Mostrando postagens com marcador Maranhão. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Maranhão. Mostrar todas as postagens

segunda-feira, 6 de dezembro de 2021

Roberto Rocha diz que Maranhão ficou mais vermelho com Dino


O senador Roberto Rocha voltou a criticar, nas redes sociais, o governador Flávio Dino a quem responsabilizou pelo aumento da pobreza no Maranhão.

Utilizando os dados do IBGE, Roberto rocha lembrou que Maranhão e Piauí disputavam os maiores índices de pobreza no país.

E disparou: “Com Flávio Dino, o Maranhão ficou mais vermelho”.


“É de fato surpreendente a capacidade do governador Flávio Dino de fazer o que parecia impossível. Vocês lembram que o Maranhão e o Piauí disputavam os piores resultados do país? Pois é… taí o resultado da pesquisa do IBGE. Com Flávio Dino, o Maranhão ficou mais vermelho˜, escreveu nas redes sociais.

sexta-feira, 3 de dezembro de 2021

Brandão articula mudança para o PSB


Frustrado na reunião que deveria decidir por seu nome como candidato único da base, o vice-governador Carlos Brandão deve seguir a orientação do governador Flávio Dino e trocar o PSDB pelo PSB.

A articulação, que deve ser efetivada até o início de janeiro, visa dois objetivos básicos:

1 – livrar-se da pecha de tucano e da tutela do agora candidato a presidente João Dória Júnior, após ter apoiado Eduardo Leite nas prévias;

2 – ampliar as chances de ter aliança com o PT, numa articulação nacional que poria o partido do presidente Lula longe do palanque do senador Weverton Rocha (PDT)

Essa troca do PSDB pelo PSB já havia, inclusive, sido anunciada, em julho, no blog Marco Aurélio D’Eça, no post “Brandão pode trocar PSDB pelo PSB…”

O problema para Brandão é o destino do PSDB no Maranhão.

Nem ele, nem seu principal apoiador, Flávio Dino, querem perder o ninho tucano no estado, apesar de terem interesse no PT; deixar a legenda acéfala atrairia interesse de adversários, como o próprio Weverton Rocha.

Com sua entrada surpresa no PSDB, Brandão cometeu um erro estratégico, analisado no blog Marco Aurélio D’Eça ainda em março, no post “Brandão ganhou ou perdeu com o PSDB?”

Essa articulação tirou dele dois apoiadores de peso: o deputado federal Cléber Verde, a quem sequer foi comunicada sua saída do Republicanos, e a senadora Eliziane Gama (Cidadania), que vinha cotada para assumir o PSDB no Maranhão.

Agora, o vice-governador tenta consertar o equívoco fazendo novo gesto, dessa vez em direção às esquerdas; tanto que já ate trocou suas cores de campanha do azul e amarelo para o azul e vermelho. 


Com informações do Blog do Marco D`eça

quinta-feira, 2 de dezembro de 2021

Aluísio Mendes está fora do palanque de Bolsonaro no Maranhão


O deputado federal Aluísio Mendes (PSC), já comunicou o presidente Jair Bolsonaro que não estará em seu palanque no Maranhão. A tomada de posição se deu por conta da filiação do Presidente da República ao Partido Liberal, PL, que é presidido no estado pelo deputado federal Josimar de Maranhãozinho.

“Já estive com o presidente e comuniquei a ele que continuo seu amigo, seu líder no congresso nacional e pedirei votos para ele nas eleições. Mais infelizmente não poderei estar no seu palanque, se nele estiverem pessoas denunciadas por crimes como formação de bando ou quadrilha armada, furto qualificado, desvios de recursos públicos e etc, como é o caso do presidente do PL no Maranhão.” disse Mendes.

Aluísio não é apenas adversário, é um inimigo político de Josimar. Em seu histórico, coleciona discursos acalorados e recheados de acusações das mais graves possíveis contra Maranhãozinho. São considerados, portanto, arqui-inimigo políticos.

