente, vamos reunir com os pré-candidatos para deliberar sobre o que é melhor para nosso grupo. Nós vamos avaliar se vamos continuar candidatos ou se nós vamos fazer adesão a alguém que tem uma proposta que realmente venha somar com o que nós queremos, que é um Maranhão melhor”, disse.

sexta-feira, 6 de maio de 2022

Denúncia à Câmara Federal abala Josimar de Maranhãozinho


“Um lutador, incansável, agregador, cumpridor de palavra”. Os elogios foram feitos pelo deputado estadual Vinícius Louro (PL) ao deputado federal Josimar de Maranhãozinho, chefe maior do seu partido no Maranhão, e seu líder e mentor político. Dadas ontem durante entrevista a uma emissora de TV, as declarações foram interpretadas por observadores experientes como um esforço do parlamentar de Pedreiras para, pelo menos, minimizar a situação complicada por que passa o chefe do PL, que também se coloca como pré-candidato ao Governo do Estado. Josimar de Maranhãozinho está entre os nove deputados federais levados esta semana ao Conselho de Ética da Câmara Federal por motivos diversos, sendo que ele é o único acusado de corrupção. E o motivo: seria ele o cabeça de um de grande esquema de desvio de recursos federais destinados à saúde e à educação, tendo as falcatruas com prefeituras já desviado mais de R$ 100 milhões, de acordo com o relatório de investigação da Polícia Federal.

Campeão de votos em 2014 para a Assembleia Legislativa e em 2018 para a Câmara Federal, o federal Josimar de Maranhãozinho decidiu se lançar pré-candidato ao Governo do Estado e sua mulher, a deputada estadual Detinha, à Câmara Baixa. Após uma série de fatos o tendo como epicentro, entre eles a denúncia de corrupção, que veio a público em imagens do parlamentar com maços de dinheiro nas mãos, escandalizando o País e chocando o Maranhão, Josimar de Maranhãozinho, que chegara a alcançar mais de uma dezena de pontos percentuais, começou a desabar. À medida que as investigações da Polícia Federal avançaram, o pré-candidato do PL a governador despencou nas intenções de voto, tanto que nas últimas pesquisas sua posição é de apenas três pontos percentuais na preferência do eleitorado. Além disso, ele tem aparecido em todas as pesquisas como detentor do maior percentual de rejeição.

O fato de encontrar-se na mira da Polícia Federal e de estar denunciado por corrupção já vinha tornando Brasília um ambiente incômodo para o parlamentar. Não foi por outra razão que ele montou a estratégia de se lançar pré-candidato a governador e sua mulher, a deputada Detinha, à Câmara Federal, mas guardando no bolso do colete o projeto de disputar uma cadeira na Assembleia Legislativa. Isso porque já sabe há tempos que sua candidatura ao Governo do Estado é política e eleitoralmente inviável. Mesmo assim, jogou todo o peso das suas relações muito afinadas com o presidente nacional do PL, o notório ex-deputado federal paulista Waldemar Costa Neto, e conseguiu evitar que o senador Roberto Rocha ingressasse no seu partido e, com a influência dos Bolsonaro, fragilizasse sua chefia no braço maranhense da legenda, que hoje tem o presidente da República como filiado e candidato à reeleição.

Para evitar o isolamento no tabuleiro político estadual, e atendendo a recomendação do seu chefe partidário, Josimar de Maranhãozinho colocou o PL no grupo de apoio à pré-candidatura do senador Roberto Rocha (PTB) à reeleição. Meses atrás, ele andou “ameaçando” candidatar-se ao Senado, numa tentativa de atingir o projeto senatorial do ex-governador Flávio Dino, de quem se declarou adversário. Justificada como decorrência de “desprestígio” do seu partido e seu grupo em relação ao Governo do Estado, a mágoa seria, na verdade, motivada pelo fato de o governador Flávio Dino não ter interferido nas investigações da Polícia estadual, determinadas pelo Ministério Público, sobre as denúncias. Da mesma maneira como os poderosos de Brasília não conseguiram barrar as investigações da Polícia Federal sob o comando do Ministério Público Federal.

A chegada da denúncia ao Conselho de Ética da Câmara Federal, juntamente com as de oito parlamentares, mas com a agravante de que ele é o único acusado de corrupção, tirou Josimar de Maranhãozinho de tempo, à medida que ele corre mesmo sério risco de ser cassado, o que, se ocorrer, será um tiro mortal na sua carreira. Não é sem razão, portanto, que a tropa de choque do PL na Assembleia Legislativa passou, de uma hora para outra, a louvar sua ação política e a reafirmar o seu projeto de candidatura ao Palácio dos Leões, no qual nem seus aliados parecem acreditar.

quinta-feira, 28 de abril de 2022

Cassação de Josimar Maranhãozinho começa a tramitar no Conselho de Ética


O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), decidiu destravar os pedidos de quebra de decoro contra deputados e liberou 22 representações ao Conselho de Ética da Câmara para que sejam instaurados processos contra parlamentares. Nesta quarta-feira (27/4), sete destes processos já tiveram início na reunião do Conselho — a primeira após cinco meses.

