Mostrando postagens com marcador Flávio Dino. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Flávio Dino. Mostrar todas as postagens

terça-feira, 2 de agosto de 2022

Indicação de Camarão e de 2ª suplente de Dino precisa de aval da Federação, diz PV

A direção estadual do Partido Verde (PV) realizou no sábado (30) sua convenção estadual e homologou as chapas para deputado estadual e federal.

No encontro, no entanto, ficou decidido que o poder de decisão sobre a chapa majoritária será delegado à Executiva Regional da legenda, até o prazo final das convenções eleitorais, 5 de agosto.

O encaminhamento, dizem os verdes, é resultado de pendências, como a indefinição da data da convenção e dos acordos finais da Federação Fé Brasil (PT/PV/PCdoB).

Uma dessas pendências diz respeito à segunda suplência do candidato a senador Flávio Dino (PSB). O PCdoB indicou o nome da vereadora Maria de Lourdes Pereira e Pereira, presidente da Câmara Municipal de Coroatá.

O nome dela já consta na ata da convenção do PSB, também realizada no sábado. Mas, de acordo com o PV, só poderá ser oficializado após apreciação em convenção da Federação, ainda sem data marcada.

Outra indicação que também depende do aval da Federação é o do candidato a vice-governador na chapa do governador Carlos Brandão (PSB), o ex-secretário de Educação Felipe Camarão, do PT.


segunda-feira, 1 de agosto de 2022

Partido Verde realiza convenção e decidirá sobre chapa maioritária até o próximo dia 5


O deputado estadual e presidente do PV no Maranhão, Adriano Sarney, emitiu um comunicado, nesta noite, confirmando que o partido realizou sua convenção no último sábado, dia 30, oportunidade na qual foram homologadas as chapas proporcionais para Assembleia Legislativa e Câmara Federal.

Os verdes estão federados com o PT e PC do B.

De acordo com a nota, os convencionais decidiram delegar a executiva regional o poder de decisão sobre a chapa majoritária – Governo e Senado.

“O Partido Verde fez a sua convenção no último sábado, dia 30. Os convencionais homologaram as chapas para deputado estadual e federal. Mas, decidiram delegar o poder de decisão sobre a chapa majoritária para a Executiva Regional da legenda até o prazo final das convenções eleitorais, dia 05 de agosto. O encaminhamento é resultado de pendências, como a ainda indefinição da data da convenção e dos acordos finais da Federação Fé Brasil, da qual o PV faz parte”, disse o comunicado.

Em contato com o editor do Blog, Adriano Sarney afirmou que os membros do partido ainda estão aguardando posicionamento dos representantes das outras siglas federadas e do próprio ex-governador Flávio Dino (PSB) sobre a indicação de um verde para ocupar a vaga de primeiro suplente na chapa senatorial que será encabeçada pelo comunasocialista.

“Na verdade, a suplência foi mais uma ideia da nacional quando analisou o cenário estadual e o peso do nosso partido local. O que queremos na estadual é que os acordos firmados entre os partidos sejam cumpridos. Estamos aguardando”, informou o parlamentar, que é candidato a reeleição.

A federação partidária, apesar de não possuir o PSB, é controlada no Estado por Dino, que já indicou como sua 1ª suplente a vice-prefeita de Pinheiro, Ana Paula Lobato, que deixou o PDT para ingressar no PC do B.

Ela é esposa do presidente da Assembleia Legislativa e candidato a reeleição, Othelino Neto (PC do B), coordenador da campanha de Dino.

Para 2ª suplência, Dino contemplou outro comunista, qual seja Egberto Magno.

No entanto, o Cidadania, da senadora Eliziane Gama, trabalha para indicar o Pastor Porto, ex vice-governador.

O petismo está contemplado na chapa majoritária para o Governo, com o ex-secretário de Estado da Educação, Felipe Camarão, como vice do atual governador Carlos Brandão (PSB).

Para o PV, nada foi oferecido até o momento.

Sobre o apoio da legenda para o Governo, é questão pacificada, pelo menos até então, o nome de Carlos Brandão.