Atual presidente do PSC maranhense, Mendes precisa urgentemente adotar uma estratégia para formar uma nominata forte em seu partido visando a disputa das eleições 2022, caso contrário, diante do fim das coligações, terá de filiar em outra agremiação partidária por sobrevivência política.

quarta-feira, 1 de dezembro de 2021

Pesquisa: Roseana segue na liderança para o Governo no Maranhão


O Instituto Escutec traz mais uma pesquisa de intenção de votos para governador, senador e presidente da República no Maranhão. No cenário principal que incluiu todos os pré-candidatos, a ex-governadora Roseana Sarney (MDB) lidera. Nos demais cenários sem a emedebista, o senador Weverton Rocha (PDT) aparece em primeiro.


Foram entrevistados 2 mil eleitores nos dias 23 a 27 de dezembro. O intervalo de confiança da pesquisa é de 90% e a margem de erros é de três pontos percentuais para mais ou para menos. Diversos cenários foram realizados pelo Escutec.

O primeiro dele incluiu ainda a ex-governadora Roseana Sarney. Neste, ela lidera com 27% sendo seguida por Weverton Rocha com 17% e Edivaldo Holanda Júnior (PSD) com 11%. O senador Roberto Rocha aparece com 10%, o vice-governador Carlos Brandão (PSDB) com 7%, mesmo percentual do deputado federal Josimar de Maranhãozinho (PL). O prefeito Lahesio Bonfim aparece com 5%, Felipe Camarão (PT) com 3% e Simplício Araújo (SD) com 2%.
Já no cenário com quatro candidatos, Weverton Rocha vem com 23%. Em segundo aparece Roberto Rocha com 16% seguido por Edivaldo Júnior com 13% e Carlos Brandão com 12%.



Já no cenário também com quatro candidatos, mas sem Roberto Rocha e com Josimar de Maranhãozinho, Weverton conseguiu 26% da opinião dos eleitores, Edivaldo Júnior aparece com 16%, Carlos Brandão com 13% e Josimar com 12%.


Num quarto cenário, Weverton Rocha mantém mesmo percentual dos cenários anteriores. Já Edivaldo Júnior vem com 17%, seguido de Brandão com 13% e mais distante aparece Felipe Camarão com 4%.

A disputa pelo Senado, o Instituto Escutec mostra que o governador Flávio Dino (PSB) lidera a disputa. Ele aparece com 41%. Em segundo, vem o senador Roberto Rocha com 26%, Edivaldo Júnior com 12% e Othelino Neto (PCdoB) com 4%. O pré-candidato ao Senado pelo PT, Paulo Romão, teve 1%.

Num segundo cenário com confronto direto entre Dino e Roberto Rocha, o socialista aumenta a vantagem e chega a 45%. O senador alcança 29%.

No confronto direto de Dino com Roberto Rocha, o socialista aumenta vantagem.

MDB do Maranhão "rachado" para as eleições 2022


Enfraquecido desde as últimas eleições no Maranhão, o MDB pode chegar em 2022 ainda mais dividido para o próximo pleito.

O ex-senador Lobão Filho rechaçou, a postura do deputado estadual Roberto Costa (MDB), que atua como porta-voz da legenda, se posicionou a favor da candidatura de Carlos Brandão (PSDB) e fez transparecer que esse seria o posicionamento oficial do partido.

“Eu acredito que o Roberto Costa não tem o direito de falar em nome do MDB como ele falou. Ele está muito enganado. Se ele tem os interesses dele no governo, isso é problema dele. Roberto Costa foi presidente do MDB. Quem manda agora é Roseana”, frisou Edinho.

O “chega pra lá” de Edinho em Roberto Costa foi dado durante entrevista aos jornalistas Glaucio Ericeira e Clodoaldo Corrêa, no programa Ponto Continuando, ocasião em que o empresário confirmou o seu interesse em disputar uma das vagas na Câmara Federal no próximo ano.

Resta saber se após essas declarações e com o MDB cada vez mais governista, Lobão Filho permanecerá no MDB. É aguardar para conferir...