Na relação, está o pedido de cassação contra Kim Kataguiri (União Brasil-SP), pelas declarações que foram tachadas de nazistas, e também contra Josimar Maranhãozinho (PL-MA), acusado de desviar dinheiro de emendas. Já contra Eduardo Bolsonaro há oito representações.

As 22 representações estão sob o comando do deputado Paulo Azi (União Brasil-BA), que pautou sete (delas contra seis deputados) para esta quarta-feira. As outras vão ser agendadas para as próximas semanas, de acordo com a data de acontecimentos dos fatos.

Uma representação contra Josimar Maranhãozinho (PL) foi protocolada em 3 de dezembro do ano passado e o caso estava parado. Imagens gravadas pela Polícia Federal flagraram o deputado carregando caixas com dinheiro em seu escritório. Os recursos seriam provenientes de desvios de emendas parlamentares.

segunda-feira, 21 de março de 2022

Cúpula do Aliança pelo Brasil no MA se filia ao PL, e oficializa apoio a Josimar


Líderes do Aliança pelo Brasil no Maranhão, partido que estava sendo gestado por um grupo de militares e empresários para ser um dos maiores do país, se reúnem na manhã deste domingo (20) em São Luís com a cúpula do PL – Partido Liberal, para realizar a filiação dos pré-candidatos do grupo.

Com a entrada de seus coordenadores como o superintendente da Secretaria do Patrimônio da União (SPU), José Ribamar Monteiro Segundo – o Coronel Monteiro; Coronel Daladier, mestre em ciências militares, advogado e professor universitário com atuação em Imperatriz; e o subtenente Fabiano, pré-candidato a deputado estadual, o grupo firma sua aliança com o deputado federal Josimar – pré-candidato a governador, que também esteve presente na cerimônia.

Além deles, também assinaram a ficha de filiação a empresária de Açailândia, Meg Pachaeco, pré-candidata a deputada estadual; Kelly Moura, pré-candidata a deputada federal representando a cidade de imperatriz; além de Isaías Neres (Buriticupu), pré-candidato a deputado estadual; e Vieira (Grajaú), pré-candidato a deputado federal.

O Aliança pelo Brasil estava sendo projetado à imagem de Bolsonaro. Cerca de 120.000 das 300.000 assinaturas coletadas para criar o partido ainda precisam ser validadas pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o que, na prática, torna inviável a participação da legenda nas eleições de outubro. A legislação eleitoral determina que a agremiação deve estar registrada no tribunal até abril, seis meses antes do pleito.

Coronel Monteiro que é pré-candidato a deputado federal avaliou a chegada ao PL. De acordo com ele, a filiação ao partido peelista partiu de um convite do presidente da República que está orientando seus apoiadores nos estados a organizar uma frente para disputar vagas ao Congresso.

“Escolhemos nos filiar ao PL para acompanhar o presidente Jair Bolsonaro, Chegamos para organizar não apenas a campanha à reeleição do presidente no estado, mas para preparar um grupo visando as eleições à Câmara Federal. Nós viemos pra fazer a diferença”, declarou.

“Pra mim, é uma grata satisfação receber em nosso partido os líderes do Aliança pelo Brasil no Maranhão. É um reforço importantes que vai aumentar a projeção para eleição à Câmara Federal que pode ficar entre quatro a cinco

segunda-feira, 7 de março de 2022

Josimar investe em "buchas bolsonaristas” nas eleições 2022


Nas últimas semanas o deputado federal Josimar de Maranhãozinho (PL) intensificou suas investidas por pré-candidatos considerados “bolsonaristas” em sua legenda nas eleições deste ano. Presidente do partido do presidente Jair Bolsonaro no Maranhão, Josimar negocia com várias lideranças que se notabilizaram pela luta contra a corrupção e ética na política.

A entrada de candidatos tidos como “bolsonaristas” na chapa de Josimar eleva a possibilidade de que o PL tenha uma expressiva votação. Dessa forma, o efeito direto da adesão seria o fortalecimento do projeto de Josimar de Maranhãozinho em eleger entre de 3 e 4 deputados federais nas eleições deste ano subordinados a ele.

Para tentar minimizar os impactos na filiação ao PL, os chamados “bolsonaristas” têm usado como justificativa o fato da legenda ser a mesma do presidente. Contudo, pré-candidatos que recusaram o pedido de Josimar, caso da líder conservadora Flávio Berthier, ingressar no PL é um sacrifício alto demais.

“Temos bandeiras e elas não podem ser deixadas para trás por causa de eleição. Não posso ajudar a eleger uma bancada que defenda tudo o que eu tenho repúdio. Sei que o presidente entende essa nossa posição de escolher outro partido que não seja o PL do Maranhão”.

