Mostrando postagens com marcador José Sarney. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador José Sarney. Mostrar todas as postagens

domingo, 16 de janeiro de 2022

Sarney faz um novo pedido a Bolsonaro


José Sarney está operando para emplacar o advogado Gustavo Amorim como novo desembargador federal, na vaga deixada por Kassio Marques no TRF da 1ª Região, informa a revista Crusoé. Gustavo vem a ser marido de Rafaela Sarney, neta do ex-presidente da República.

José Sarney, por sinal, tem sinalizado a aliados que sua relação com Jair Bolsonaro – a quem caberá a decisão final sobre a vaga – vai muito bem. Embora mantenha uma amizade estreita com Lula, ele faz circular entre os políticos maranhenses que Bolsonaro costuma procurá-lo com certa frequência para se aconselhar.

Favorito


O Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) escolheu, em dezembro do ano passado, os seis nomes dos advogados aptos a concorrer à vaga deixada pelo ministro Kassio Nunes Marques, agora do Supremo Tribunal Federal (STF). A vaga é para desembargador federal destinada ao Quinto Constitucional da advocacia.

Integra a lista o advogado Luis Gustavo Soares Amorim de Sousa. Ele é um nome de peso na disputa por ser sobrinho do ministro do STJ Reynaldo Soares da Fonseca e genro de Roseana Sarney, ex-governadora do Maranhão e presidente do MDB no estado.

Além disso, Amorim é filho do desembargador Leomar Amorim, que morreu em 2014 e era muito querido no tribunal, tendo sido chamado na corte de “guerreiro da alma invencível”. O advogado trabalhou no Ministério de Minas e Energia em 2009, ano em que já namorava Rafaela Sarney, filha de Roseana. Foi nomeado pelo então ministro Edison Lobão, ex-presidente do Senado filiado ao MDB.

Sem críticas a Bolsonaro

Em entrevista na virada do ano, a ex-governadora Roseana Sarney evitou fazer críticas à gestão do presidente Bolsonaro. “É difícil uma avaliação direta do Bolsonaro, mas eu me resguardo para não falar nada, tem coisa que é sempre a história que vai dar o seu parecer como está sendo a era Bolsonaro”, tergiversou Roseana à TV Mirante.

segunda-feira, 13 de dezembro de 2021

Flávio Dino busca aliança com o Grupo Sarney


Depois de passar sete anos se vendendo para a população maranhense como o responsável pelo fim da “oligarquia Sarney” no estado, Flávio Dino não vê outra opção a não ser se aliar ao grupo do ex-presidente do Brasil para dar continuidade aos seus planos em 2022.

A prova disso é que Dino está agindo para colocar o MDB, presidido pela ex-governadora Roseana Sarney, no mesmo palanque que Carlos Brandão (PSDB) para as eleições do governo do estado no próximo ano, conforme revelou o jornal Valor Econômico.


A própria ex-governadora Roseana, que pretende disputar uma vaga para a Câmara Federal no próximo ano, já está sendo cotada para integrar a chapa. Tudo isso, com as bençãos de Flávio Dino.

E Brandão já admite a formação da aliança com os emedebistas, dada a boa relação que ele diz ter com a família Sarney. “Tenho um excelente diálogo com o MDB. Estamos dialogando e temos prioridade do partido na composição de uma aliança”, disse o tucano ao Valor.

segunda-feira, 15 de novembro de 2021

União Sarney/Dino ‘sacramentaria de uma vez a eleição’, diz Joaquim Haickel


Por Joaquim Haickel 

Um empresário amigo meu me ligou pedindo que eu comentasse sobre os possíveis caminhos que a política do Maranhão pode tomar, e resolvi postar aqui hoje, o que eu disse pra ele naquela ocasião.

Falei-lhe sobre alguns dos cenários que poderão se materializar em 2022, me abstendo de dar minha opinião pessoal e valorativa em relação a qualquer uma das possibilidades ou a política em si.

Primeiro busquei enxergar as coisas do ponto de vista do grupo do governador Flávio Dino.

