Mostrando postagens com marcador PL. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador PL. Mostrar todas as postagens

domingo, 29 de maio de 2022

Mídia nacional destaca o poder de articulação de Weverton no Maranhão


Reportagem da revista Veja deste sábado, 28, mostra o poder de articulação do senador Weverton (PDT), na montagem do seu grupo para as eleições de outubro próximo.

Revista Veja– Além da aproximação entre a família Sarney e o grupo político do ex-governador Flávio Dino, como mostrou reportagem de VEJA, a eleição estadual no Maranhão terá outro componente inusitado em 2022, confirmado nos últimos dias: um candidato a governador pelo PDT de Ciro Gomes que fará campanha ao lado do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e será apoiado pelo PL do presidente Jair Bolsonaro.

A mistura insólita tem como protagonista o senador Weverton Rocha (PDT-MA), que confirmou nesta semana o apoio do PL do deputado Josimar de Maranhãozinho à sua candidatura. Maranhãozinho desistiu da pretensão de entrar na disputa e vai engrossar a aliança de Rocha, que já se disse “o melhor amigo do Lula” no Maranhão e abrirá seu palanque ao petista no estado.

Lulista de carteirinha e pouco entusiasmado com Ciro, o senador ficou contrariado com o apoio de Flávio Dino ao ex-tucano Carlos Brandão (PSB), seu ex-vice e atual governador, na disputa pelo Palácio dos Leões. O PT está dividido entre Rocha e Brandão, mas oficialmente vai apoiar o governador e deve ocupar a vaga de vice em sua chapa, que terá Dino como candidato a senador. Pela única cadeira ao Senado em disputa, Dino vai enfrentar o senador Roberto Rocha (PTB), outro bolsonarista apoiado por Weverton Rocha.

quarta-feira, 25 de maio de 2022

Sobrinha de Josimar de Maranhãozinho pode ser vice de Weverton

Com informações do Imirante


O acordo do deputado federal Josimar de Maranhãozinho pelo apoio do Partido Liberal (PL) ao senador Weverton Rocha (PDT) pode garantir a uma aliada dele a vaga de candidata a vice-governadora na chapa pedetista.

Fabiana Vilar Rodrigues, ex-secretrária de Agricultura no governo Flávio Dino (PSB) seria a indicada. Ela é sobrinha de Josimar.

Vilar tem 35 anos, é advogada e presidente municipal do PL de São Luís.

Em 2020, também indicada pelo tio deputado, ela foi candidata a vice-prefeita na chapa então encabeçada pelo deputado estadual Duarte Júnior (PSB).

segunda-feira, 23 de maio de 2022

Josimar e o PL declara apoio Weverton para o Governo


O deputado federal Josimar de Maranhãozinho confirmou nesta noite, durante live realizada nas suas redes sociais, apoio do PL, seu partido, e do seu grupo político a pré-candidatura ao Governo do senador Weverton Rocha, do PDT.

Josimar e o seu grupo deverão indicar o candidato a vice do pedetista.

Pré-candidato a reeleição, Josimar ouviu prefeitos; deputados, vereadores e demais lideranças do seu campo durante todo o fim de semana.

O parlamentar fez uma votação entre os aliados que optaram por ele decidir o futuro do grupo.

Josimar afirmou que iniciou as conversações com o grupo comandado pelo governador Carlos Brandão (PSB) até pelo fato dos mesmos terem estados juntos na eleição de 2020, em São Luís, e no pleito para o comando da Federação dos Municípios do Estado do Maranhão (Famem).

No entanto, abriu diálogo com o grupo de Weverton Rocha por entender que o campo de Brandão, apesar do deputado não possuir nada contra o tucanosocialista, ter sido responsável pelo seu rompimento ocorrido ano passado – leia-se Flávio Dino.

Disse que fez questão de ouvir as propostas de Weverton e Brandão.

E que se sentiu melhor acolhido no campo comandado pelo pedetista.

Criticou agentes do Governo que, de acordo com ele, tentaram cooptar prefeitos e prefeitas do PL com promessas variadas.

“Acredito que Deus me abençoou e vai me abençoar com a junção destes dois grupos. Vamos retirar o Maranhão da pobreza. Reunimos PL e todo nosso grupo. Nosso grupo a partir de hoje nós deliberamos aqui que é melhor a gente buscar um projeto que a gente vê que estamos sendo abraçados e acolhidos. Nosso candidato é o meu amigo senador Weverton Rocha”, afirmou.

quarta-feira, 18 de maio de 2022

Entenda como Josimar de Maranhãozinho se tornou o pesadelo de Brandão e Dino


O deputado federal Josimar de Maranhãozinho, presidente do Partido Liberal (PL-MA) no estado, é um líder político dos mais fortes e bem articulados. Prova disto, além de contar com bancadas fortes na Assembleia Legislativa e na Câmara Federal, Josimar tem cerca de 50 prefeitos aliados e fiéis. Por esse motivo, Josimar tem tirado o sono do governador Brandão e do ex-governador Flávio Dino.

