Mostrando postagens com marcador Eduardo Braide. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Eduardo Braide. Mostrar todas as postagens

segunda-feira, 7 de março de 2022

Eduardo Braide sinaliza aliança com Weverton Rocha


O prefeito de São Luís Eduardo Braide (Podemos) anunciou neste fim de semana o vereador Raimundo Penha (PDT) como o novo líder do seu governo na Câmara Municipal.

Penha substitui no posto o colega Marcial Lima (Podemos).

A indicação do vereador pedetista reforça posições do PDT na Câmara e acena, também, para uma provável aliança eleitoral com o senador Weverton Rocha (PDT), líder nas pesquisas para o Governo do Estado.

A relação entre Braide e o PDT começou a se estreitar ainda no segundo turno das eleições de 2022, envolvendo também outros partidos do grupo do senador Weverton Rocha, a exemplo do atual União Brasil; naquela época, o apoio do senador Weverton foi fundamental para a vitória de Braide em segundo turno.

Neste atual processo de escolha do novo presidente da Câmara – cuja eleição se dará em abril – o PDT decidiu abrir mão da candidatura de Raimundo Penha em apoio ao Dr. Gutemberg (PSC), candidato do prefeito.

A eventual aliança Braide/Weverton reforça as posições do senador na Grande São Luís, maior colégio eleitoral do Maranhão.

Com informações do Blog do Marco D'eça

terça-feira, 18 de janeiro de 2022

Ao lado de Braide e Osmar, Dr. Gutemberg lança candidatura


Definitivamente a disputa pela presidência da Câmara de São Luís foi iniciada. Depois da movimentação do vereador Paulo Victor (PCdoB), que já teria o apoio de 17 vereadores, foi a vez do vereador Dr. Gutemberg (PSC) também se movimentar.

Um dia depois de ser escolhido em inédita previa para presidir a Câmara de São Luís, Dr. Gutemberg lançou, nesta segunda-feira (17), seu nome oficialmente e já apresentou apoio de 14 vereadores.

O detalhe é que no lançamento do nome do Dr. Gutemberg, estiveram presentes o atual presidente da Câmara de São Luís, Osmar Filho (PDT), e o prefeito da capital, Eduardo Braide (Podemos).

Dr. Gutemberg já conta com o apoio de 14 vereadores, são eles: Osmar Filho, Raimundo Penha e Nato Júnior (todos do PDT), da bancada do PMN (Álvaro Pires, Ribeiro Neto e Marcos Castro), Chico Carvalho (PSL), Karla Sarney (PSD), Octávio Soeiro (Podemos), Marlon Botão (PSB), Silvana Noely (PTB), Rosana da Saúde (PRB) e Daniel Oliveira (PL).

A eleição na Câmara Municipal está marcada para a primeira semana de abril e daqui até lá muita coisa pode acontecer, inclusive nada.

terça-feira, 11 de janeiro de 2022

Braide é assediado por aliados de Brandão


O ex-governador José Reinaldo Tavares é o ex-ptefeito de Ribamar, Luiz Fernando Silva, são os dois principais agentes do vice-governador Carlos Brandão (PSDB) em uma missão de guerra: cooptar para sua campanha o prefeito de São Luís, Eduardo Braide (Podemos).

Tavares e Silva buscam, principalmente, o pai do prefeito, ex-deputado Carlos Braide, que já estaria com Brandão.

O irmão do prefeito e homem forte da prefeitura, Fernando Braide, também é outro alvo da dupla, sobretudo pelo fato de que irá disputar vaga na Assembleia Legislativa.

Segundo apurou o blog Marco Aurélio D’Eça, nas últimas semanas de 2021 Zé Reinaldo e Luiz Fernando tiveram ao menos dois encontros com Braide, o pai. Na época, especulava-se que o prefeito iria declarar apoio ao senador Weverton Rocha (PDT).

Tanto Tavares quanto Luiz Fernando contabilizam nas próprias contas o fato de Braide não ter oficializado este suposto apoio.

Para convencer o prefeito a, no mínimo, um papel de neutralidade nas eleições de 2022, Brandão oferece espaços no governo e uma série de obras e serviços na capital maranhense.

Em suas conversas, Braide reconhece o apoio recebido nas eleições de 2020, mas não cita nomes.

À época, o apoio de Weverton e seu grupo foi decisivo para a vitória do prefeito em segundo turno.