Acredito que a melhor opção para Flávio seria ele ser candidato a vice de Lula, fato que é bastante plausível. Neste cenário Brandão seria candidato a governador e Weverton indicaria os candidatos a senador e a vice de Brandão.

Porém há uma variável neste contexto. A montagem de um cenário ainda maior, algo mais monumental, que resultasse em uma ampla coalisão, que envolvesse também o grupo Sarney, o que sacramentaria de uma vez a eleição de todos, sem que muitas forças, políticas e financeiras fossem despendidas.

Neste caso a vaga ao senado ser oferecida ao grupo Sarney, cabendo a Weverton aceitar indicar o suplente de senador e o vice-governador.

Essa arquitetura seria digna de um Oscar de melhor direção de arte.

Outra boa opção para Dino seria ele ser candidato a senador, Brandão a governador e Weverton indicar os candidatos a suplente de senador e vice-governador.

Aqui também pode haver a troca do parceiro de chapa. No lugar de se compor com o grupo de Weverton, Flávio poderia se compor com o grupo Sarney!

Há, porém, um outro cenário que pode acabar se materializando. Seria Flávio concorrer ao senado com a mulher de Jerry na suplência, Brandão disputar o governo com Felipe Camarão de vice, o que iria rachar seu grupo e faria com que o resultado ficasse completamente imprevisível, principalmente se outros candidatos ao senado e ao governo entrarem na disputa.

Agora vejamos as coisas do ponto de vista do grupo do senador Weverton Rocha.

Fazer acordo com o governador Flávio Dino, não é de todo mal para Weverton, desde que ele possa indicar o suplente de Flávio e o vice de Brandão.

Caso isso não aconteça, a melhor opção para Weverton é ceder a vaga de senador e de vice-governador em sua chapa para quem possa oferecer a ele forças suficientes e necessárias para vencer seus adversários, no caso, Dino e Brandão. Essas forças seriam Roseana Sarney, Eduardo Braide, Roberto Rocha, Josimar de Maranhãozinho, Lahesio Bonfim e Edvaldo Junior.

Por fim, imaginando agora um cenário visto com os olhos dos outros atores desse enredo, algo pouco provável, mas factível de acontecer, caso seja possível haver algum tipo de acordo entre lideranças de temperamentos e posicionamentos tão diversos.

Roseana Sarney, Eduardo Braide, Roberto Rocha, Josimar de Maranhãozinho, Lahesio Bonfim e Edvaldo Junior, só precisariam esperar que o grupo comandado pelo governador Flávio Dino se divida, para unirem forças formando uma chapa capaz de concorrer de igual para igual com as outras, inclusive, quem sabe, até garantindo uma vaga no segundo turno das eleições.

Até pelo fato de ser detentor do poder de mando e ter maior possibilidade de montagens de uma boa chapa, o grupo do governador Flávio Dino, tem a vantagem nesta disputa. Mesmo assim o grupo do senador Weverton Rocha é mais aguerrido e mais bem estruturado politicamente, uma vez que o grupo governista passou oito anos dando pouca atenção aos políticos. Quanto aos outros grupos, ou eles se esfacelaram ou nunca existiram efetivamente e para existirem de fato, precisariam se entender.

Resumo da ópera: No que diz respeito ao senado, os cenários são favoráveis a Flávior, caso não tenha um concorrente que possa motivar a latente reação subterrânea que há contra todo detentor de poder que age como ele.

Quanto a disputa pelo Governo do Estado, o cenário mais provável é aquele com pelo menos quatro candidatos. Brandão, Weverton, Edivaldo e Lahesio.

Sobre o resultado… Eu nunca fui de prever resultados. Já disse e repito, eu analiso cenários. Quem quiser que tire suas próprias conclusões.