Com informações do Blog Marrapá

terça-feira, 30 de novembro de 2021

Flávio Dino frustra Brandão e adia para 2022 decisão sobre candidato


O governador Flávio Dino (PSB) praticamente jogou uma pá-de-cal na candidatura do vice-governador Carlos Brandão (PSDB), ao adiar para janeiro a decisão sobre o candidato da base.

As lideranças da base governista entenderam que Brandão não reúne as condições para ser o candidato de consenso, o que frustrou o tucano e seus aliados, que já davam como certa sua indicação.

O blog Marco Aurélio D’Eça já havia indicado que o adiamento era o caminho mais provável na reunião de hoje

Segundo apurou o blog, o posicionamento inicial do secretário de Cidades Márcio Jerry (PCdoB), pregando o adiamento, influenciou a decisão do grupo.

Embora não atenda a nenhum dos critérios para ser escolhido candidato – pelo menos por enquanto – Carlos Brandão, seus familiares e seus aliados espalhavam desde sexta-feira, 26, vídeos em que davam como certa a sua escolha.

Pressionado pelos aliados do vice-governador, Flávio Dino ainda tentou convencer lideranças já alinhadas à candidatura do senador Weverton Rocha (PDT) a declarar apoio ao tucano, mas recebeu não de todos eles.

Durante a reunião, os aliados reforçaram a tese em favor de Weverton, mas aceitaram o adiamento, o que foi confirmado Por Dino.

Brandão e seus aliados deixaram a reunião frustrados.

Por Marco D'eça

segunda-feira, 29 de novembro de 2021

Roseana pode dar palanque no MA a candidatura de Simone Tebet a Presidência


A confirmação do nome da senadora Simone Tebet para disputar a Presidência da República pelo MDB, feita nesta quinta-feira, 25, pelo dirigente nacional da legenda, Baleia Rossi, pode gerar desdobramentos significativos da sigla nos estados.

No Maranhão, um dos nomes fortes do partido para concorrer ao Governo do Estado é o da ex-governadora e ex-senadora Roseana Sarney, que atualmente preside o diretório regional do MDB e tem aparecido na liderança das intenções de votos em todas as pesquisas, com um patamar acima dos 20%.

Em âmbito nacional, o partido apresenta a indicação do nome da senadora Simone Tebet como uma terceira via eleitoral, para furar a polarização política entre os pré-candidatos Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) que busca a reeleição por mais quatro anos no Planalto.

Aqui no Maranhão, a cúpula estadual do MDB ainda discute qual melhor caminho a seguir no próximo pleito, inclusive com a possibilidade da montagem de um palanque equilibrado no estado.

domingo, 28 de novembro de 2021

Se Rocha entrar no PL, Josimar pode ceder a vaga de candidato a governador


A filiação do presidente Jair Bolsonaro ao PL pode mudar os planos do deputado federal Josimar de Maranhãozinho, que preside o partido no Maranhão, de manter sua candidatura ao Governo do Estado. O “X” da questão está no destino partidário do senador Roberto Rocha. 

Se o senador ingressar também no partido, como está previsto, e resolver disputar o Palácio dos Leões com o aval do presidente da República, é provável que a cúpula nacional do partido desencadeie uma operação no sentido de convencer o chefe do PL a ceder a vaga de candidato a governador a Roberto Rocha. 

Um interlocutor habitual e confiável de Josimar de Maranhãozinho garante que, se tal situação vier a se configurar, a cúpula do PL nada imporá ao parlamentar, devendo resolver a situação na base da conversa. 

Isso porque, segundo essa fonte, Josimar de Maranhãozinho é hoje “homem de confiança” do presidente Waldemar Costa Neto, que não tem nenhum interesse em enfraquecê-lo na sua base. E afirma que Roberto Rocha e Josimar de Maranhãozinho são amigos e estão afinados, o que assegura que, se houver a mudança, ela será negociada, sem prejuízo para o chefe do PL. 

Outra hipótese viável, mas um pouco mais distante, será Roberto Rocha disputar a senatória e Josimar de Maranhãozinho manter sua candidatura aos Leões.

sábado, 27 de novembro de 2021

Prefeitos acusam Brandão de não cumprir compromissos


Preferido da dupla Jerry e Dino para a sucessão do ano que vem, Carlos Brandão não é lá unanimidade entre prefeitos do Maranhão.