Com informações do Blog do Marco D'eça

segunda-feira, 27 de dezembro de 2021

Braide mantém silêncio sobre a disputa pelo Planalto


O prefeito Eduardo Braide (Podemos) está usando todo o seu pragmatismo político para evitar que a administração de São Luís seja tragada pelo furacão político que começa a ganhar forma e força com a aproximação das eleições do ano que vem. Ele vem mantendo relações amistosas, mas produtivas, com o Governo Federal, em que pese o fato de o seu partido ter nos seus quadros o ex-juiz chefe da Lava Jato e ex-ministro da Justiça Sérgio Moro como pré-candidato a presidente da República, considerado, hoje, o maior inimigo-adversário do presidente Jair Bolsonaro (PL) depois do ex-presidente Lula da Silva (PT).

O sinal mais eloquente desse pragmatismo ocorreu na quarta-feira (22) da semana que passou, quando o prefeito recebeu a visita do ministro de Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, e todo o staf da área habitacional da pasta, com o aval político do senador Roberto Rocha (sem partido) e dos deputados federais Edilázio Jr. (PSD) e Gil Cutrim (Republicanos), para a autorização da retomada das obras de construção das três mil casas dos residenciais Mato Grosso I e II, paralisadas em 2019. Como é amplamente sabido, Roberto Rocha é linha de frente do projeto de reeleição de Jair Bolsonaro, enquanto Edilázio Jr., mesmo sendo bolsonarista, aguarda a definição do PSD sobre eleição presidencial.

O pragmatismo do prefeito de São Luís faz todo sentido. Ele já teve tempo para mensurar o tamanho do desafio que é administrar São Luís politicamente afastado do Governo do Estado, com o qual só se relaciona em questões essenciais, como a pandemia do coronavírus, por exemplo. E certamente chegou à conclusão de que manter-se distante da Esplanada dos Ministérios seria impor-se um isolamento desnecessário e de custo político e administrativo muito elevado. Logo, como não é parte direta e efetiva da atual corrida pelo voto, o ônus político de se relacionar com um Governo que não é bem visto pela população de São Luís é bem menor.

Essa tranquilidade do prefeito, se não tem data precisa para terminar, está se aproximando do fim. É que o Podemos deverá formalizar a candidatura do ex-ministro Sérgio Moro a presidente da República, que o obrigará a uma tomada de posição clara e inequívoca a favor esse projeto. Para quem conhece as nuances da política e já assimilou o modo de agir do bolsonarismo, não tem dúvida de que as portas ministeriais serão fechadas para os partidários de Sérgio Moro, como já o são para todos os adversários do Governo. O prefeito de São Luís, que já foi Governo e Oposição, sabe o peso de tais situações e conhece o caminho das pedras para driblar as adversidades até o limite do possível. Daí não haver dúvida de que ele alimentará o seu pragmatismo fora da guerra eleitoral.

Não é sem razão que até agora o prefeito Eduardo Braide não deu sinais de envolvimento com a corrida eleitoral. Há duas semanas, ele compareceu à festa de confraternização do senador Weverton Rocha, que foi seu aliado na eleição do 2020, circulou, cumprimentou o anfitrião e pré-candidato a governador, e os presentes como um gesto de cortesia, que, pelo menos por enquanto, não deve ser traduzido como uma declaração de apoio. Afinal, vale repetir, o prefeito ainda não fez qualquer declaração contundente sobre as eleições de 2022, nem relacionada à corrida para o Palácio do Planalto, nem no que diz respeito à disputa pelo Palácio dos Leões. É evidente que aguarda o momento mais adequado para se manifestar, exatamente porque sabe que na hora em que entrar não haverá porta de saída, isso implicará um custo político.

Inteligente, pragmático e centrado, o prefeito Eduardo Braide tem sabido se movimentar no tabuleiro político com habilidade suficiente para manter canais abertos em Brasília, utilizando para isso os argumentos do não partidarismo momentâneo. Igualmente consciente de que tudo isso pode mudar.

Por Ribamar Corrêa (Repórter Tempo)

terça-feira, 30 de novembro de 2021

Protestos e falta de diálogo marcam a gestão de Eduardo Braide


O prefeito Eduardo Braide (Podemos) tem enfrentado pelo menos duas manifestações por semana.