Com informações do Blog Gláucio Ericeira

segunda-feira, 6 de junho de 2022

Adriano Sarney reafirma que não está fechado apoio da Federação PV-PCdoB-PT


Em entrevista ao Imirante, o deputado Adriano Sarney, disse que definiu questão quanto a aliança pela candidatura a reeleição do governador Carlos Brandão (PSB), mas ainda debate composição de candidato a vice e também de apoio ao Senado.

“As palavras estão apalavradas porque ainda não tem nada oficializado porque precisamos criar uma comissão provisória da federação dos três partidos. Então, precisamos fazer ainda um documento formal com as nominatas proporcionais e majoritária com o consenso dos três partidos para a nacional e se houver consenso. Tudo isto até o dia 10 de julho, as justificativas devem está tudo com a nacional. Assim teremos a autorização para realizar a convenção da federação”, disse Adriano.

Na prática, sem uma posição definida do PV no Maranhão, as movimentações da direção estadual do PT – cujo encontro de tática eleitoral ocorreu no último final de semana – será mais uma formalidade partidária sem uma validade para a federação.

Ou seja, o PT local pode definir o candidato a vice de Brandão, mas precisará de aval do PV e PCdoB. Se não houver consenso, somente a comissão provisória nacional que definirá.

sexta-feira, 3 de junho de 2022

Dino e Rubens Jr podem ser punidos pela Justiça Eleitoral por abuso de poder político e econômico

A Procuradoria Regional Eleitoral já instaurou uma linha de investigação preliminar sobre a denúncia, por meio de vídeo, que mostra o ex-governador Flávio Dino (PSB) e o deputado federal Rubens Junior (PCdoB) utilizando, na semana passada, um helicóptero da Secretaria de Segurança do Maranhão para viagens ao interior do estado.

O procurador eleitoral, Hilton Araújo, determinou que o caso seja devidamente apurado, verificando a auteticidade das informações veiculadas na mídia para que sejam tomadas as providências necessárias.

Caso haja real comprovação dos fatos, o ex-governador e o deputado federal Rubens Junior terão cometido crime eleitoral, pois ambos são pré-candidatos ao Senado e à reeleição. O ato configura abuso de poder político e econômico, previsto de punição pela Justiça Eleitoral.

Observadores avaliam que fica claro que o uso da aeronave do CTA (Centro Tático Aéreo) foi usado em caráter individual por Dino e seu pupilo, Rubens Junior, para motivações eleitoreiras nos municípios de Grajaú e Sítio Novo.

quinta-feira, 2 de junho de 2022

Lahesio Bonfim cria atrito com a oposição e pode ajudar Flávio Dino


Os constantes ataques a membros da oposição pelo ex-prefeito de São Pedro dos Crentes, Lahesio Bonfim (PSL), têm chamado a atenção de aliados e observadores mais atentos. A postura do ex-prefeito, e também pré-candidato ao governo, é vista como danosa à formada para impedir que Flávio Dino (PSB) seja eleito senador e derrote seu candidato ao governo, Carlos Brandão (PSB). Atitudes já são aplaudidas e incentivadas publicamente por membros da campanha do ex-governador.

Na semana passada, enquanto toda a oposição cobrava explicações do uso de helicóptero da Polícia Militar por Flávio Dino em sua pré-campanha, Lahesio deu entrevista a um jornal alinhado ao governo e atacou membros da oposição.

O resultado da intervenção desastrada de Bonfim foi a criação de m clima de instabilidade entre os adversários do comunista e a saída do escândalo da pauta política.

Antes do evento do último fim de semana, Bonfim já havia atacado o presidente de seu partido, deputado federal Aluísio Mendes; o senador e principal adversário de Flávio Dino nas eleições deste ano, senador Roberto Rocha; o presidente nacional do PTB, ex-deputado federal Roberto Jefferson e até mesmo o ex-prefeito de São Luís, Edivaldo Holanda Jr (PSD).

TALEBÃS, BARBEIRAGENS E FAKE NEWS

Aliados mais experientes culpam um grupo que cerca Lahesio pelas ações que enfraquecem a oposição e fortificam Dino. Segundo eles, o grupo incentiva Bonfim a atacar todos de forma indiscriminada, espalhar notícias falsas e divulgar pesquisas forjadas. O grupo é chamado nos bastidores como “talebãs”.