A eleição no PL é considerada dificílima dados os números. Caso Josimar dispute a reeleição para deputado, deve manter votação acima de 100 mil votos (em 2018 ele alcançou 195 mil). Acontece que a esposa de Josimar, Detinha, também deve tentar uma vaga na Câmara Federal. A candidatura de Detinha pode diminuir a votação do marido e ambos devem transitar entre os 100 mil votos. Também concorrem na chapa os já deputados federais Junior Lourenço (117 mil votos) e Pastor Gil (47 mil votos). Ambos não eram parlamentares em 2018 e devem elevar suas votações. Outros nomes como Paulo Marinho Jr (55.755 votos em 2018) devem tornar ainda mais difícil a tentativa de bolsonaristas em conseguir “vencer” os colegas de chapa.

Fontes do partido revelaram ao blog que a entrada de três dos chamados “bolsonaristas” podem agregar de 50 a 70 mil votos na chapa que deve lançar 19 candidatos. Com a estimativa de cerca de 400 mil votos apenas dos quatro “cabeças”, o PL deveria alcançar mais 100 mil votos com os outros 11 candidatos para ter chances reais de fazer 4 deputados federais. Com absolutamente nenhum bolsonarista entre eles.

Até o momento a maior “aquisição” de Josimar foi o ex-candidato à prefeito de São Luís, Pastor Silvio Antônio. São esperados outros bolsonaristas na legenda antes do dia 2 de abril, prazo final para a filiação no partido.

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2022

Josimar promete esvaziar PL caso Roberto Rocha insista em tomar partido


Pré-candidato ao Governo, o deputado federal Josimar de Maranhãozinho já comunicou a aliados e a direção nacional do seu partido, o PL, que esvaziará a legenda no Estado caso o senador Roberto Rocha (ainda no PSDB) continue manobrando para lhe tomar o comando regional da sigla.

Ao contrário do que afirmou ano passado, quando negou estar interessado em deixar o tucanato para desembarcar no ninho liberal e, desta forma, assumir a presidência do diretório estadual do partido, Roberto Rocha, de acordo com o que foi apurado pelo editor do Blog, movimenta-se diretamente junto ao presidente Jair Bolsonaro objetivando tomar para si o controle do PL.

Usando a estrutura da sigla, construída pelo próprio Josimar, desde 2015, e que conta com 56 prefeitos e mais de 800 vereadores, por exemplo, o senador pretende concorrer ao cargo de governador, tentando surfar, ainda, no que restou da onda bolsonarista em terras maranhenses.

Josimar, ainda segundo informações exclusivas obtidas pelo editor do Blog, afirmou que, caso o senador continue tendo permissão para executar o plano, deixará a legenda e a esvaziará.

Seu grupo político, formado por deputados estaduais e federais; prefeitos e prefeitas; ex-prefeitos (as) vice-prefeitos(as); e vereadores (as), desembarcará em outras duas siglas – Patriotas e Avante – comandadas pelo deputado federal.

terça-feira, 1 de fevereiro de 2022

¨O Palácio dos Leões se partiu em dois e agora vejo uma eleição mais favorável para a gente”, diz Josimar de Maranhãozinho


O deputado federal Josimar de Maranhãozinho, presidente estadual do PL, disse nesta terça-feira (1º), em conversa com o blogueiro Marcelo Minard que já esperava a declaração de apoio do governador Flávio Dino ao vice-governador Carlos Brandão e que isso lhe proporciona felicidades.

“Já esperava por isso, fiquei muito feliz, o Palácio partiu em dois, agora eu vejo uma eleição mais favorável para a gente que estamos caminhando na oposição ao Palácio dos Leões e tenho certeza que nosso projeto está se concretizando a cada dia e nossa pré-candidatura é viável e vamos chegar lá”, disse.

Ainda durante a rápida conversa, Josimar disse que está montando uma chapa de deputado federal para as eleições deste ano: “Nós nunca paramos, hoje já estamos com nossa chapa de federal os 19 todos filiados e estamos avançando na chapa de deputados estaduais”, completou.

Assista o vídeo:

terça-feira, 4 de janeiro de 2022

Ministério Público vai apurar sorteio de dinheiro promovido por Josimar de Maranhãozinho


Da Revista Crusoé – A Procuradoria Regional Eleitoral do Maranhão vai abrir um procedimento para apurar se o deputado federal Josimar de Maranhãozinho, do PL, cometeu ilícito eleitoral ao sortear 50 mil reais a seus eleitores durante uma live de Natal. O caso ganhou repercussão após uma reportagem de Crusoé.

O sorteio, transmitido pela internet, foi realizado em uma praça pública na cidade de Maranhãozinho, reduto do político. O deputado é o mesmo que foi flagrado pela Polícia Federal com maços de dinheiro no curso de uma investigação que apura desvio milionário de emendas parlamentares pagas pelo governo.

Integrante do Ministério Público Federal e atual procurador-regional eleitoral do Maranhão, Hilton Araújo de Melo pediu prioridade à sua equipe na abertura de uma notícia de fato eleitoral, um procedimento destinado a fazer a apuração preliminar dos fatos.