Existe a expectativa de que na próxima sexta-feira (20), Josimar anunciar a retirada de sua pré-candidatura ao governo e declarar apoio ao senador Weverton Rocha (PDT-MA), que se tornou alvo da mídia dinista e brandonista, por não ter sido seduzido pelas benesses dos Leões e mantido a pré-campanha em campo em prol de um estado mais feliz e digno. Caso a expectativa se confirme, Josimar indicará o (a) vice na chapa encabeçada por Weverton e buscará a reeleição para a Câmara.

Selada essa união de Josimar e Weverton, nem o rugir dos Leões afastaria o favoritismo do pré-candidato pedetista, uma vez que Josimar tem aliados deputados estaduais, federais, prefeitos, vice-prefeitos e vereadores que, declarando apoio a Weverton, mudaria drasticamente o tabuleiro político do estado. Por exemplo, em Barra do Corda, Weverton que já conta com o apoio do ex-prefeito Eric, passaria também a ser apoiado pelo prefeito Rigo Teles. O mesmo em Pedreiras, onde Weverton já conta com o apoio da prefeita Vanessa Maia e passaria a contar também com o apoio da família Louro, do deputado estadual Vinícius Louro. Assim como nos dois municípios citados, Weverton com apoio de Josimar fecharia o palanque com as principais lideranças de situação e oposição em diversos municípios em todas as regiões do Maranhão.

Sabedor disso, o governador Brandão tem alertado sua cúpula da necessidade de descontruir as imagens de Weverton e Josimar espalhando fake news e, desesperadamente, buscando nacionalizar a campanha estadual colocando no senador Weverton rótulo de bolsonaristas, tentando atrair simpatizantes do ex-presidente Lula.

Com informações do Blog do Carlos Barroso

Josimar admite não ser candidato a governador


Em live com a deputada estadual Detinha (PL), o deputado federal Josimar de Maranhãozinho (PL) anunciou que reunirá seu grupo político na próxima sexta-feira (20), para definir o rumo que tomará nas eleições.

Ele já indicou que deve desistir da sua candidatura ao governo e anunciar, após ouvir prefeitos, deputados, vereadores e lideranças do seu grupo político, o nome que apoiará na disputa do Palácio dos Leões.

“Agora na sexta-feira, nós vamos reunir todos os prefeitos e, posteriormente, vamos reunir com os pré-candidatos para deliberar sobre o que é melhor para nosso grupo. Nós vamos avaliar se vamos continuar candidatos ou se nós vamos fazer adesão a alguém que tem uma proposta que realmente venha somar com o que nós queremos, que é um Maranhão melhor”, disse.

segunda-feira, 21 de março de 2022

Cúpula do Aliança pelo Brasil no MA se filia ao PL, e oficializa apoio a Josimar


Líderes do Aliança pelo Brasil no Maranhão, partido que estava sendo gestado por um grupo de militares e empresários para ser um dos maiores do país, se reúnem na manhã deste domingo (20) em São Luís com a cúpula do PL – Partido Liberal, para realizar a filiação dos pré-candidatos do grupo.

Com a entrada de seus coordenadores como o superintendente da Secretaria do Patrimônio da União (SPU), José Ribamar Monteiro Segundo – o Coronel Monteiro; Coronel Daladier, mestre em ciências militares, advogado e professor universitário com atuação em Imperatriz; e o subtenente Fabiano, pré-candidato a deputado estadual, o grupo firma sua aliança com o deputado federal Josimar – pré-candidato a governador, que também esteve presente na cerimônia.

Além deles, também assinaram a ficha de filiação a empresária de Açailândia, Meg Pachaeco, pré-candidata a deputada estadual; Kelly Moura, pré-candidata a deputada federal representando a cidade de imperatriz; além de Isaías Neres (Buriticupu), pré-candidato a deputado estadual; e Vieira (Grajaú), pré-candidato a deputado federal.

O Aliança pelo Brasil estava sendo projetado à imagem de Bolsonaro. Cerca de 120.000 das 300.000 assinaturas coletadas para criar o partido ainda precisam ser validadas pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o que, na prática, torna inviável a participação da legenda nas eleições de outubro. A legislação eleitoral determina que a agremiação deve estar registrada no tribunal até abril, seis meses antes do pleito.

Coronel Monteiro que é pré-candidato a deputado federal avaliou a chegada ao PL. De acordo com ele, a filiação ao partido peelista partiu de um convite do presidente da República que está orientando seus apoiadores nos estados a organizar uma frente para disputar vagas ao Congresso.

“Escolhemos nos filiar ao PL para acompanhar o presidente Jair Bolsonaro, Chegamos para organizar não apenas a campanha à reeleição do presidente no estado, mas para preparar um grupo visando as eleições à Câmara Federal. Nós viemos pra fazer a diferença”, declarou.