Alguns interlocutores do blog afirmam que o grupo tenta incutir na cabeça de Bonfim que ele é um enviado do próprio Deus para salvar o Maranhão. A postura paralela ao fanatismo religioso foi responsável pela criação do apelido de “Os Talebãs de Lahesio”. O grupo é tratado com galhofa pelos membros mais experientes da campanha.

Apesar disso, a influência negativa devastadora dos Os Talebãs de Lahesio na campanha não é negada por ninguém.

“Ele está começando a ter a fama de mentiroso. Porque acerta algumas estratégias e dias depois vai e faz tudo diferente”, disse uma fonte ao blog.

“É muito preocupante ver que uma campanha tão promissora e um candidato tão bom está sendo sabotado pela influência de débeis mentais”, continuou outro aliado em conversa com o blog.

O fato é que as ações equivocadas na campanha se acumulam. E elas vão desde ataques gratuitos a uma rede de divulgação de fake News.

Em julho do ano passado, Bonfim criou uma confusão na campanha quando disse, em entrevista à TV Mirante, que não era bolsonarista. A declaração foi bombástica na campanha e forçou Lahesio a desculpar-se. Contudo, o episódio foi o primeiro de uma série de declarações ao longo do último ano.

Poucos meses atrás, blogs ligados ao grupo divulgaram a notícia falsa de que o prefeito Eduardo Braide havia procurado Bonfim para negociar a entrada da esposa, Graziela Braide, como vice na chapa de Bonfim. A notícia é requentada até hoje. Detalhe: Graziela não possui filiação partidária e não pode ser candidata nem se quisesse.

Ainda no começo do ano também foram divulgadas pelo grupo pesquisas que apontavam Bonfim como líder na disputa pelo governo. Os levantamentos viraram motivo de campanha.

No mês passado, toda a oposição decidiu unir-se entorno do senador Roberto Rocha na disputa pelo senado contra Flávio Dino. O acordo foi selado em uma reunião que contou com a participação de Bonfim. Poucos dias após o acertado, Lahesio apareceu com o pastor Bel (que é acusado por um suposto escândalo sexual em que foi gravado se masturbando) e declarando apoio a ele na disputa pelo Senado Federal.

Ao ser questionado sobre o acordo do seu partido para apoiar Rocha, Bonfim disse que o presidente da legenda, Aluisio Mendes, não tinha “procuração para falar por ele”. A declaração soou como uma bomba uma vez que o PSC foi o único partido eu deu espaço a Lahesio após ele ser expulso e perder várias outras legendas.

Após a repercussão negativa, Bonfim mais uma vez teve que se desculpar e gravar vídeo declarando apoio a Rocha.

VAI FUNDO!

As barbeiragens já começam a ser aplaudidas por membros da equipe de Flávio Dino. Após a declaração desastrosa do fim de semana, o secretário de comunicação do governo, Ricardo Cappeli, usou as redes sociais para incentivar Bonfim no ataque aos outros membros da oposição.


Como previsto, está esquentando a briga pela segunda vaga num eventual segundo turno no Maranhão. E eles têm razão. Só um deles sobreviverá. A tendência é que o bolsonarista original vença o neobolsonarista. A eleição será polarizada. A terceira via não vingou em nenhum lugar.

Cappeli, que é o homem forte de Flávio Dino no governo, tem incentivado Bonfim a atacar outros membros que disputam as eleições para assumir o protagonismo na oposição.

A intenção é fragilizar as demais candidaturas e destruir o clima de união contra Flávio Dino que se criou após a formação do consórcio Anti-Flávio Dino em apoio a Roberto Rocha.

Bonfim, sabe-se lá por que, parece atender ao chamado e colocar fogo na oposição.

segunda-feira, 30 de maio de 2022

Mesmo fora do governo, Flávio Dino age como governador de fato…


O governador-tampão Carlos Brandão (PSB) é apenas um retrato nas mãos do ex-governador Flávio Dino (PSB).

Sem desencarnar do cargo, é Dino quem atua como governador no interior.