Especialistas afirmam que Maranhãozinho, que se coloca como pré-candidato ao governo estadual, violou as regras eleitorais, incorrendo em abuso de poder econômico e campanha antecipada.

“O Tribunal Superior Eleitoral tem jurisprudência no sentido de que o que é proibido quando permitida a propaganda — como oferta de dinheiro, rifa sorteio ou vantagem de qualquer natureza — é proibido também na propaganda prévia. De regra, multa. Todavia, dependendo da gravidade do fato, implica em abuso de poder, com variadas penas, até a inelegibilidade”, afirmou a Crusoé o ex-ministro do Supremo Tribunal Federal e ex-presidente do Tribunal Superior Eleitoral Carlos Velloso.

“A distribuição de qualquer tipo de vantagem, incluindo obviamente dinheiro, mesmo fora do período eleitoral, caracteriza abuso do poder econômico. Nesse caso específico, o valor me parece significativo, já que foi sorteado em uma comunidade com parcas condições financeiras. E os discursos utilizados durante a distribuição desses recursos têm nítido conteúdo eleitoral. Então mesmo fora do período eleitoral, a conduta apresenta contornos da prática do abuso de poder econômico, que, se julgado pela Justiça Eleitoral, pode levar à cassação do diploma de deputado e à inelegibilidade por até 8 anos”, disse Eduardo Damian, presidente da Comissão Especial de Direito Eleitoral da OAB nacional e professor de Direito Eleitoral da Escola de Magistratura do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro.

Para Carlos Frota, presidente da Comissão de Direito Eleitoral do Instituto Brasileiro de Pesquisa e Estudo Jurídico, o caso pode configurar também campanha antecipada, uma vez que, durante o sorteio, foi divulgada a informação de que Maranhãozinho pretende concorrer ao governo estadual.

Josimar de Maranhãozinho, do PL, partido ao qual o presidente Jair Bolsonaro se filiou no final do ano passado, é alvo de pelo menos dois inquéritos que correm sob sigilo no Supremo Tribunal Federal por suspeita de embolsar verbas provenientes de emendas parlamentares liberadas pelo governo federal.

segunda-feira, 27 de dezembro de 2021

Maranhãozinho passou o Natal e vai virar o ano preocupado


O deputado federal Josimar de Maranhãozinho (PL) tenta manter de pé seu projeto político gastando dinheiro do Fundo Partidário com propaganda que o mostram em inserções na TV e no rádio e outdoor e em painéis traseiros de coletivos como alguém que está com o astral nas alturas.

Se o dinheiro gasto para evitar danos maiores à sua imagem for limpo, pode-se até considerar válido o esforço do parlamentar. O problema é que nos bastidores políticos vozes que sabem o que dizem sopram que, por conta das operações policiais de que tem sido alvo e das demolidoras acusações feitas pelo Ministério Público Federal, o chefe do PL passou o Natal e atravessará a virada do ano preocupado com as duas frentes do seu futuro.

A frente política, na qual o seu poder sobre o PL, o Patriotas e o Avante está sendo fortemente minado. E a frente policial-judiciária, onde enfrenta processos e problemas de difícil solução.

Há quem diga que já agora ele encontra dificuldades para se encaixar numa aliança para as eleições.

quarta-feira, 22 de dezembro de 2021

Filho de Josimar de Maranhãozinho se torna eleitor de Zé Doca de olho na Prefeitura em 2024

Josimar Júnior, estudante de medicina e o filho do deputado federal mais votado do Maranhão, tornou-se nesta segunda-feira (20) eleitor do município de Zé Doca, reduto eleitoral do pai, Josimar de Maranhãozinho (PL) e onde a tia, Josinha Cunha é prefeita reeleita.

“Meu sobrinho Josimar Junior, mais um eleitor de Ze Doca, parabéns pelo título de eleitor. Esse documento representa a importância do processo democrático, é uma ferramenta para as mudanças e transformações que desejamos como cidadãos e cidadãs.” Escreveu a bem avaliada prefeita em suas redes sociais.

Vale destacar que no mês de fevereiro deste ano, o também filho da deputada estadual Detinha (PL) completou seus 18 anos e pelas regras eleitorais ganhou idade mínima para ingressar na política partidária e disputar cargos eletivos.

Vislumbrando as eleições municipais de 2024, até lá, Júnior terá completado 21 anos e poderá disputar o cargo de prefeito em substituição a sua tia.

Aliás, é bom que se diga, sobrinho é parente de 3º grau e pela Lei Eleitoral, Júnior, poderá disputar a sucessão da tia normalmente.