“Pra mim, é uma grata satisfação receber em nosso partido os líderes do Aliança pelo Brasil no Maranhão. É um reforço importantes que vai aumentar a projeção para eleição à Câmara Federal que pode ficar entre quatro a cinco

segunda-feira, 7 de março de 2022

Josimar investe em "buchas bolsonaristas” nas eleições 2022


Nas últimas semanas o deputado federal Josimar de Maranhãozinho (PL) intensificou suas investidas por pré-candidatos considerados “bolsonaristas” em sua legenda nas eleições deste ano. Presidente do partido do presidente Jair Bolsonaro no Maranhão, Josimar negocia com várias lideranças que se notabilizaram pela luta contra a corrupção e ética na política.

A entrada de candidatos tidos como “bolsonaristas” na chapa de Josimar eleva a possibilidade de que o PL tenha uma expressiva votação. Dessa forma, o efeito direto da adesão seria o fortalecimento do projeto de Josimar de Maranhãozinho em eleger entre de 3 e 4 deputados federais nas eleições deste ano subordinados a ele.

Para tentar minimizar os impactos na filiação ao PL, os chamados “bolsonaristas” têm usado como justificativa o fato da legenda ser a mesma do presidente. Contudo, pré-candidatos que recusaram o pedido de Josimar, caso da líder conservadora Flávio Berthier, ingressar no PL é um sacrifício alto demais.

“Temos bandeiras e elas não podem ser deixadas para trás por causa de eleição. Não posso ajudar a eleger uma bancada que defenda tudo o que eu tenho repúdio. Sei que o presidente entende essa nossa posição de escolher outro partido que não seja o PL do Maranhão”.

A eleição no PL é considerada dificílima dados os números. Caso Josimar dispute a reeleição para deputado, deve manter votação acima de 100 mil votos (em 2018 ele alcançou 195 mil). Acontece que a esposa de Josimar, Detinha, também deve tentar uma vaga na Câmara Federal. A candidatura de Detinha pode diminuir a votação do marido e ambos devem transitar entre os 100 mil votos. Também concorrem na chapa os já deputados federais Junior Lourenço (117 mil votos) e Pastor Gil (47 mil votos). Ambos não eram parlamentares em 2018 e devem elevar suas votações. Outros nomes como Paulo Marinho Jr (55.755 votos em 2018) devem tornar ainda mais difícil a tentativa de bolsonaristas em conseguir “vencer” os colegas de chapa.

Fontes do partido revelaram ao blog que a entrada de três dos chamados “bolsonaristas” podem agregar de 50 a 70 mil votos na chapa que deve lançar 19 candidatos. Com a estimativa de cerca de 400 mil votos apenas dos quatro “cabeças”, o PL deveria alcançar mais 100 mil votos com os outros 11 candidatos para ter chances reais de fazer 4 deputados federais. Com absolutamente nenhum bolsonarista entre eles.

Até o momento a maior “aquisição” de Josimar foi o ex-candidato à prefeito de São Luís, Pastor Silvio Antônio. São esperados outros bolsonaristas na legenda antes do dia 2 de abril, prazo final para a filiação no partido.

domingo, 28 de novembro de 2021

Se Rocha entrar no PL, Josimar pode ceder a vaga de candidato a governador


A filiação do presidente Jair Bolsonaro ao PL pode mudar os planos do deputado federal Josimar de Maranhãozinho, que preside o partido no Maranhão, de manter sua candidatura ao Governo do Estado. O “X” da questão está no destino partidário do senador Roberto Rocha. 

Se o senador ingressar também no partido, como está previsto, e resolver disputar o Palácio dos Leões com o aval do presidente da República, é provável que a cúpula nacional do partido desencadeie uma operação no sentido de convencer o chefe do PL a ceder a vaga de candidato a governador a Roberto Rocha. 

Um interlocutor habitual e confiável de Josimar de Maranhãozinho garante que, se tal situação vier a se configurar, a cúpula do PL nada imporá ao parlamentar, devendo resolver a situação na base da conversa. 

Isso porque, segundo essa fonte, Josimar de Maranhãozinho é hoje “homem de confiança” do presidente Waldemar Costa Neto, que não tem nenhum interesse em enfraquecê-lo na sua base. E afirma que Roberto Rocha e Josimar de Maranhãozinho são amigos e estão afinados, o que assegura que, se houver a mudança, ela será negociada, sem prejuízo para o chefe do PL. 

Outra hipótese viável, mas um pouco mais distante, será Roberto Rocha disputar a senatória e Josimar de Maranhãozinho manter sua candidatura aos Leões.

terça-feira, 16 de novembro de 2021

Roberto Rocha articulou para tomar PL de Josimar


Teria partido do senador Roberto Rocha a articulação para que o presidente da República, Jair Bolsonaro, a pedir ao presidente nacional do PL, Waldemar da Costa Neto, a substituição do deputado federal Josimar de Maranhãozinho como presidente da sigla no Maranhão.