Convalescendo de uma cirurgia feita do nada, Brandão vê seu mandato usurpado por Dino, que vai ao interior anunciar, vistoria e entregar obras, além de distribuir peixes e cestas básicas, símbolos do fracasso do seu governo no combate à miséria

Brandão tem-se escondido atrás de Flávio Dino desde que assumiu o governo; é Dino quem manda, determina pautas e faz a agenda do tampão.

A presença de Dino ao lado do eterno vice é uma forma de Brandão ser apresentado ao eleitor, já que trata-se de um ilustre desconhecido.

Mas vai chegar a hora em que o tampão não poderá mais recorrer ao padrinho para governar.

E muito menos para debater o estado…

Por Março D'eça

sexta-feira, 20 de maio de 2022

Paulo Romão se reúne com Adriano Sarney e reforça sua pré-candidatura ao Senado na Federação PT, PCdoB e PV

O pré-candidato a senador pelo PT, Paulo Romão, se reuniu com o Presidente Estadual do PV, deputado Adriano Sarney e trataram sobre a conjuntura política do estado.

O PT, PCdoB e PV fazem a federação partidária “Brasil da Esperança”. O ex-governador Flávio Dino tenta, a todo custo, ser o dono da federação e ditar os rumos dela, mas a articulação de Romão com o comando do PV no estado, mostra que ainda tem disputa pela candidatura ao senado na federação.

Paulo Romão defende que o PT e, consequentemente a federação, tenha uma candidatura orgânica do partido ao senado e se coloca à disposição. Ele também defende que o PT apoie a pré-candidatura do senador Weverton ao Governo do Estado.

“O PV integra oficialmente a federação partidária que sustenta a campanha vitoriosa de Lula e protocolei nosso pedido de reunião para apreciação pela Federação Partidária Brasil da Esperança de nossa pré-candidatura ao senado federal”, disse o pré-candidato a senador.


Com informações do Blog do Clodoaldo Correa

quinta-feira, 19 de maio de 2022

Depois do Partido Verde, o Podemos ainda não se definiu para o Senado


Após o deputado estadual e presidente do Partido Verde no Maranhão, Adriano Sarney, afirmar por meio das redes sociais que a federação formada pelo PV, PCdoB e PT ainda tem que questão quanto a chapa para majoritária, agora foi a vez do também deputado estadual Fábio Macedo, presidente do Podemos no Maranhão, voltou a reafirmar esta semana, durante inauguração da nova sede do partido, em São Luís, que a sigla ainda não definiu qual nome apoiará para o Senado.

A legenda já declarou apoio a pré-candidatura a reeleição do governador Carlos Brandão (PSB), que terá na sua chapa o ex-governador Flávio Dino (PSB) como postulante na disputa pela única vaga que será aberta para Câmara Alta.

De acordo com Macedo, o apoio a Brandão foi uma deliberação de consenso tomada por todos os filiados e pré-candidatos aos cargos de deputado estadual e deputado federal.

Situação que ainda não ocorreu em relação a Dino – pelo menos por enquanto.

segunda-feira, 16 de maio de 2022

Fracasso no combate à miséria, Flávio Dino quer evitar falar o tema na campanha


Dono da campanha do governador-tampão Carlos Brandão (PSB) e candidato a senador, o ex-governador Flávio Dino (PSB) que jogar para debaixo do tapete o debate sobre a miséria do Maranhão.

Fracassado no combate à pobreza, Dino tenta nacionalizar a campanha para evitar que o assunto fome seja tratado na campanha; para isso, conta com a ajuda do poderoso Grupo Mirante, a quem tem feito gestos desde que deixou.

Foi exatamente na Mirante que Flávio Dino desmentiu a si mesmo, negando, em 2018, que havia prometido, no palanque de posse, varrer a miséria do Maranhão.

Os índices sociais do estado, porém, são os priores da história, após quase oito anos de mandato do comuno-socialista.

Por isso, ele prefere evitar o assunto; e acha que se a Mirante não falar disto, o maranhense não saberá.

Ocorre que na era das redes sociais, a população tem informação para além das redes de TVs e rádio; a internet, por mais precária que seja, chega a todos os lugares.

E um fato Flávio Dino não pode negar: a miséria no maranhão piorou em seu governo.