A mim só resta repetir o que dizia o grande Lister Caldas, “Quem viver verá”!…

terça-feira, 9 de novembro de 2021

Roseana não descarta disputar o Senado


Diferente do que havia sido divulgado pelo deputado estadual Roberto Costa (MDB), a ex-governadora e presidente do MDB no Maranhão, Roseana Sarney, já não descarta a possibilidade de disputar o Senado, principalmente, após consultar pesquisas que mostram uma queda acentuada do governador Flávio Dino (PSB) nas intenções de voto.

Amigos próximos da ex-governadora, afirmam que ela não está satisfeita com as declarações de Roberto Costa sobre seu futuro político e com a tentativa de aproximação feita do governador Flávio Dino (PSB), da sua família.

E foi justamente por conta da queda nas pesquisas, Dino procurou o ex-presidente José Sarney para tratar das eleições, oferecendo a primeira suplência de senador em sua chapa.

Mas quem conhece o perfil Roseana sabe que ela não quer saber de conversa com o governador; pelo contrário, tem feito críticas constantemente ao governo do comuno/socialista, o que demonstra que ela pode estar se preparando para o debate político, e as pesquisas que apontam chances reais de ela vencer Dino numa disputa tète-a-tète pelo Senado.

Embora, no momento, a família resista à ideia de um confronto nas eleições majoritárias, Roseana tem sido estimulada por amigos e lideranças do MDB, diante de números animadores para o Senado.

E já vem sendo ciceroneada por interlocutores dos candidatos a governador, do deputado Josimar Maranhãozinho (PSD) ao ex-prefeito Edivaldo Júnior (PSD); do prefeito Lahésio Bonfim (PTB) ao senador Weverton Rocha (PDT).

A todos ela diz que pretende concorrer a deputada federal, mas que aguardará até junho.

É aguardar para conferir a marcha dos acontecimentos.

quarta-feira, 13 de outubro de 2021

Flávio Dino encontra-se com José Sarney


O governador Flávio Dino (PSB) reuniu-se, na semana passada, com o ex-presidente da República, José Sarney (MDB).

O socialista e o emedebista, de acordo com o que foi apurado, não discutiram sobre política.

Dino foi pedir o apoio de Sarney no que se refere a ocupar a cadeira de número 32 da Academia Maranhense de Letras, que pertencia ao seu pai, Sálvio Dino, que faleceu ano passado vítima da Covid.

O ex-juiz federal não possui bom relacionamento com os demais membros da AML e enxerga no ex-presidente a figura perfeita para conduzir uma articulação que possa resultar na sua vitória.

Flávio Dino disputa a indicação com o juiz Eulálio Figueiredo, Antônio Guimarães de Oliveira e José Carlos Sanches.

Caso consiga se eleger, Dino será o terceiro governador a atingir a imortalidade pela AML.

Antes dele, foram eleitos José Sarney e Pedro Neiva de Santana, ambos, porém, escolhidos sem estarem no exercício do cargo.

Sarney foi eleito em 1952, 13 anos antes de se eleger governador; e Pedro Neiva em 1979, quatro depois de deixar o Palácio dos Leões.

Vale destacar que outras duas cadeiras na Academia - as de números 02 e 15 – também continuam vagas.


Com informações do Blog do Gláucio Ericeira

quinta-feira, 7 de outubro de 2021

Sarney ausente, mas Lobão participa de encontro com Lula


Lula janta na casa de Eunício Oliveira com outros integrantes do MDB. A interlocutores, o ex-senador ressalta que não se trata de um “evento político, mas uma reunião entre amigos”.

Na visita que fez ao Ceará no mês passado, o petista também almoçou com Janja e Gleisi Hoffmann na casa do emedebista em Fortaleza.

Dos convidados, Renan Calheiros declinou, para evitar que a milícia bolsonarista associe o encontro ao relatório final da CPI da Covid, que será entregue no dia 19.

Jader Barbalho não foi localizado, enquanto José Sarney também abriu mão para poder acompanhar Marly no hospital – a ex-primeira-dama foi internada dias atrás.

Também confirmaram presença Ibaneis Rocha, Edison Lobão e Romero Jucá.

quarta-feira, 1 de setembro de 2021

Mudou Sarney ou mudaram seus críticos?