A fama de sem palavra do vice-governador do estado é antiga, mas passou a correr com mais força entre a classe política no início deste ano, quando ele se meteu a articulador político e tentou, em conluio com o governador, tomar a força a presidência da Federação dos Municípios do Maranhão.

Na ocasião, tentando passar a rasteira em Erlanio Xavier para transformar a entidade em trampolim eleitoral, Brandão e os irmãos prometeram mundos e fundos para colocar Fábio Gentil na presidência da Famem.

Sentado na cadeira de governador nas férias de Dino, Brandão recebeu uma procissão de prefeitos no Palácio dos Leões, prometendo convênios, asfaltos, pontes, ambulâncias e equipamento para gestores recém-eleitos em troca de apoio ao prefeito de Caxias.

A mobilização para tomar a Famem de assalto foi em vão. Brandão e Dino foram derrotados pela maioria dos gestores, que não aceitaram a interferência dos leões de bronze do palácio numa disputa interna corporis. Constrangido, o vice-governador não teve prestígio, muito menos moral, para garantir o cumprimento dos compromissos firmados em troca de votos na chapa encabeçada por Fábio Gentil.

sexta-feira, 26 de novembro de 2021

Flávio Dino criou “Conselhão da Corrupção” com recursos públicos


Dados do Portal da Transparência do Governo do Maranhão revelam um grupo de funcionários beneficiados com R$ 34 milhões durante o governo Flávio Dino. A denúncia, feita pelo deputado estadual Wellington do Curso, mostra que o governador criou uma espécie de “Conselhão da Corrupção” pago com dinheiro público.

“O governador Flávio Dino já gastou R$ 34 milhões só com jetons para aliados políticos. Isso deveria ser uma gratificação para os funcionários que participassem de reuniões e conselhos. Ocorre que, no Maranhão, isso é um verdadeiro conselhão da corrupção”, destacou o parlamentar.

A forma de desviar os recursos públicos para os bolsos de aliados políticos seria por meio de gratificações, os chamados “jetons”. Esses recursos são pagos a funcionários públicos pela participação em reuniões e conselhos. Os aliados de Flávio Dino plantados no governo tinham seus salários turbinados por estas gratificações.

Wellington mostrou dados extraídos do Portal da Transparência que confirmam suas denúncias. O mais surpreendente é que mesmo no período da pandemia, quando o governo instituiu o homem office e determinou o cancelamento de diversas atividades presenciais, continuou o pagamento de gratificações a aliados políticos que participaram de reuniões e conselhos.

quinta-feira, 25 de novembro de 2021

Aliados de Weverton resistem à pressão do Palácio dos Leões

Para tentar esvaziar a candidatura do próprio aliado Weverton Rocha, Flávio Dino chegou a oferecer a vice de Brandão a Othelino Neto


O governador Flávio Dino (PSB) já se decidiu por apoiar a candidatura do seu vice, Carlos Brandão (PSDB), ao Governo do Estado; mas não quer pagar o ônus de escolher alguém que não atenda aos critérios estabelecidos por ele próprio na carta-compromisso assinada em julho.

Por isso, o governador passou a agir pessoalmente na tentativa de cooptação de lideranças que apoiam o próprio aliado, senador Weverton Rocha (PDT).

Fez assim com a senadora Eliziane Gama (Cidadania) e com o presidente da Assembleia Legislativa, Othelino Neto (PCdoB).

Ao presidente da Assembleia ofereceu a vice de Brandão ou sua primeira suplência; a Eliziane, ofereceu espaços vários no governo. E ainda pediu que ajudassem a demover Weverton da ideia de ser candidato.

Dos dois, ouviu “não”.

Flávio Dino sabe que não terá como explicar aos líderes da base a opção por Brandão sem que o vice atenda a nenhum dos pré-requisitos para ser candidato: não lidera as pesquisas, não tem apoio de partidos e não agrega as lideranças da base.