Com informações do Blog do Marco D'eça

terça-feira, 3 de maio de 2022

Adriano Sarney enquadra Flávio Dino

O deputado estadual e presidente do PV no Maranhão, Adriano Sarney, utilizou as redes sociais, nesta segunda-feira (02), para ressaltar a lição que o senador maranhense Roberto Rocha (PTB) teria dado no ex-governador Flávio Dino (PSB).

Enquanto Flávio Dino exclui partidos das articulações da pré-campanha de Lula, seu adversário Roberto Rocha dá uma lição de como se constrói uma verdadeira Frente Ampla”, destacou Adriano.


O
 parlamentar se refere ao fato do PV ter sido excluído de encontros comandados por Flávio Dino, para tratar sobre a campanha do ex-presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), no Maranhão.

Vale lembrar que existe um processo de Federação entre os partidos: PT, PCdoB e PV, mas mesmo assim o partido comandado por Adriano Sarney não tem sido convidado para as reuniões.

Por conta disso, Adriano fez questão de ressaltar a Frente Ampla de partidos, onze num total, que estarão apoiando a pré-candidatura do senador Roberto Rocha ao Senado. Além disso, o partido de quatro pré-candidatos ao Governo do Maranhão, também estão apoiando a reeleição de Rocha.

segunda-feira, 2 de maio de 2022

Roberto Rocha demonstra habilidade e impõem dura derrota a Flávio Dino


O ex-governador Flávio Dino tinha um sonho: disputar o Senado Federal no pleito de outubro sendo o único postulante de uma ampla frente de concorrentes ao Governo do Estado. Isso garantiria ao ególatra comuno-socialista um voo tranquilo para seu projeto personalista: se eleger senador, depois se tornar ministro em um eventual Governo Lula e, por fim, ser indicado a uma das vagas que se abrirão no STF.

Porém, a postura desagregadora – do próprio e das principais figuras que o cercam – terminaram por transformar o sonho em pesadelo. Um a um, aliados importantes foram cerceados e obrigados a bater em retirada, simplesmente por não dizerem “amém” a tudo aquilo que era imposto por Dino.

Agora, veio o golpe de misericórdia: em coletiva de imprensa, nesta segunda-feira (2), com a presença de representantes das pré-candidaturas ao Palácio dos Leões de Edivaldo Holanda Júnior (PSD), Josimar de Maranhãozinho (PL), Lahesio Bonfim (PSC) e Weverton (PDT), além de partidos que orbitam em torno destas, como Republicanos, Agir36 e PROS, Roberto Rocha (PTB) anunciou que disputará a reeleição ao Senado Federal.

Além disso, veio o anúncio do apoio da ampla frente citada acima. Em paralelo ao projeto estadual de cada um, estas forças políticas de diferentes grandezas se unem em torno de uma candidatura única ao Senado Federal. Uma derrota que será difícil de digerir para quem possui uma realeza inteira na barriga.

A obsessão de Flavio Dino em esmagar Weverton Rocha


É o governador Flávio Dino o maior responsável pelas fake news sobre uma improvável desistência de Weverton Rocha da disputa de governador.

Por trás dos ataques ao pedetista em blogs palacianos, pasquins, programas de rádio e redes sociais, inclusive nas tuitadas do atual secretário de Comunicação, Ricardo Cappelli, estão as digitais do ex-governador.

Dino nunca viu em Weverton um aliado. Vê no promissor político do PDT um adversário político e geracional desde que fora superado em votos na disputa eleitoral de 2018.

Os sete anos a frente do Palácio dos Leões deformaram Dino. O jovem e promissor político oriundo do judiciário tornou-se um protótipo mal sucedido do ex-presidente Sarney, que fracassou ao tentar impor sua liderança política pelo medo e pela perseguição de adversários.

Em julho do ano passado, Dino propôs um processo democrático para escolha do candidato à sucessão. Encenação pura! Embora Weverton atendesse a todos os critérios estabelecidos pelo socialista, ele escolheu Carlos Brandão, desesperado para sufocar a liderança do pedetista.

Weverton, ainda assim, seguia leal a Dino. Mesmo após traído, indicava que queria votar nele para senador, contra a vontade da maioria absoluta de seus aliados.