As informações foram divulgadas por aliados do parlamentar e nacionalmente pele CNN Brasil.É o que dizem aliados do parlamentar.

Como já é de conhecimento público, Roberto Rocha está sem partido e tem buscado sem sucesso uma legenda. Atualmente ele é conhecido por ser da tropa de choque de Bolsonaro, devido ao afinamento com o presidente da República.

Segundo pessoas ligadas a Josimar de Maranhãozinho, foi devido a essa proximidade que ele tentou um “pulo do gato”, para tomar o partido do deputado e atuar como um coordenador da campanha à reeleição de Bolsonaro no Maranhão.

Mas Costa Neto colocou o "pé na parede" e não aceitou a possibilidade de mudança no comando estadual do PL.

domingo, 14 de novembro de 2021

PL adia cerimônia de filiação do presidente Jair Bolsonaro


SÃO PAULO – O Partido Liberal (PL) divulgou nota neste domingo (14) anunciando o cancelamento da cerimônia de filiação do presidente Jair Bolsonaro, inicialmente marcada para o dia 22 de novembro.

“Após imensa troca de mensagens com o presidente Jair Bolsonaro, decidimos, de comum acordo, pelo adiamento da anunciada cerimônia de filiação”, informa a nota assinada pelo presidente nacional do PL, Valdemar Costa Neto. De acordo com o partido, não há, ainda, uma nova data para o compromisso de filiação.

A filiação de Bolsonaro ao PL é mais um capítulo da aproximação entre o mandatário e os partidos do chamado “centrão” (que ocorre desde meados de 2020), e traz sinalizações sobre as estratégias de alguns dos principais atores políticos para as eleições de 2022.

quinta-feira, 11 de novembro de 2021

Bolsonaro no PL de Josimar, atrapalha as pré-candidaturas de Lahesio Bonfim e Roberto Rocha


A provável ida do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) para o Partido Liberal deve mexer no tabuleiro eleitoral maranhense e implodir as pré-candidaturas de pelo menos dois bolsonaristas ao Palácio dos Leões em 2022.

São eles: o senador Roberto Rocha (PSDB) e o prefeito de São Pedro dos Crentes, Lahesio Bonfim (PTB).

Quem manda no PL no estado é o deputado federal Josimar Maranhãozinho, que já foi da base do governador Flávio Dino (PSB), mas virou oposição no meio do ano e busca se viabilizar como terceira via na disputa pelo comando do Poder Executivo do Estado na eleição do ano que vem.

No caso de Rocha, desde que perdeu o comando do PSDB maranhense para o vice-governador Carlos Brandão, tem dito que aguarda uma definição de Bolsonaro para se filiar ao mesmo partido. Se Bolsonaro confirmar a filiação ao PL, a tendência é de que o senador siga o mesmo caminho, mas desde que entre na legenda como liderado e apoiador da pré-candidatura de Josimar, aliado do manda-chuva nacional do PL, Valdemar Costa Neto.

Já Lahesio, que recentemente deixou o PSL para se filiar ao PTB, tem se colocado na disputa apenas sob a expectativa de ser o escolhido de Bolsonaro no Maranhão, possibilidade que se encerrará instantaneamente caso o presidente se filie ao partido de Josimar Maranhãozinho.

Sob esse novo cenário, a tendência é de que Josimar, que já possui musculatura própria, cresça na preferência do eleitorado bolsonarista no estado, inclusive entre evangélicos.

Com informações do Blog Atual 7

segunda-feira, 8 de novembro de 2021

Josimar mostra força política ao reunir mais 10 mil pessoal Itapecuru-Mirim


O ato de filiações organizado pelo PL, Avante e Patriotas, partidos que integram o grupo comandado pelo deputado federal Josimar, pré-candidato ao Governo do Maranhão, reuniu 10 mil pessoas no município de Itapecuru-Mirim, distante 115 quilômetros de São Luís.

Pré-candidato a governador, o liberal é hoje o principal nome da oposição ao governo Flávio Dino (PSB), e mostra que tem força para fazer frete ao projeto de poder do Palácio dos Leões.

¨O Maranhão precisa mudar seus indicadores na pratica e não em discursos. Nós fazemos e vamos fazer muito mais para ajudar o estado a virar essa triste pagina da história!¨ disse, em seu discurso.

O encontro aconteceu em um posto de gasolina às margens da BR-222 e levou prefeitos, vereadores, ex-prefeitos, ex-candidatos a prefeitos, deputados federais e estaduais.

¨Hoje estou muito feliz! Fui impressionado com a quantidade de pessoas, pois confesso que imaginava um grande público, mas foi muito maior do que eu podia imaginar. Podem criar pesquisar fantasiosas, mas aqui está o nosso povo para responder todas essas pesquisas¨, assinalou.