De qualquer forma, o governador entendeu ser necessária uma ação de cooptação direta após o fracasso das tentativas da família Brandão.

Têm virado piada nas redes sociais, sobretudo, as tentativas de Marcos Brandão de pôr boné em quem não se sente à vontade em votar no seu irmão.

Por Marco D'eça

quarta-feira, 24 de novembro de 2021

Waldir Maranhão diz ser o "comandante oculto" no PROS de Chico Carvalho


O ex-deputado federal Waldir Maranhão tem se apresentado a aliados e colegas políticos como o comandante oculto do PROS no Maranhão.

Recentemente, o partido foi entregue ao comando do vereador Chico Carvalho, com a responsabilidade de organizá-lo para as eleições de 2022.

A interlocutores, Maranhão tem dito que é ele o verdadeiro comandante da legenda; e que a entrada de Carvalho foi acordada com ele e a direção nacional.

Por Marco D'eça

terça-feira, 23 de novembro de 2021

Roseana volta a cogitar entrar na disputar para o Governo


Roseana Sarney pode disputar o Governo do Maranhão em 2022. Essa é a nova informação que chega do QG da ex-governadora. Com uma equipe montada desde o meio desse ano, a filha de José Sarney está avaliando todos os cenários e conversando diariamente com lideranças políticas, e após as últimas pesquisas o martelo foi batido: se a emedebista se mantiver na liderança e as pré-candidaturas de Brandão (PSDB), Josimar (PL) e Weverton (PDT), se mantiverem para eleição, a Guerreira vai entrar na disputa majoritária.

Na última pesquisa divulgada pela Tv Band, o Instituto DataIlha mostrou Roseana com 20,5% contra 10,3% de Weverton; 8,7% de Brandão; 8,6% de Edivaldo Júnior (PSD); Lahesio (PTB) 7,5%; Roberto Rocha (sem partido) 6,7%, Josimar 6,4%; Felipe Camarão (PT) 3,6% e Simplicio (SD) 0,9%.

Na avaliação de Roseana e sua equipe, caso venha concorrer ao Governo do Maranhão, ela larga a disputa eleitoral com 30%, mesmo percentual que ela alcançou em 2018. Com a possibilidade de Weverton, Brandão e Josimar disputarem os 70% restantes, a ex-governadora avalia que suas chances são reais de chegar em um provável segundo turno.

Com a ida de Roseana ao segundo turno, existe a expectativa, que o movimento semelhante ao que aconteceu em São Luís em 2020 volte a se repetir, quando nem todos os membros do Grupo Flávio Dino apoiaram Duarte Júnior no segundo turno. Naquela oportunidade, os candidatos Neto Evangelista e Yglesio optaram por seguir com Braidee Jeisael se manteve neutro.

Para Roseana Sarney, ela estando no segundo turno, independente do seu adversário, ela tem a certeza que contará com o apoio dos demais, pois hoje a relação entre o trio é totalmente conflituosa.

Em um provável confronto com Weverton no segundo turno, Roseana acredita que teria o apoio de Brandão e Flávio Dino. Caso dispute com Brandão, que está sendo o cenário mais cogitado no momento, a ex-governadora acredita que aglutinaria Weverton e Josimar de Maranhãozinho em seu palanque.

Roseana conta com um cenário ainda mais facilitador para sua candidatura ao Governo do Maranhão, a confirmação de Felipe Camarão e Edivaldo Júnior como candidatos, que deixariam os votos ainda mais divididos em todo o estado.

A possibilidade de voltar a disputar o cargo de governadora vem empolgando aliados, principalmente os emedebistas, o deputado federal Hildon Rocha (MDB), tem sido um dos maiores entusiastas, afinal ter Roseana Sarney na disputa majoritária, naturalmente traria mais votos de legenda ao 15, assim como aglutinaria outras forças, possibilitando eleger mais estaduais e federais.

Para o cargo de Senado, existiria um dialogo com outros partidos e o erro de 2018 não seria repetido, quando colocaram os aliados de sempre e familiares, caso de Lobão e Sarney Filho.