Nem isso foi capaz de demover o ex-governador de sua jornada persecutória. Dino, até o último minuto, usou a máquina do estado para sufocar o senador do PDT, esvaziar sua candidatura, colocando-o sempre como um inimigo a ser vencido.

Brandão teria exigido Dino exclusivamente em seu palanque de reeleição ou o ex-governador não tolera mesmo a ascensão política e eleitoral de Weverton?!

Quem convive diariamente com o socio-comunista conhece bem a resposta.

Com informações do Blog do Kiel Martins

sexta-feira, 29 de abril de 2022

Flávio Dino não será apoiado pelo grupo de Weverton para o Senado

Em entrevista, nesta sexta-feira (29), ao podcast “Sai da Lama”, apresentado pelo jornalista Jonas Filho, da cidade de Caxias-MA, o senador Weverton Rocha (PDT), pré-candidato a governador do Maranhão, descartou qualquer apoio do seu grupo à candidatura do ex-governador Flavio Dino (PSB) a senador.

“Uma coisa o nosso grupo já tomou a decisão política. Nós não vamos votar no Flávio Dino depois de tudo que ele e a forma agressiva, dura, difícil e tudo que vocês viram e não precisa eu falar!”, disse o senador Weverton.

Segundo o senador, seu grupo político tem até as convenções para escolher qual nome irá apoiar como candidato ao Senado.

Desde o anúncio de Carlos Brandão como escolha pessoal de Flavio Dino para ser candidato a governador, Weverton Rocha mantinha postura de simpatia à candidatura de Dino, seu agora ex-aliado. Entretanto, os mais atentos observadores da cena política já esperavam que em algum momento Weverton e seu grupo fariam a declaração de descarte do apoio ao nome de Flávio, em razão do clima hostil patrocinado pelo grupo em torno do ex-governador ao senador.

sexta-feira, 22 de abril de 2022

Flávio Dino foge de Othelino Neto


Na noite da última quarta-feira (20/04), o presidente da Alema, Othelino Neto, realizou um concorrido evento de lançamento da sua pré-candidatura à reeleição como deputado estadual. No entanto, uma ausência chamou mais a atenção que as presenças que ali se manifestaram.

O ex-governador Flávio Dino (PSB), que está com bastante tempo livre, agora que os despachos do Palácio dos Leões são conduzidos pelo governador-tampão Carlos Brandão, não fez a menor questão de se fazer presente e aparecer ao lado daquele que foi tomado a peso de ouro das fileiras do senador Weverton (PDT), pré-candidato ao governo que lidera as pesquisas.

Com o apoio de Othelino Neto garantido através da primeira-suplência à Ana Paula Lobato (PSB), sua esposa, na chapa ao Senado encabeçada por Dino, que sonha dia e noite não com a Câmara Alta, mas sim com um ministério no eventual governo Lula e em uma indicação ao STF, parece que o ex-governador não quer ser visto ao lado de quem está com fama de “traíra” pelos quatro cantos do Maranhão.

Até o presente momento, não houve nenhuma aparição pública de Othelino Neto e Flávio Dino, desde o acordo selado para que ele, que era um dos “cabeças” da campanha pedetista aos Leões, pulasse de volta para o seio palaciano.

Com informações do Blog Verdade 98

terça-feira, 19 de abril de 2022

Dino diz que bolsonarismo tem que voltar para o inferno


O ex-governador Flávio Dino (PSB) tenta se manter vivo no debate político nacional fazendo o que ele mais gosta: criticar o presidente Jair Bolsonaro (PL).

Depois de chamar o capitão reformado do Exército de demônio, e ter sido desmascarado pelo mesmo acerca do envio bilionário de recursos federais para o Maranhão, o comunasocialista, em entrevista ao Valor Econômico, disse estar confiante na vitória de Lula (PT); e voltou a defender o estabelecimento de uma terceira via presidencial como forma de contribuir para que o bolsonarismo volte para o inferno.