Estaria Josimar de Maranhãozinho preparando o filho para substituir a irmã no comando da prefeitura de Zé Doca?!

segunda-feira, 20 de dezembro de 2021

Oposição segue dividida e sem líder para a disputa eleitoral


A menos que haja uma improvável reviravolta e os grupos resolvam se juntar, a Oposição marchará para as urnas dividida em três frentes no que diz respeito à sucessão para o Governo do Estado. Faltando pouco mais de dez meses para as eleições, não há sinais de que o senador Roberto Rocha (saindo do PSDB), o deputado federal Josimar de Maranhãozinho (PL) e o prefeito de São Pedro dos Crentes Lahesio Bonfim tenham sequer aberto canais de comunicação para conversar a sério sobre o assunto. Em princípio, tudo indica que os três candidatos oposicionistas tentarão seguir seus próprios caminhos no 1º turno, para uma possível união de forças no 2º, caso a eleição não seja decidida em turno único. O problema é que, dos três pré-candidatos a governador assumidos, o mais destacado, senador Roberto Rocha, não parece interessado em decidir logo o seu rumo, e os outros dois, Josimar de Maranhãozinho e Lahesio Bonfim, enfrentam problemas graves, um no campo pessoal, e o outro na seara política.

Ainda no PSDB, mas aparentemente sem nenhuma condição de nele permanecer, já que o controle da legenda no Maranhão está com o vice-governador Carlos Brandão, o senador Roberto Rocha tende a ingressar no PSL, seguindo o presidente Jair Bolsonaro. Só que o PL é controlado com mão de ferro pelo deputado federal Josimar de Maranhãozinho, que é pré-candidato declarado ao Governo do Estado. Há que garanta que os dois estão conversando para ajustar os ponteiros no sentido de como o papel de cada um na corrida eleitoral. Qualquer que seja o entendimento entre os dois, se de fato houver, a Oposição eliminará um candidato a governador, já que ambos não poderão disputar o mesmo mandato, o que leva a crer que o caminho será a composição de uma chapa com um disputando o Governo e outro o Senado.

Sem revelar até agora se será candidato ao Governo ou tentará se reeleger para o Senado, o senador Roberto Rocha faz uma pré-campanha de natureza eminentemente técnica, defendendo uma mudança na estrutura fiscal e tributária do Brasil, reflexo da sua condição de relator da Reforma Tributária no Senado, que, por um pacote de motivos os mais diversos, não ata nem desata. Sua ação é o seminário “Descomplica!”, no qual defende mudanças fiscais e promete “menos impostos e mais empregos”, e que já realizou em Imperatriz, Balsas, Caxias e São Luís, reunindo empresários, curiosos e apoiadores. Além disso, alimenta seu espaço na política maranhense conversando com aliados e trocando farpas cortantes e ácidas eventuais com políticos governistas de proa, como o presidente do PCdoB, deputado federal Márcio Jerry, e até mesmo com o governador Flávio Dino (PCdoB). É improvável que anuncie seu rumo ainda neste ano.

Seu iminente colega de partido e provável companheiro de chapa, Josimar de Maranhãozinho, vive um momento infernal, com a Polícia Federal no seu encalço por ordem da Justiça, investigando a suspeita de o parlamentar é o cabeça de um amplo e milionário esquema de corrupção por meio de desvio de dinheiro de emendas parlamentares. Josimar de Maranhãozinho nega enfaticamente envolvimento na falcatrua, mas imagens e conversas gravadas pela PF estão minando fortemente a sua imagem e a sua base políticas. O parlamentar tem dito e repetido que é vítima de perseguição e que sua pré-candidatura está mantida. Há quem avalie que seu futuro depende de um posicionamento de Roberto Rocha.

Se por um lado vem surpreendendo pelo desempenho nas pesquisas de opinião, tendo alcançado 8% de intenções de voto em uma delas, o prefeito Lahesio Bonfim não tem sido bem-sucedido no campo partidário. Ele deixou o PSL e apostou alto que sua filiação ao PTB lhe daria também o comando do partido no Maranhão, o que aumentaria expressivamente o seu cacife político. Tropeçou feio, porque chegou a se anunciar como presidente do partido, mas foi duramente desautorizado pelo comando nacional petebista, que confirmou a deputada estadual “terrivelmente evangélica” Mical Damasceno no comando da agremiação trabalhista no Maranhão. Rumores sugerem que sua candidatura corre riscos.

Vele, portanto, repetir que, a menos que haja uma reviravolta, a Oposição caminha para as urnas mergulhada em problemas.

quinta-feira, 9 de dezembro de 2021

Josimar teve crescimento patrimonial de 1.652% em dez anos


O Globo – Na mira da Polícia Federal em inquérito que apura o desvio de dinheiro público de emendas parlamentares, o deputado Josimar Maranhãozinho (PL-MA) registrou um crescimento patrimonial que superou a sua ascensão na política.

Em 2008, quando tentou a reeleição a prefeito de Maranhãozinho, no Maranhão, Josimar declarou que os seus bens somavam R$ 463,9 mil. Dez anos depois, quando concorreu ao cargo de deputado federal, o patrimônio informado foi de R$ 14,5 milhões. Ou seja, uma alta de 1.652%, em valores já corrigidos no período.