O registro da visita do presidente da Assembleia Legislativa do Maranhão, deputado Othelino Neto, ao ex-presidente José Sarney será daqueles momentos no futuro que determinam a separação entre eras. O sorriso efusivo que fugiu da máscara alimentado pela felicidade de estar ao lado de José Sarney diz muito sobre o momento que passamos. A importância política, cultural e social começa a romper até a convicção de seus mais pretensiosos críticos.

O encontro produziu uma foto em suas redes sociais em tom de tietagem. Othelino seguiu o exemplo de Flávio Dino que, meses atrás, procurou José Sarney para falar em democracia.

No dia 11 de agosto o ex-presidente foi condecorado com a máxima honraria da Assembleia Legislativa, a Medalha do Mérito Legislativo “Manuel Beckman”. Aprovada por unanimidade em uma casa dominada por uma corrente política que se apresenta como antisarney.

Ironia que apenas aos 91 anos e após uma vida de glórias e feitos, Sarney seja considerado digno de tal honraria em sua terra natal. E mais irônico ainda é que antes da Manuel Beckman, Sarney já acumule uma série de honrarias de caráter mundial como a Grã-Cruz da Ordem Nacional da Legião de Honra de França.

E o que explica a repulsa que o ex-presidente causou até tempos atrás? Época em que políticos como o deputado estadual Othelino Neto sequer cogitavam visitas?

Sarney foi vítima de uma das maiores campanhas de assassinato de reputação que se teve na história desse país. Foi alvo preferencial de Lula, Flávio Dino e do próprio Othelino. No fim da vida, como prova de sua sagacidade, tem as paredes pichadas de sua história limpas pelos pichadores. Limpas por Lula, Flávio Dino, Othelino e tantos outros que a sujaram.

Aos poucos o ex-presidente vai deixando de ser “um velho oligarca” e vai se transformando em estadista, grande pessoa, grande líder.

Não, não mudou Sarney. Sua essência é a mesma. Será a mesma pelos próximos séculos. E será lembrado por séculos porque se trata do maior maranhense que já viveu sob qualquer aspecto.

Do ponto de vista político, Sarney ocupa o cargo de mais sábio e arguto articulador vivo. Ser ex-presidente é um detalhe dentro da vastidão de sua influência política.

Do ponto de vista intelectual, possui uma obra literária vasta e de profundidade indiscutível e valor indubitável. São poucos os homens e mulheres que conseguem ser interlocutores ao invés de ouvintes.

Do ponto familiar, José Sarney sustenta um casamento amoroso de 69 anos núcleo de uma estrutura familiar admirável. E, tenho cá com meus botões, de que esse é seu maior tesouro.

Com essas três riquezas, todo o resto é perfumaria.

A reverência de Othelino é apenas mais um tijolo na coluna das lamentações que os (ex)críticos de José Sarney erguem nos últimos anos. Mais um tijolo em mais uma coluna entre milhares de colunas que sustentam a cidadela de uma história espetacular.

Os pequenos estão sendo os últimos a perceber sua grandeza. Antes tarde…

Linhares Jr

terça-feira, 31 de agosto de 2021

José Sarney recebe a visita de Othelino Neto


O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Othelino Neto (PCdoB), foi recebido na noite desta segunda-feira, 30, pelo ex-presidente da República José Sarney (MDB).

O encontro ocorreu no apartamento do emedebista, em São Luís, com a participação dos também deputados estaduais Roberto Costa (MDB) e Adriano Sarney (PV).

“Hoje visitei o ex-presidente José Sarney. Conversamos sobre o momento delicado por que passa o Brasil e a importância do diálogo, da tolerância e do respeito à democracia. Agradeço pela receptividade e pela companhia dos deputados Roberto Costa e Adriano”, destacou Othelino nas redes.

sexta-feira, 20 de agosto de 2021

Lula diz a Roseana que quer PT e MDB juntos no Maranhão


O ex-presidente Lula (PT) disse à ex-governadora Roseana Sarney (MDB) que pretende ter PT e MDB no mesmo palanque, tanto na corrida presidencial quanto nas eleições estaduais.