O ato de Josimar foi considerado o maior de sua pré-campanha até o momento.

quarta-feira, 27 de outubro de 2021

Bolsonaro no PL o "poder de fogo" de Maranhãozinho será testado


O presidente nacional do PL, o notório ex-deputado federal Waldemar Costa Neto, convidou o presidente Jair Bolsonaro e sua turma, encabeçada pelos três filhos, a se filiarem ao partido. Como fracassou em criar o próprio partido, já perdeu o PSL, foi descartado pelo Patriota e sofreu fortes e duras restrições ao tentar se aproximar do PP, não será surpresa se o presidente aceitar o convite do chefão do partido. A se confirmar tal hipótese, incluindo a provável adesão do senador Roberto Rocha ao movimento migratório, ela terá fortes e graves desdobramentos na política maranhense.

Para começar, o deputado federal Josimar de Maranhãozinho, que controla com mão de ferro o braço do PL no estado, muito provavelmente será alçado à condição de chefe do bolsonarismo no Maranhão, e nessa condição poderá tornar irreversível o seu projeto de candidatura à sucessão do governador Flávio Dino (PSB). Poderá também acontecer o contrário, caso Roberto Rocha venha a ser brindado com o “posto”, o que é mais provável, porque parece ser esse o projeto que o senador cultiva enquanto aguarda a definição do pouso partidário do presidente.

Se Waldemar Costa Neto conseguir atrair o presidente Jair Bolsonaro e sua turma para o PL, é muito provável que em algum momento o comando do partido no Maranhão seja colocado em xeque. E aí se saberá qual é o real poder de fogo de Josimar de Maranhãozinho.

sábado, 16 de outubro de 2021

Josimar e assessor de Edilázio abasteceram no ‘mercadão de emendas’, diz revista


Matéria publicada pela revista Crusoé diz que grupo do deputado Josimar de Maranhãozinho (PL) repassou mais de meio milhão de reais para os cofres do Partido Liberal no ano passado.

A Crusoé se refere a Maranhãozinho como “deputado do mercadão de emendas”. Ele é um dos parlamentares investigados por suposto envolvimento em um esquema de compra e venda de emendas no Congresso Nacional.

O deputado Edilázio Júnior (PSD)também é envolvido no esquema através de advogado nomeado em seu gabinete. Segundo a publicação, além do próprio Josimar, que transferiu 314,4 mil reais para as contas dos diretórios nacional e estadual do PL, a legenda também foi contemplada com mais 270 mil reais repassados por dois advogados que defendem Maranhãozinho e mais uma série de políticos do Centrão.

‘Um deles, José Helias Sekeff do Lago, também é assessor parlamentar do deputado maranhense Edilázio Junior, do PSD, aliado de Maranhãozinho. Ele recebe salário bruto de 15,7 mil reais e doou 150 mil reais para o PL por meio de oito transferências feitas entre os dias 8 e 20 de maio do ano passado’, diz a matéria.

Sekeff é nomeado no escritório político em São Luís do deputado maranhense. Edilázio é genro da desembargadora do Tribunal de Justiça do Maranhão, Nelma Sarney.

O advogado disse à Crusoé que o trabalho como assessor da Câmara é uma atividade “complementar”.

“Eu estou servidor, mas sou advogado. Trabalho para o cara do PSD, mas advogo para esse pessoal todinho, do PL, do PP, para várias prefeituras, para grandes construtoras. Pode parecer estranho, mas eu tenho capacidade para fazer isso (doação de 150 mil reais) e tenho como provar. Só no ano passado meu escritório faturou 6 milhões de reais”.

O poderoso assessor para atividades complementares do genro da desembargadora foi o advogado de Maranhãozinho nas eleições de 2018

A movimentação financeira do operador do Direito resume bem como funciona o Centrão no Nordeste, segundo a revista. Embora esteja lotado em um gabinete do PSD e tenha doado dinheiro para o PL, Sekeff diz que hoje é dirigente local do Progressistas, partido do ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira, e do presidente da Câmara, Arthur Lira.

O repasse ao PL, Sekeff disse que foi uma doação para ajudar um amigo prefeito que não pode falar quem é.

“Ele estava saindo (da prefeitura) e me pediu: ajuda lá o Josimar que ele está precisando”.

A Crusoé ressalta na matéria que em sua mais recente edição, Maranhãozinho é um dos parlamentares investigados pelo Ministério Público e pela Polícia Federal por suposto envolvimento em um esquema de compra e venda de emendas parlamentares:

“Parte da verba vem do orçamento paralelo usado pelo governo Jair Bolsonaro para comprar apoio político no Congresso. Segundo a investigação, o dinheiro das emendas é repassado a prefeituras maranhenses indicadas pelo deputado e depois transferido a empresas de fachada pertencentes ao grupo político de Maranhãozinho. Na sequência, a verba vai para a conta da Construtora Madry, uma empresa que está em nome do próprio parlamentar e de sua irmã”.