A verdade é que Roseana vai se manter preparada para a disputa de governadora até o dia 30 de junho, quando finalmente o cenário estiver mais claro e próximo de ser definido.

segunda-feira, 22 de novembro de 2021

Osmar Filho destaca atuação de uma política municipalista


O presidente da Câmara Municipal de São Luís, vereador Osmar Filho (PDT), esteve neste fim de semana no município de Timon, para mais um encontro da caravana Maranhão Mais Feliz, promovido pelo PDT.

“O PDT tem como característica estar próximo da população e por isto aposta em um projeto municipalista”, disse o vereador, que é pré-candidato a uma vaga na Assembleia Legislativa.

O objetivo do encontro itinerante é debater com lideranças políticas, regionais e moradores do município projetos para o estado, em áreas prioritárias como educação, saúde, segurança e infraestrutura.

<“Estamos aqui para debater propostas, colher sugestões e, principalmente, para ouvir a população sobre o que precisa e espera para os próximos anos”, falou Weverton durante o evento. Timon é a sexta cidade a receber os encontros regionais promovidos pelo PDT. O próximo município deve ser a capital maranhense.

Sinais indicam que DEM não se deu bem na fusão com o PSL


Todas as avaliações feitas por cronistas políticos importantes do cenário nacional indicam que o DEM não se deu bem na fusão com PSL.

Sinais dessa conclusão são os movimentos lentos e cautelosos do presidente do partido no Maranhão, deputado federal Juscelino Filho, que vem perdendo a condição de interlocutor do partido no Maranhão e no Congresso Nacional.

O problema é que depois do anúncio da fusão para a criação do União Brasil, o chefe do DEM no Maranhão viu seu partido caminhar para o raquitismo, com a iminente saída dos deputados estaduais Antônio Pereira, que vai para o PSB, e Daniella Tema, que ainda não definiu seu futuro partidário, além da debandada de alguns prefeitos do partido.

Os próximos desdobramentos da fusão dirão o tamanho do desgaste do deputado Juscelino Filho e como ele reagirá a essa perda de poder.

quinta-feira, 18 de novembro de 2021

Haddad admite aliança PT/PDT no Maranhão


Possível candidato ao governo de São Paulo, Fernando Haddad (PT) disse nessa terça-feira, 16, em entrevista ao Uol, que reconhece a aliança entre o PT e o PDT no Maranhão na disputa do governo do estado no próximo ano.

O ex-prefeito disse que o partido do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva está articulando a composição de uma aliança com o PDT, do senador Weverton Rocha, pelo Palácio dos Leões em 2022.

“PT e PDT podem estar juntos em outros estados. No Maranhão, há negociações com o PDT. O senador Weverton é uma possibilidade de composição do setor progressista pela sucessão de Flávio Dino”, declarou, em entrevista ao UOL.

A declaração desmorona a pré-candidatura de fachada do secretário de Estado da Educação, Felipe Camarão, que se filou recentemente ao PT e tem espalhado a falsa informação de que teria o aval do partido para a disputa.

Também fragiliza o governador Flávio Dino (PSB), que tem tratado diretamente com Lula sobre o apoio do PT ao vice-governador Carlos Brandão (PSDB), seu sucesso natural e a quem pretende anunciar apoio durante reunião com lideranças partidárias, incluindo petistas, marcada para o fim do mês.

Fernando Haddad deu a declaração ao avaliar a possibilidade da composição de uma chapa entre esses dois partidos para a disputa do governo de São Paulo em 2022, dizendo também que espera contar com o apoio de Ciro Gomes para a concretização dessa aliança.





quarta-feira, 17 de novembro de 2021

Flávio Dino e o dilema na escolha do seu candidato


O governador Flávio Dino (PSB) vem recebendo uma forte pressão – tanto pública quanto nos bastidores – de aliados do vice-governador Carlos Brandão (PSDB) para que anuncie seu candidato agora em novembro, como prometeu em julho.

Deputados aliados ao vice e setores da mídia alinhados ao seu projeto de poder fizeram manifestação pública em defesa do anúncio até o final do mês; já nos bastidores, lideranças ligadas a Brandão dizem que Dino não pode recuar, sob pena de prejudicar o tucano.