Lula jantou com Roseana e com o também ex-presidente José Sarney – em petit comitè, nesta quinta-feira, 19 – e mostrou-se entusiasmado com os números da ex-governadora nas pesquisas.

Embora tenha reafirmado que ainda não se decidiu a concorrer nas eleições de 2022, Lula frisou que o PT pretende formar a aliança de centro-esquerda que inclua também o MDB, o PDT, o PSB, o PCdoB e o PSOL.

Segundo informações, Lula não se manifestou em momento algum sobre suas preferências nas eleições maranhenses; mas sondou os Sarney sobre “as possibilidades do senador Weverton Rocha (PDT)”.

Ao ouvir, tanto de Roseana quanto de José Sarney que ela não pretende disputar as eleições majoritárias – embora lidere as pesquisas -, Lula reforçou que quer PT e o MDB novamente juntos no mesmo palanque.

E disse ser fundamental que a centro-esquerda se una em todo o Brasil contra “o risco autoritário que representam os candidatos da direita”.

sexta-feira, 13 de agosto de 2021

Lula na expectativa de novo encontro com Sarney no Maranhão


Em sua visita ao Maranhão, a partir da próxima quinta-feira, 19, o ex-presidente Lula (PT) deverá ter um encontro pessoal com o também ex-presidente José Sarney (MDB).

O pedido de encontro partiu do próprio Lula, que soube da presença de Sarney no Maranhão.

Sarney passou mais de um ano sem vir ao Maranhão por causa da pandemia de coronavírus; desembarcou semana passada em São Luís e está hospedado na casa da filha, a ex-governadora Roseana Sarney (MDB).

Segundo informamos, em primeira mão, semana passada, Lula vem ao Maranhão para uma série de compromissos políticos e administrativos.

Ao lado do governador Flávio Dino (PSB), ele visitará uma creche de tempo integral às margens da Avenida Quarto Centenário. Também se reúne com representantes dos movimentos sociais e lideranças petistas,

Outro ponto político da agenda é a reunião com prefeitos, coordenada pelo presidente da Federação dos Municípios (Famem), Erlânio Xavier (PDT).

Tanto no encontro com prefeitos quanto na reunião com José Sarney, a pauta será as eleições de 2022.

Marco D'eça

sábado, 31 de julho de 2021

VÍDEO: Após quase um ano e meio em Brasília, Sarney está de volta ao Maranhão


A ex-governadora do Maranhão Roseana Sarney, presidente estadual do MDB, comemorou nesta sexta-feira (31) em sua conta no Instagram o retorno dos seus pais à São Luís após um ano e quatro meses por conta da pandemia da covid-19.

“Meu pai e minha mãe estão de volta, chegarão ao Maranhão terra deles, estou morta de feliz”, declarou a emedebista em vídeo abraçando Sarney e dona Marly já vacinados contra o coronavírus.

O ex-presidente da República falou da volta ao estado maranhense no qual fez história política. “E eu muito feliz também, mais feliz do que você, filha queria como você é poucas”, (sic) afirmou o veterano patriarca.

“Eu também estou muito feliz com todos vocês”, completou o vídeo dona Marly.

Veja o vídeo: 


Domingos Costa

sexta-feira, 9 de julho de 2021

Saiba o teor da conversa entre Bolsonaro e Sarney


Durante o encontro que teve com José Sarney nesta semana, revelado pelo Valor, o presidente Bolsonaro apenas reclamou. Reclamou, reclamou, reclamou.

E por que isso é uma notícia? Porque mostra como o presidente está acuado diante dos avanços das investigações da CPI da Covid-19 e o aumento galopante de sua rejeição.

Durante mais de uma hora com Sarney, o presidente criticou a Comissão, o Congresso e até o Supremo Tribunal Federal.