Com informações do Blog do Garrone

quinta-feira, 14 de outubro de 2021

Partidos articulam formação de federações e jogo político no Maranhão promete embolar


Duas semanas após o Congresso derrubar o veto presidencial e manter a possibilidade de os partidos se organizarem em federações, algumas das maiores legendas do país iniciam negociações: PP, PL e Republicanos abriram conversas nesse sentido, assim como o MDB com o Avante e o Solidariedade.

Os movimentos ocorrem logo após a criação do União Brasil, resultado da fusão entre DEM e PSL, que deverá ser a maior agremiação da Câmara assim que for oficializada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o que deve ocorrer no início da 2022. Também há negociações envolvendo Cidadania, Rede e PV, e, na esquerda, do PCdoB com o PSB.

Na semana passada, o ministro-chefe da Casa Civil e presidente licenciado do PP, Ciro Nogueira, trabalhou em duas frentes. Ele conversou com o presidente do PL, Valdemar Costa Neto, e enviou mensagem ao presidente do Republicanos, Marcos Pereira, sugerindo que as três legendas se unam numa federação, com o objetivo de eleger uma bancada expressiva no Congresso nas eleições de 2022.

A ideia é assinar uma “união estável” entre os três partidos que já compõem a base do governo e normalmente votam juntos em boa parte dos temas, como, por exemplo, em pautas econômicas.

O eventual nascimento dessa tríade é uma tentativa de reequilibrar as forças no Congresso e, com isso, fazer frente ao recém-formado União Brasil, que só depende da chancela do TSE para existir, de fato. Uma vez oficializada, a nova legenda deverá contar com 81 deputados federais.

Somados, PP, PL e Republicanos teriam 116 deputados federais (42 do PP, 43 do PL e 31 do Republicanos), mais 12 senadores (7 do PP, 4 do PL e um do Republicanos), além de aumentar o tempo de propaganda na TV. Essa última alteração pode abrir caminho para o presidente Jair Bolsonaro ingressar no PP, com o qual tem negociado, para disputar a reeleição em 2022.

Josimar deve reforçar oposição a Flávio Dino na AL


O governo de Flávio Dino (PSB) deverá ter, a partir da sessão de hoje na Assembleia Legislativa, sete deputados compondo oposição na Casa. Até antes da operação Maranhão Nostrum, do Ministério Público Estadual, o Palácio dos Leões – desde 2015 – na verdade tinha de fato seis parlamentares no campo opositor a Dino. Em 2018, reduziu pela metade.Por divergências com Josimar de Maranhãozinho (PL), governador vai ter oposição maior no Legislativo Municipal.

Desde o fim de setembro, que o presidente estadual do PL e deputado federal Josimar de Maranhãozinho vem ensaiando sua saída do grupo governista.Por ser pré-candidato ao governo do Maranhão e perceber que não se encaixa entre os nomes de pré-candidatos palacianos, Maranhãozinho já indicava o desembarque do grupo de Flávio Dino.

Com a operação Maranhão Nostrum, que ocorreu dia 2 deste mês e teve Josimar e aliados como alvo, o presidente do PL decidiu assumir a postura mais clara de atacar o governo de Flávio Dino.

Com a narrativa de que a operação do Ministério Público teve motivação política, Maranhãozinho vem criticando os índices sociais e econômicos do governo maranhense e criticou o governador Flávio Dino no episódio do discurso do socialista em Chapadinha contra a prefeita da cidade, Belezinha (PL).

Esta postura de Josimar de Maranhãozinho deverá ser repetida pelos quatro deputados estaduais do PL na Assembleia Legislativa.A esposa do deputado federal, Detinha, Vinícius Louro, Leonardo Sá e Hélio Soares deverão mudar o tom em relação ao Palácio dos Leões.

Vinícius Louro já até iniciou na semana passada quando foi a tribuna da Casa criticar a operação do MP junto com a Polícia Civil.

O que me chama a atenção, senhores deputados, é que, depois desses dois grandes eventos, depois do crescimento do deputado federal Josimar de Maranhãozinho ao Governo do Estado do Maranhão, acontece essa operação.O que eu entendo é que um deputado estadual para se ter uma ordem expedida para invadir a sua residência tem que ser por meio do Tribunal de Justiça, um deputado federal para ter uma ordem pra invadir a sua residência tem que ser por meio do Supremo Tribunal.E ali entraram por meio de um juiz singular”, disse o parlamentar.

Reunião

Sobre a posição da bancada do PL na Assembleia Legislativa, que já faz parte de um bloco junto com o Republicano, o deputado federal Josimar de Maranhãozinho disse a O Estado que vai reunir hoje com os quatro deputados para bater o martelo sobre a posição a ser adotada.