“Qualquer coisa que se consolide fora do bolsonarismo atrapalha o crescimento dele. A terceira via só cresce disputando pelo campo da direita. O que drenou a energia vital do pensamento de centro-direita no Brasil não foi o Lula, não foi a esquerda, foi a extrema direita, foi o bolsonarismo. Ela [terceira via] tem que de fato combater o bolsonarismo na eleição de 2022, e para ter sobrevivência no futuro. Eu espero que eles tenham êxito, porque Bolsonaro perderá, mas nós precisamos que também o bolsonarismo volte para a sua casinha. [Precisamos] que o demônio volte para o inferno”, afirmou o pré-candidato ao Senado.

segunda-feira, 18 de abril de 2022

Fracasso de Flávio Dino atinge Brandão e irrita familiares do governador-tampão


O fim da gestão de Flávio Dino (PSB) no Maranhão expôs em luz neon a farsa que foi o governo comunista.

Mas esta farsa – que vem ganhando cores cada vez mais fortes nas últimas semanas – atinge também o sucessor de Dino, o governador-tampão Carlos Brandão, que tenta viabilizar sua reeleição em meio à greve de servidores públicos, aumento da miséria em todos os níveis e agora um calote de R$ 280 milhões deixado pelo comunista.

Mais próximo do antigo Grupo Sarney que do próprio Flávio Dino, Brandão usa a mídia poderosa do grupo para se descolar da imagem ruim deixada por Dino, mas enfrenta dificuldades pelo envelhecimento precoce do próprio governo, formado por ex-políticos que já estavam com as chuteiras penduradas.

O grande legado da gestão de Flávio Dino é o aumento da miséria e o fracasso no combate à fome.

E este legado atinge Brandão em cheio, deixando o vice-governador estagnado nas pesquisas e sem poder atender a aliados sedentos de espaços de poder e dinheiro.

A divisão da comunicação em dois grupos distintos – dinistas e sarneysistas – um comandado por Ricardo Capelli e outro por Sérgio Macedo, tem tornado ainda mais difícil a vida do governador-tampão.

Seguindo as ordens de Flávio Dino, Capelli insiste em vincular o atual governo com o antecessor, tentando mostrar que Brandão é a continuidade de Dino; isso irrita a família do tampão, que usa Macedo para tentar vender a imagem de um novo governo, todo novo, embora com velhas práticas.

Quinze dias depois de assumir o mandato, Brandão ainda não se decidiu se é governador ou candidato, confundindo as agendas e a própria população, boa parte sem saber ainda quem é que continua mandando.

E ele só tem mais 75 dias para dar sua imagem ao Maranhão…

Por Março Aurélio D'eça

terça-feira, 12 de abril de 2022

Barco à deriva: Deputado Rafael terá teste de fogo nas eleições deste ano


O cerco começa se fechar e a situação do deputado estadual, Rafael ex- Leitoa segue um verdadeiro “barco à deriva” na sua carreira política, agora “solo”.

Pela região de Matões, Timon e também Parnarama, o clima não é amistoso para o deputado estadual, que acumula de não cumprir promessas e lá outras series de coisas.

É triste citar a região do Riacho do Garapa e a MA-040. A comunidade está cada vez mais conformados em saber que dificilmente, da forma que está sendo conduzido pelo deputado, saíra do papel.

Agora perdeu a liderança do governo na Assembleia Legislativa do Maranhão, essa conjuntura de um barco à deriva mostra claramente a inconsistência política do deputado Rafael, que por sorte, está com unhas e dentes na defesa do governador Carlos Brandão, sua única válvula de escape. Essa eleição pra ele será tipo aquelas do tudo ou nada, se der errado, já era!

Para piorar, ele ainda vai ver seu fiel aliado na Câmara de Timon, Uilma Resende, perder o comando daquela Casa Legislativa para um vereador governista. Sem contar que seus cargos em Timon, estão sendo todos bem divididos entre os outros aliados do governador Brandão.

A exemplo dessa onda de enfraquecimento, o mais antigo deles, bem no início, o rompimento com o grupo Leitoa, um dos grandes grupos políticos do Maranhão. Traindo seu “tio-pai” que não esconde em Timon sua decepção com o sobrinho. Segundo uma fonte bem posicionada da política timonense, nos disse que foi feita uma pesquisa de consumo interna e no seu maior reduto eleitoral político, a cidade de Timon, ele aparecia em quarto nas pesquisas.