Nas prestações de conta à Justiça Eleitoral, Maranhãozinho tem como costume declarar dinheiro vivo. Em 2014, quando disputou uma vaga de deputado estadual, informou ter R$ 100 mil em espécie. Em 2018, esse valor passou para R$ 1,4 milhão — além de dez consórcios que somavam R$ 254.728.

Devido à sua influência política no Maranhão, o parlamentar foi alçado ao comando do diretório do PL no estado, sob a bênção de Valdemar Costa Neto, manda-chuva do partido. A nível local, Maranhãozinho é tido como um hábil articulador político, que prefere atuar nos bastidores. Nas reuniões internas do PL, o parlamentar costuma se vangloriar de ter conquistado, nas eleições municipais de 2020, o controle político de mais de 40 prefeituras.

O que as investigações da PF têm mostrado, no entanto, é que todo esse poderio político pode ter sido conquistado, ao longo dos últimos anos, por meio de uma relação conflituosa entre o público e o privado. A investigação sigilosa da PF implica Maranhãozinho em uma série de crimes, que vão de peculato a lavagem de dinheiro, passando por organização criminosa e fraude em licitação. Segundo os investigadores, Maranhãozinho usaria o dinheiro desviado para fins particulares, mas também para cooptar aliados.

A PF suspeita que o dinheiro manuseado pelo deputado nas gravações que vieram à tona na última semana seria proveniente de um esquema de desvio de emendas parlamentares, por meio de prefeituras comandadas por aliados políticos do parlamentar. Essas prefeituras, segundo as investigações, contratariam empresas ligadas ao deputado para desviar os recursos. Ele nega as irregularidades.

As alianças políticas de Maranhãozinho sempre foram ecléticas: passam pelo PT, PCdoB e diversos partidos de centro. Isso fez com que passasse a ser reconhecido menos como “ideológico” e mais como “municipalista”, como ele mesmo gosta de afirmar.

Tanta influência fez com que o deputado rompesse relações com o governador Flávio Dino (PSB), com quem fez dobradinha na campanha de 2018, para se lançar como pré-candidato na corrida para o governo do estado no ano que vem.

Mesmo estando na mira da PF, Maranhãozinho continua presidente estadual do partido, contando com a confiança de Valdemar. Mesmo a avalanche de notícias negativas, com a Polícia Federal cada vez mais no seu encalço, Maranhãozinho tem dito que não desistiu da pré-candidatura.

Negócios
O parlamentar costuma se vangloriar de ser um fenômeno nos negócios e na política. Nascido em Várzea Alegre, na Região do Cariri, no Ceará, em 13 de novembro de 1976, Maranhãozinho costuma enfatizar nos palanques e nos discursos que teve uma “história sofrida” antes de virar político e pecuarista. Dessa forma, se apresenta como um empresário e político de sucesso, que começou a trabalhar com 13 anos e, um ano depois, se mudou para Manaus para ganhar a vida como caixeiro-viajante. De porta em porta, vendia cadeiras de fios de plástico, além artigos domésticos. Com 17 anos, já vendia produtos em outros estados do Norte e Nordeste, enquanto montava sua própria rede de distribuição.

Depois de três décadas atuando no varejo, iniciou a carreira política na pequena Maranhãozinho, cidade de 16 mil habitantes a 250 quilômetros da capital São Luís. É daí que vem o seu apelido político. Em 2004, se tornou prefeito de Maranhãozinho, vencendo sua primeira eleição. Naquela época já se apresentava também como pecuarista.

Aos poucos, Maranhãozinho foi ampliando a influência em municípios vizinhos. Em 2008, ele se reelegeu prefeito de Maranhãozinho. Sua mulher, Maria Deusdete Lima, a Detinha, tornou-se prefeita do município vizinho, chamado Centro do Guilherme. Em 2012, José Auricelio de Morais, seu ex-motorista, o sucedeu como prefeito de Maranhãozinho. Naquele mesmo ano, a mulher, Detinha, foi reeleita prefeita de Centro do Guilherme, e o irmão, Aldir Cunha Rodrigues, assumiu o comando da prefeitura de outro município vizinho, Junco do Maranhão.

Em 2015, mesmo ano em que concluiu o curso de Administração por uma universidade particular de São Luís, Maranhãozinho se elegeu deputado estadual pelo PR, cargo que ocupou, até 2019, quando se torna parlamentar federal.

sexta-feira, 3 de dezembro de 2021

Othelino Neto aproveita prorrogação para unificação com o PL de Josimar


O Presidente do Partido Liberal, o deputado federal e pré-candidato ao governo do Maranhão, Josimar Maranhãozinho, esteve reunido com o Presidente da Assembleia Legislativa, Othelino Neto (PCdoB). O convite foi feito pelo próprio Othelino que quis ouvir as propostas do PL (oposição ao Governo) e tratar sobre assuntos políticos bem como a forma a AL conduzirá os trabalhos em 2022.

Estiveram presentes, a deputada Detinha, o deputado e vice-presidente do PL, Vinícius Louro, e o deputado Hélio Soares.