Ainda segundo ele, o encaminhamento do PL é exatamente de se tornar oposição ao governo Flávio Dino.

quarta-feira, 13 de outubro de 2021

“Corrupção” de Josimar só incomoda agora que ele é adversário?


Enganam-se os que acreditam que o deputado Josimar de Maranhãozinho (PL) estará sozinho na onda de operações do Ministério Público que devem sacudir a política maranhense nos próximos meses. Apesar do deputado ter dado milhões de motivos para tanto, a megaoperação da semana passada não é fato isolado. A situação reflete o método de fazer política do governador Flávio Dino.

Líder de uma gestão que fracassou, o comunista nunca escondeu de ninguém seu viés vingativo e autoritário. Flávio Dino governa pelo medo. Por mais que a péssima fama do deputado Josimar de Maranhãozinho o anteceda, causa muita estranheza que apenas no fechar das portas do atual governo ele comece a figurar como suspeito dessas operações. E justamente quando manifestou desejo de seguir o próprio caminho.

A carreira política de Josimar foi iniciada em 2004. É muito estranho que, após 18 anos, somente agora o Ministério Público se lance contra uma situação que todos no Maranhão já desconfiavam há anos.

O fato é que o caso não foi isolado. Após sete anos, Flávio Dino não tem o que mostrar. Fracassou enquanto governador. Estes são dados da realidade e nem todos os deboches do mundo em redes sociais não irão tirar dele o posto de governador mais imprestável que este estado já teve.

O restante do legado de terror do governador Flávio Dino será usado para chantagear e intimidar adversários. Se ele conseguir, talvez saia eleito senador e atrase um pouco a constatação evidente do seu fracasso. Se a classe política resolver devolver o desprezo que ele dependeu a ela nos últimos sete anos, terminará as eleições de 2022 como o nada que era antes de Zé Reinaldo Tavares comprar sai eleição de deputado federal em 2006.

Só o tempo dirá…

sexta-feira, 8 de outubro de 2021

Flávio Dino persegue prefeitos do grupo de Josimar de Maranhãozinho com operações policiais


Faltando 12 meses para as eleições, o clima de perseguição política no Maranhão tomam proporções ditatoriais. O governador comunista/socialista Flávio Dino – PSB, que desde seu primeiro mandato tem o costume de perseguir e atacar quem se opõe a ele ou não reza a sua cartilha, resolveu usar todo o aparato da polícia estatal nesta manhã (06) em uma operação para criar situações tendenciosas nos municípios comandados pela sigla do Partido Liberal.

A operação surgiu semanas após o deputado federal Josimar de Maranhãozinho mostrar todo o poder da sua liderança no lançamento de sua pré-candidatura, que reuniu dezenas de prefeitos, vice-prefeitos, vereadores e inúmeras lideranças políticas, se consolidando como a maior força política que não tem ligações com o Palácio dos Leões, e essa situação deixou Dino completamente revoltado.

Foram usados o Grupo de Atuação Especial no Combate às Organizações Criminosas – GAECO, que realizou nesta manhã a operação batizada de ‘Maranhão Nostrum’, que tem apoio da Polícia Civil do Maranhão, por meio da Superintendência Estadual de Combate à Corrupção – SECOR, Centro Tático Aéreo – CTA entre outras diversas unidades. Além da quantidade de agentes policiais e promotores destacados para realizar a operação, o “espetáculo” ainda contou com drones, helicópteros e outros meios de transportes, na tentativa de criar uma mácula no grupo de Maranhãozinho.

O mais cômico de toda essa história é que os grupos de esquerda que incluem os principais partidos como PCdoB, PSB e PSOL e suas respectivas juventude partidárias (UJS, JSB e afins) nas manifestações, são a favor do fim da Polícia Militar como um todo, porém, como estão no poder, usam o aparato militar como os Ditadores das ditaduras comunistas que foram implantadas pelo mundo como a antiga União Soviética com Lenin e em Cuba com Fidel Castro, que perseguiam seus inimigos a ferro e fogo.

quinta-feira, 9 de setembro de 2021

Atuação do PL será o teste para o rompimento de Josimar com Dino


Com bancada atualmente formada por quatro parlamentares e bem articulada, o PL enfrentará seu primeiro teste na Assembleia Legislativa do Maranhão como legenda de oposição ao Palácio dos Leões.

Na última sexta-feira (3), durante encontro com prefeitos e aliados em que oficializou pré-candidatura ao governo do Estado para a eleição de 2022, o deputado federal e presidente do Partido Liberal no Maranhão, Josimar Cunha Rodrigues, o Maranhãozinho, declarou rompimento com Flávio Dino (PSB) e cobrou fidelidade de integrantes da legenda.