Mas Flávio Dino sabe que não tem elementos para impor o nome de Brandão neste momento.

Além de estar bem atrás nas pesquisas de intenção de votos – disputando o terceiro lugar em alguns cenários, bem distante dos líderes – o tucano não consegue a adesão de nenhum partido, além dos controlados pelo próprio Flávio Dino.

Diante do cenário de inviabilidade do vice-governador, Dino já foi aconselhado por lideranças aliadas locais e nacionais a adiar esta escolha – inclusive o próprio ex-presidente Lula.

E esta pressão dos dois lados tem deixado o governador sem rumo, sobretudo pelo fato de que, em queda livre na preferência do eleitorado para o Senado, ele vai necessitar totalmente de Brandão para consolidar sua própria eleição.

É neste cenário de insegurança e indefinição que Dino chega ao final do último ano de mandato.

E qualquer que seja a decisão de agora – definir o candidato ou adiar a escolha – terá consequências diretas na vida dele.

terça-feira, 16 de novembro de 2021

Roberto Rocha articulou para tomar PL de Josimar


Teria partido do senador Roberto Rocha a articulação para que o presidente da República, Jair Bolsonaro, a pedir ao presidente nacional do PL, Waldemar da Costa Neto, a substituição do deputado federal Josimar de Maranhãozinho como presidente da sigla no Maranhão.

As informações foram divulgadas por aliados do parlamentar e nacionalmente pele CNN Brasil.É o que dizem aliados do parlamentar.

Como já é de conhecimento público, Roberto Rocha está sem partido e tem buscado sem sucesso uma legenda. Atualmente ele é conhecido por ser da tropa de choque de Bolsonaro, devido ao afinamento com o presidente da República.

Segundo pessoas ligadas a Josimar de Maranhãozinho, foi devido a essa proximidade que ele tentou um “pulo do gato”, para tomar o partido do deputado e atuar como um coordenador da campanha à reeleição de Bolsonaro no Maranhão.

Mas Costa Neto colocou o "pé na parede" e não aceitou a possibilidade de mudança no comando estadual do PL.

segunda-feira, 15 de novembro de 2021

União Sarney/Dino ‘sacramentaria de uma vez a eleição’, diz Joaquim Haickel


Por Joaquim Haickel 

Um empresário amigo meu me ligou pedindo que eu comentasse sobre os possíveis caminhos que a política do Maranhão pode tomar, e resolvi postar aqui hoje, o que eu disse pra ele naquela ocasião.

Falei-lhe sobre alguns dos cenários que poderão se materializar em 2022, me abstendo de dar minha opinião pessoal e valorativa em relação a qualquer uma das possibilidades ou a política em si.

Primeiro busquei enxergar as coisas do ponto de vista do grupo do governador Flávio Dino.

Acredito que a melhor opção para Flávio seria ele ser candidato a vice de Lula, fato que é bastante plausível. Neste cenário Brandão seria candidato a governador e Weverton indicaria os candidatos a senador e a vice de Brandão.

Porém há uma variável neste contexto. A montagem de um cenário ainda maior, algo mais monumental, que resultasse em uma ampla coalisão, que envolvesse também o grupo Sarney, o que sacramentaria de uma vez a eleição de todos, sem que muitas forças, políticas e financeiras fossem despendidas.

Neste caso a vaga ao senado ser oferecida ao grupo Sarney, cabendo a Weverton aceitar indicar o suplente de senador e o vice-governador.

Essa arquitetura seria digna de um Oscar de melhor direção de arte.

Outra boa opção para Dino seria ele ser candidato a senador, Brandão a governador e Weverton indicar os candidatos a suplente de senador e vice-governador.

Aqui também pode haver a troca do parceiro de chapa. No lugar de se compor com o grupo de Weverton, Flávio poderia se compor com o grupo Sarney!

Há, porém, um outro cenário que pode acabar se materializando. Seria Flávio concorrer ao senado com a mulher de Jerry na suplência, Brandão disputar o governo com Felipe Camarão de vice, o que iria rachar seu grupo e faria com que o resultado ficasse completamente imprevisível, principalmente se outros candidatos ao senado e ao governo entrarem na disputa.