“Esse diálogo é fundamental para o futuro político do Maranhão em todas as esferas. Othelino é um grande articulador e certamente tem um olhar de transformação, buscando o que é melhor para o nosso estado”, disse Josimar Maranhãozinho.

Vinícius Louro pontuou o fortalecimento cada vez maior do partido e do apoio do presidente da Casa Legislativa do Maranhão. “Certamente o nosso partido ganha forças com os aliados em todo o estado. Othelino é um grande político e seu trabalho ecoa em cada canto do Maranhão. Essas discussões enriquecem a parceria em prol do povo maranhense e das transformações que queremos”, destacou o parlamentar.

domingo, 28 de novembro de 2021

Se Rocha entrar no PL, Josimar pode ceder a vaga de candidato a governador


A filiação do presidente Jair Bolsonaro ao PL pode mudar os planos do deputado federal Josimar de Maranhãozinho, que preside o partido no Maranhão, de manter sua candidatura ao Governo do Estado. O “X” da questão está no destino partidário do senador Roberto Rocha. 

Se o senador ingressar também no partido, como está previsto, e resolver disputar o Palácio dos Leões com o aval do presidente da República, é provável que a cúpula nacional do partido desencadeie uma operação no sentido de convencer o chefe do PL a ceder a vaga de candidato a governador a Roberto Rocha. 

Um interlocutor habitual e confiável de Josimar de Maranhãozinho garante que, se tal situação vier a se configurar, a cúpula do PL nada imporá ao parlamentar, devendo resolver a situação na base da conversa. 

Isso porque, segundo essa fonte, Josimar de Maranhãozinho é hoje “homem de confiança” do presidente Waldemar Costa Neto, que não tem nenhum interesse em enfraquecê-lo na sua base. E afirma que Roberto Rocha e Josimar de Maranhãozinho são amigos e estão afinados, o que assegura que, se houver a mudança, ela será negociada, sem prejuízo para o chefe do PL. 

Outra hipótese viável, mas um pouco mais distante, será Roberto Rocha disputar a senatória e Josimar de Maranhãozinho manter sua candidatura aos Leões.

terça-feira, 16 de novembro de 2021

Roberto Rocha articulou para tomar PL de Josimar


Teria partido do senador Roberto Rocha a articulação para que o presidente da República, Jair Bolsonaro, a pedir ao presidente nacional do PL, Waldemar da Costa Neto, a substituição do deputado federal Josimar de Maranhãozinho como presidente da sigla no Maranhão.

As informações foram divulgadas por aliados do parlamentar e nacionalmente pele CNN Brasil.É o que dizem aliados do parlamentar.

Como já é de conhecimento público, Roberto Rocha está sem partido e tem buscado sem sucesso uma legenda. Atualmente ele é conhecido por ser da tropa de choque de Bolsonaro, devido ao afinamento com o presidente da República.

Segundo pessoas ligadas a Josimar de Maranhãozinho, foi devido a essa proximidade que ele tentou um “pulo do gato”, para tomar o partido do deputado e atuar como um coordenador da campanha à reeleição de Bolsonaro no Maranhão.

Mas Costa Neto colocou o "pé na parede" e não aceitou a possibilidade de mudança no comando estadual do PL.

quinta-feira, 11 de novembro de 2021

Bolsonaro no PL de Josimar, atrapalha as pré-candidaturas de Lahesio Bonfim e Roberto Rocha


A provável ida do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) para o Partido Liberal deve mexer no tabuleiro eleitoral maranhense e implodir as pré-candidaturas de pelo menos dois bolsonaristas ao Palácio dos Leões em 2022.

São eles: o senador Roberto Rocha (PSDB) e o prefeito de São Pedro dos Crentes, Lahesio Bonfim (PTB).

Quem manda no PL no estado é o deputado federal Josimar Maranhãozinho, que já foi da base do governador Flávio Dino (PSB), mas virou oposição no meio do ano e busca se viabilizar como terceira via na disputa pelo comando do Poder Executivo do Estado na eleição do ano que vem.

No caso de Rocha, desde que perdeu o comando do PSDB maranhense para o vice-governador Carlos Brandão, tem dito que aguarda uma definição de Bolsonaro para se filiar ao mesmo partido. Se Bolsonaro confirmar a filiação ao PL, a tendência é de que o senador siga o mesmo caminho, mas desde que entre na legenda como liderado e apoiador da pré-candidatura de Josimar, aliado do manda-chuva nacional do PL, Valdemar Costa Neto.

Já Lahesio, que recentemente deixou o PSL para se filiar ao PTB, tem se colocado na disputa apenas sob a expectativa de ser o escolhido de Bolsonaro no Maranhão, possibilidade que se encerrará instantaneamente caso o presidente se filie ao partido de Josimar Maranhãozinho.

Sob esse novo cenário, a tendência é de que Josimar, que já possui musculatura própria, cresça na preferência do eleitorado bolsonarista no estado, inclusive entre evangélicos.