“Nós podemos e nós faremos. Não vamos mais deixar nossos opositores tirarem as nossas qualidades, nem nosso prestígio. O PL tem condições de lutar. Eu sofri e suei a camisa junto com vocês, passei dificuldades e fui perseguido, mas nunca deixei meus compromissos para trás. Agora quero contar com a mesma confiança, compromisso, firmeza e segurança que vocês tiveram de mim na eleição de vocês. Eu estou pronto, agora quero saber se cada um de vocês também está para enfrentar as dificuldades, as perseguições para essa campanha ao governo”, suscitou.

A prova de fogo poderá ser medida a partir da próxima terça-feira (14), quando serão retomados os trabalhos no Palácio Manuel Beckman depois do longo feriadão da Semana da Pátria e Aniversário de São Luís.

Segundo alegou Josimar, municípios administrados por prefeitos do PL têm enfrentado perseguição e retenção de recursos para obras e serviços públicos pelo Palácio dos Leões, mesma dificuldade que estariam sofrendo a deputada Detinha e os deputados Vinícius Louro, Leonardo Sá e Hélio Soares, integrantes da bancada do PL na Alema, no pagamento de emendas parlamentares.

Mais do que rompante ou mero motim, o rompimento fortalece a possibilidade de Josimar ser o candidato de Jair Bolsonaro (sem partido) ao Governo do Estado no ano que vem. Um dia antes do ato político, ele esteve com o presidente da República no Palácio do Planalto em reunião em que tratou sobre 2022 e a liberação de recursos ao Maranhão.

Neste sentido, ainda durante o ato político, Josimar abriu espaço para escolha de um nome, seja do PL ou outro partido, que dispute o Senado em sua chapa majoritária, em afronta direta a Dino, que postula a vaga.

O rompimento também reforça as dúvidas sobre a capacidade que Flávio Dino ainda tem de governar.

Prestes a deixar o comando do Palácio dos Leões e sem coragem para tornar pública sua decisão de apoiar o vice-governador Carlos Brandão (PSDB) para a disputa eleitoral, o governador maranhense tem dado sinais de que perdeu o controle de sua base de apoio, fragmentada desde as eleições municipais de 2020, e até de setores do PCdoB, seu antigo partido.

Na ausência de um líder, integrantes do governo têm batido cabeça em relação ao futuro político de Dino, e se dividido em apoio à quase meia dúzia de postulantes governistas. Parte afirma que Flávio Dino pode ficar até o fim do mandato e ungir algum de seus secretários para sucedê-lo no Poder Executivo estadual; outra garante que o governador vai confirmar apoio a Brandão antes de dezembro próximo.

Atualmente, a Assembleia Legislativa do Maranhão possui três deputados oposicionistas, mas que atuam de forma desorganizada: Adriano Sarney (PV), César Pires (PV) e Wellington do Curso (PSDB).

Ainda que não se some à oposição, eventual atuação independente do PL na Casa será crucial para confirmar a liderança de Josimar no partido e abrir espaço para o desmoronamento total do governo Dino, já ameaçado de novas dissensões internas.

Atual 7

sábado, 4 de setembro de 2021

Josimar lança pré-candidatura, critica Dino e dispara: ‘aquele grupo não gosta da gente’


No quintal de sua residência no bairro do Calhau, em São Luís, o deputado federal Josimar de Maranhãozinho, lançou na noite desta sexta-feira (04) sua pré-candidatura ao governo do estado no evento o qual reuniu cinco deputados estaduais, quatro federais e segundo a lista da assessoria, mais de 50 prefeitos, além de outras lideranças políticas.

Presente ao avento, o Blog do Domingos Costa gravou, por partes, o acalorado pronunciamento de Josimar. O presidente estadual do PL criticou o governo do Estado ao ponto de afirmar que os secretários estaduais que são pré-candidatos a deputados estão invadindo as bases eleitorais do seu partido e tomando prefeitos e lideranças.

“As pessoas que compõem aquele grupo não gosta da gente”, disparou Josimar.

Ainda em sua palavra, o deputado federal disse que passou a semana toda afirmando que o ato político não seria o lançamento de sua pré-candidatura, porém, mudou de ideia e de fato seu nome está lançado e não voltará atrás de sua palavra.

Maranhãozinho também apresentou diversos pré-candidatos a deputados estaduais e federais e assegurou que a partir daquele momento não iria mais reunir com nenhum outro pré-candidato ao governo para discutir eleições 2022, visto que sua posição em disputar o Palácio dos Leões está tomada.

Ao final, Josimar também pediu a todos os prefeitos que estão no projeto do PL para não participarem de nenhum outro ato político de outros pré-candidatos a governadores do Maranhão.

“Eu sou fiel ao nosso projeto, e portanto, eu fui fiel nas eleições municipais a cada um de vocês, e o que eu quero é só a fidelidade de vocês e o compromisso de mostrar esse sentimento a todo o Estado do Maranhão”, disse.