Começou a complicar…

segunda-feira, 4 de abril de 2022

Flávio Dino atribui a pobreza no Maranhão à política econômica de Bolsonaro


Em entrevista à TV Mirante nesta segunda-feira, 4, Flávio Dino atribuiu a pobreza no Maranhão à política econômica nacional.

O agora ex-governador, que se elegeu em 2014 com a promessa de tirar o estado da miséria, culpou o governo Bolsonaro pelos baixos índices econômicos e sociais do Maranhão, retirando da gestão estadual qualquer responsabilidade no que diz respeito ao combate à pobreza.

“Quem faz política econômica no Brasil é o governo federal. O governo do estado tem poucos instrumentos. O Banco Central é federal, o BNDES é federal, os bancos de desenvolvimento de modo geral são todos federais. Quando a política econômica federal é ruim, como é atualmente, é claro que todos os estados sofrem”, disse Flávio Dino.   

domingo, 27 de março de 2022

Flávio Dino ataca evangélicos


O governador Flávio Dino (PSB) decidiu integrar a campanha de ataque contra o ministro da Educação Milton Ribeiro. Evangélico, o ministro tem sido alvo de uma forte campanha da esquerda após vazamento de áudios em que Ribeiro conversa com pastores.

“Eu faço questão de lembrar que o crime de corrupção passiva não se consuma como recebimento de uma vantagem indevida. Pelo Código Penal a mera solicitação de vantagem indevida já configura crime de corrupção. Então nós temos um particular provavelmente em conluio com agentes públicos solicitando vantagens indevidas”, disse Flávio Dino

Milton Ribeiro tem sido alvo de uma campanha que pede seu afastamento. O crime nos áudios divide opiniões e não caracteriza, de forma inconteste, algum tipo de crime. Nos bastidores defensores do ministro afirmam que esse tipo de conversa é comum em Brasília. “O fato de ir a Brasília procurar recursos para determinado grupo é prática comum. Todos fazem isso e todos podem fazer isso. No fundo essa polêmica toda só acontece porque se trata de evangélicos ligados ao governo”, disse o ex-ministro do Meio Ambiente Ricardo Salles.

Flávio Dino tem pedido constantemente a expulsão de Ribeiro da pasta.

“E espanta que até agora essa gente não tenha sido afastada, nem pelo próprio presidente da República, ou pelo Poder Judiciário, porque são fatos gravíssimos envolvendo o destino de milhões de crianças e jovens de todo o Brasil”, disse.

A intolerância com a suposta corrupção nos áudios envolvendo Milton Ribeiro parece não ser a mesma quando o assunto é o próprio governo. Há cerca de um ano o governo de Flávio Dino foi envolvido com um caso que comprovadamente resultou em prejuízo aos cofres públicos. Em convênio com o Consórcio Nordeste, o Governo do Maranhão pagou cerca de R$ 5 milhões por respiradores que nunca foram entregues.

Ninguém foi exonerado ou afastado pelo caso.

quinta-feira, 24 de março de 2022

Flávio Dino teria negociado suplência de senador, vice-governadoria e até vaga no TCE para Othelino


Os cenários finais do governo Flávio Dino (PSB) mostram um chefe do Executivo disposto a negociar o máximo possível para ter aliados do senador Weverton Rocha (PDT) sob seu controle político.

As tentativas de cooptação de aliados do pedetista, em favor do seu pupilo, o vice-governador Carlos Brandão (PSDB, de ida para o PSB), vão além da imaginação. O pano de fundo é a disputa para o Governo do Maranhão.

O alvo do momento é mesmo o presidente da Assembleia Legislativa do Estado, deputado Othelino Neto, que ameaçou deixar o PCdoB pelo PDT, apoiar Weverton e mudou radicalmente de rumo nos últimos dias.

Ao que parece Othelino teria até sido escalado para convencer o senador pedetista a mudar de ideia e desistir de sua pré-candidatura ao Palácio dos Leões. Porém, até agora, mesmo acuado Othelino resiste em apoiar Weverton, mas não se sabe até quando, mediante os constantes assédios políticos do governador em fim de mandato.