Com informações do Blog Atual 7

segunda-feira, 8 de novembro de 2021

Josimar mostra força política ao reunir mais 10 mil pessoal Itapecuru-Mirim


O ato de filiações organizado pelo PL, Avante e Patriotas, partidos que integram o grupo comandado pelo deputado federal Josimar, pré-candidato ao Governo do Maranhão, reuniu 10 mil pessoas no município de Itapecuru-Mirim, distante 115 quilômetros de São Luís.

Pré-candidato a governador, o liberal é hoje o principal nome da oposição ao governo Flávio Dino (PSB), e mostra que tem força para fazer frete ao projeto de poder do Palácio dos Leões.

¨O Maranhão precisa mudar seus indicadores na pratica e não em discursos. Nós fazemos e vamos fazer muito mais para ajudar o estado a virar essa triste pagina da história!¨ disse, em seu discurso.

O encontro aconteceu em um posto de gasolina às margens da BR-222 e levou prefeitos, vereadores, ex-prefeitos, ex-candidatos a prefeitos, deputados federais e estaduais.

¨Hoje estou muito feliz! Fui impressionado com a quantidade de pessoas, pois confesso que imaginava um grande público, mas foi muito maior do que eu podia imaginar. Podem criar pesquisar fantasiosas, mas aqui está o nosso povo para responder todas essas pesquisas¨, assinalou.

O ato de Josimar foi considerado o maior de sua pré-campanha até o momento.

terça-feira, 2 de novembro de 2021

Waldir Jorge Neto é cotado para compor chapa com Josimar de Maranhãozinho


A pré-candidatura de Waldir Jorge Neto para Deputado Estadual começou a ser ventilada após a vitória da sua mãe, Maura Jorge (PSDB), para a Prefeitura de em Lago da Pedra, e o pai, Rui Filho (PTB), para a Prefeitura de Arari. Com duas bases importantes para iniciar sua caminhada, especularam que o jovem empresário teria poucas dificuldades para conquistar uma das cadeiras no parlamento estadual. 

Apesar da forte pré-campanha iniciada por simpatizantes, principalmente nas redes sociais, Waldir tem se dedicado em apoiar as ações e na busca por mais benefícios ao município de Lago da Pedra. Paralelo a isso, começou a circular nas rodas políticas que Waldir Jorge estaria articulando com lideranças políticas a nível estadual uma aliança com setores que apoiam Jair Bolsonaro no estado, dentre eles, o deputado federal e presidente do PL, Josimar de Maranhãozinho.

Josimar recentemente rompeu com o governador Flávio Dino (PSB), travando confronto direto com o socialista e junto com os seus 50 prefeitos é o nome mais viável para o palanque de Bolsonaro em 2022 em nosso estado.

Para isso, estão buscando bolsonaristas raízes para compor essa grande união, que teria o apoio do senador Roberto Rocha (sem partido), do prefeito de São Pedro dos Crentes, Lahésio Bonfim, e que pode desaguar no jovem Waldir, como o futuro candidato a vice-governador na chapa encabeçada por Maranhãozinho.

Vale destacar que nas eleições para governo em 2018, Maura Jorge obteve 8% dos votos, ou seja, mais de 247 mil votos. Demonstrou que tem força política e sabe agregar apoio dos eleitores conservadores, fatores que colocam seu o filho como o perfil ideal para compor a chapa e fortalecer a pré-candidatura de Josimar.

É aguardar para conferir...



Com informações do Blog Carlinhos Filho

quarta-feira, 27 de outubro de 2021

Bolsonaro no PL o "poder de fogo" de Maranhãozinho será testado


O presidente nacional do PL, o notório ex-deputado federal Waldemar Costa Neto, convidou o presidente Jair Bolsonaro e sua turma, encabeçada pelos três filhos, a se filiarem ao partido. Como fracassou em criar o próprio partido, já perdeu o PSL, foi descartado pelo Patriota e sofreu fortes e duras restrições ao tentar se aproximar do PP, não será surpresa se o presidente aceitar o convite do chefão do partido. A se confirmar tal hipótese, incluindo a provável adesão do senador Roberto Rocha ao movimento migratório, ela terá fortes e graves desdobramentos na política maranhense.

Para começar, o deputado federal Josimar de Maranhãozinho, que controla com mão de ferro o braço do PL no estado, muito provavelmente será alçado à condição de chefe do bolsonarismo no Maranhão, e nessa condição poderá tornar irreversível o seu projeto de candidatura à sucessão do governador Flávio Dino (PSB). Poderá também acontecer o contrário, caso Roberto Rocha venha a ser brindado com o “posto”, o que é mais provável, porque parece ser esse o projeto que o senador cultiva enquanto aguarda a definição do pouso partidário do presidente.

Se Waldemar Costa Neto conseguir atrair o presidente Jair Bolsonaro e sua turma para o PL, é muito provável que em algum momento o comando do partido no Maranhão seja colocado em xeque. E aí se saberá qual é o real poder de fogo de Josimar de Maranhãozinho.