Saiu de lá sem pedir o que requisitou ao ex-presidente quando o encontrou em abril: uma trégua com o MDB, partido do ex-presidente e que tem a relatoria da CPI, com Renan Calheiros.

Pressionado pelas investigações da CPI da Covid e em meio ao aumento da rejeição ao governo — o Datafolha mais recente aponta que 51% desaprovam a gestão —, o presidente Jair Bolsonaro recorreu, mais uma vez, aos conselhos do ex-presidente José Sarney. O encontro, em Brasília, ocorreu na terça-feira, e também teve a presença do ministro da Casa Civil, Luiz Eduardo Ramos. A informação é do jornal “Valor Econômico”.

Integrantes do MDB analisaram a movimentação do Palácio do Planalto como uma tentativa de “sair do isolamento” . Os emedebistas, no entanto, avaliam que o momento de fazer um aceno para a CPI já passou e que o desgaste de Bolsonaro no colegiado é “irreversível”.

Esta é a segunda vez que Bolsonaro procura Sarney desde o início dos trabalhos da Comissão Parlamentar de Inquérito. No final de abril, enquanto senadores governistas travavam um embate com o relator da comissão, Renan Calheiros (MDB-AL), Bolsonaro promoveu o encontro com o ex-presidente para tentar viabilizar um diálogo com o senador e o MDB. Na época, o presidente fez uma ligação para o filho do relator, Renan Filho (MDB), governador de Alagoas, para que o encontro ocorresse.

O ex-presidente José Sarney costuma ser procurado por correligionários e outros políticos em busca de conselhos e estratégias para atuação em Brasília. O ex-presidente Michel Temer (MDB) teve Sarney como um de seus principais mentores durante a crise provocada pelas delações premiadas de executivos da JBS. Temer, por sua vez, também se tornou um interlocutor de Bolsonaro. Em março, o ex-presidente sugeriu que o atual titular do Palácio do Planalto “assumisse” os erros cometidos na condução da pandemia e propusesse um pacto com a sociedade e outros Poderes.

Bolsonaro e Lula disputam apoio de José Sarney


O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) visitou o ex-presidente José Sarney na última quarta-feira (7), em compromisso que não entrou na agenda oficial. Esta já é a segunda vez que Bolsonaro visita o maranhense neste ano. 

Da última vez, o objetivo da investida foi convencer Sarney a conter o seu colega de partido, Renan Calheiros, relator na CPI da Covid. Após a primeira visita de Bolsonaro, acontecida em maio, o ex-presidente Lula também foi ao encontro de José Sarney.

Político mais longevo do país na atualidade, José Sarney ocupa o posto de principal conselheiro de presidentes quando o Brasil entra em rota de crises institucionais. Foi assim com Fernando Henrique Cardoso, Lula, Dilma Rousseff, Michel Temer e, mais recentemente, com Jair Bolsonaro.

Presidente do país durante a redemocratização e promulgação da Constituição de 1989, José Sarney foi deputado federal, governador e senador. Ele ainda ocupou por diversas vezes a Presidência do Senado.

sábado, 24 de abril de 2021

Imagem do dia: Adriano Sarney com Baleia Rossi e Temer


O deputado estadual Adriano Sarney (PV), utilizou as suas redes sociais para homenagear o seu avô e ex-presidente da República, José Sarney, que hoje completa 91 anos. Até aí tudo bem. Mas, dentre as fotos diversas fotos divulgadas há uma que tem chamado atenção da classe política e membros da imprensa.

Trata-se de uma imagem em que o próprio Adriano aparece com alguns caciques do MDB num momento de descontração, dentre eles, o presidente nacional do partido e deputado federal, Baleia Rossi, e com o ex-presidente da República, Michel Temer. Seria um indicativo de que o único integrante da família Sarney na política estaria de malas prontas para o MDB?

Lembrando que a ex-governadora Roseana Sarney deve assumir o comando do MDB maranhense no início do próximo semestre, focando na restruturação e o fortalecimento da legenda para eleições de 2022.

Pelo sim, pelo não, vamos aguardar para conferir...