Agora vejamos as coisas do ponto de vista do grupo do senador Weverton Rocha.

Fazer acordo com o governador Flávio Dino, não é de todo mal para Weverton, desde que ele possa indicar o suplente de Flávio e o vice de Brandão.

Caso isso não aconteça, a melhor opção para Weverton é ceder a vaga de senador e de vice-governador em sua chapa para quem possa oferecer a ele forças suficientes e necessárias para vencer seus adversários, no caso, Dino e Brandão. Essas forças seriam Roseana Sarney, Eduardo Braide, Roberto Rocha, Josimar de Maranhãozinho, Lahesio Bonfim e Edvaldo Junior.

Por fim, imaginando agora um cenário visto com os olhos dos outros atores desse enredo, algo pouco provável, mas factível de acontecer, caso seja possível haver algum tipo de acordo entre lideranças de temperamentos e posicionamentos tão diversos.

Roseana Sarney, Eduardo Braide, Roberto Rocha, Josimar de Maranhãozinho, Lahesio Bonfim e Edvaldo Junior, só precisariam esperar que o grupo comandado pelo governador Flávio Dino se divida, para unirem forças formando uma chapa capaz de concorrer de igual para igual com as outras, inclusive, quem sabe, até garantindo uma vaga no segundo turno das eleições.

Até pelo fato de ser detentor do poder de mando e ter maior possibilidade de montagens de uma boa chapa, o grupo do governador Flávio Dino, tem a vantagem nesta disputa. Mesmo assim o grupo do senador Weverton Rocha é mais aguerrido e mais bem estruturado politicamente, uma vez que o grupo governista passou oito anos dando pouca atenção aos políticos. Quanto aos outros grupos, ou eles se esfacelaram ou nunca existiram efetivamente e para existirem de fato, precisariam se entender.

Resumo da ópera: No que diz respeito ao senado, os cenários são favoráveis a Flávior, caso não tenha um concorrente que possa motivar a latente reação subterrânea que há contra todo detentor de poder que age como ele.

Quanto a disputa pelo Governo do Estado, o cenário mais provável é aquele com pelo menos quatro candidatos. Brandão, Weverton, Edivaldo e Lahesio.

Sobre o resultado… Eu nunca fui de prever resultados. Já disse e repito, eu analiso cenários. Quem quiser que tire suas próprias conclusões.

A mim só resta repetir o que dizia o grande Lister Caldas, “Quem viver verá”!…

domingo, 14 de novembro de 2021

Desarticulado, Brandão tem apenas o apoio de três partidos


O governador Flávio Dino (PSB), perdeu desde o início de 2021, o apoio de cinco partidos: PL, Patriotas, Avante, Pros e PTB.

Os três primeiros estão sob o comando do presidente do do PL no estado deputado federal Josimar Maranhãozinho, que deixou a base governista recentemente.

Já o PTB e o Pros – hoje controlados, respectivamente, pela deputada estadual Mical Damasceno e pelo vereador Chico Carvalho – são alinhados ao projeto de poder do presidente Jair Bolsonaro.

Dos 12 partidos que restam em seu grupo, Flávio Dino tem controle direto de apenas três:

O seu próprio PSB; O PCdoB, controlado pelo deputado federal Márcio Jerry;

E o PSDB, do vice-governador Carlos Brandão, que ele quer emplacar como candidato único a governador.

Outros seis compõem hoje a base de apoio do senador Weverton Rocha (PDT): DEM, PP, PRB, Cidadania e o PSL,

Sobrariam o PT e o PTC.

A decisão do PT sobre o Maranhão é exclusiva da direção nacional e do ex-presidente Lula.

O PTC, por sua vez, pertence ao ex-deputado Júnior Verde, irmão de Cléber Verde, que apoia Weverton.

A pergunta que não quer falar: como Flávio Dino pretende convencer, em tempo recorde, todas essas legendas a apoiar Carlos Brandão?