Além da extensa greve dos rodoviários, que evidenciou sua incapacidade de dialogar com as categorias, outras manifestações, como a dos funcionários dos hospitais da rede municipal e, hoje, dos profissionais da educação, estão deixando muito bem claro que a população de São Luís acabou trocando gato por lebre.

O ex-prefeito Edivaldo Holanda Júnior, normalmente ficava trancado no seu apartamento tremendo que nem vara verde, com medo de enfrentar a população. Já Eduardo Braide, até vai para a prefeitura, mas bate na mesa de forma autoritária e não dialoga com ninguém.

Nem com o Governo do Estado, Braide quer manter algum diálogo, mesmo que a intenção seja parceria em favor do município. De acordo com informações que chegaram ao blog, Braide teria recusado a pelo menos a três convites para conversar com Flávio Dino sobre proposta de parceria.

Fruto dessa falta de diálogo, também com os vereadores, o presidente da Câmara Municipal de São Luís, Osmar Filho (PDT) já confirmou a instalação de uma CPI para apurar possíveis irregularidades no “acordo de gabinete” feito para estancar a greve dos rodoviários.

Com a CPI, outro aspecto poderá ser exposto: possível malversação dos recursos públicos no famigerado acordo, o que deverá ser apenas o fio do novelo de prováveis irregularidades em todas as pastas da gestão.

domingo, 21 de novembro de 2021

Filiação de Moro ao Podemos empurra Braide para o tabuleiro sucessório estadual

Líder maior do Podemos no Maranhão, Eduardo Braide deve liderar a provável campanha de Sérgio Moro no Maranhão

A filiação do ex-juiz-chefe da Lava Jato Sérgio Moro ao Podemos levou o debate político para dentro do Palácio de la Ravardière e tirou o prefeito Eduardo Braide da chamada “zona de conforto”. Antes da filiação do ex-ministro da Justiça ex-bolsonarista linha de frente, o prefeito de São Luís vinha se movimentando à margem da corrida presidencial, passando a impressão de que não estava interessado na guerra pela sucessão do presidente Jair Bolsonaro (a caminho do PL) nem na corrida ao Palácio dos Leões. 

O desembarque de Sérgio Moro pode dar um giro de 360 graus na situação do prefeito, que além dos problemas que enfrenta, terá agora de, como maior liderança do Podemos no Maranhão, preparar terreno para o provável candidato presidencial do partido no estado, implicando isso a definição de como o Podemos vai participar da política estadual. Lançará candidato a governador. 

Mas vai errar feio quem esperar que Eduardo Braide vá queimar cartuchos à toa. Político racional e estrategista eficiente, que pode incluir o lançamento de um candidato ao Governo do Maranhão ou uma aliança com um candidato já posto, ou ainda resumir a participação do partido criando palanque para o eventual presidenciável. 

Especulações à parte, o fato é incontestável: o prefeito de São Luís terá de assumir também a condição de líder partidário, e isso implica abraçar a eventual candidatura do ex-chefe da Operação Lava-Jato.

domingo, 31 de outubro de 2021

Abalado pela greve dos rodoviários, Braide some das redes sociais


O principal líder da população ludovicense parece realmente não saber o que fazer diante da greve dos rodoviários que entra em seu oitavo dia hoje.

Ultimamente, o prefeito que era assíduo em suas redes sociais, divulgando a vacinação ou o bueiro no nível, suas duas únicas e principais ações do seu mandato, parece ter sentido o peso que é comandar a capital do Maranhão.

No início da greve, o prefeito tinha apostado no silêncio, porém recentemente, o Eduardo Braide usou a TV Mirante para conceder entrevista para tentar explicar para população o que estava acontecendo. Parece que essa entrevista era a atitude correta, afinal sempre se espera de um líder um posicionamento diante da crise, porém não foi.

Ao ir para TV, Braide criou um sentimento que estava tudo sob o controle e que logo a situação seria resolvida. Citando uma reunião com o sindicato dos rodoviários, Braide afirmou que estava disposto a propor medidas para os rodoviários, afim de solucionar o fim da greve, mas segundo o sindicato, não foi bem isso que aconteceu.

Na reunião, segundo sindicato, nada foi proposto por parte da prefeitura, e sim, por parte dos empresários. Um mísero aumento de 2% em seus salários, enquanto a categoria luta pelo reajuste de 10% nos vencimentos, além de outras melhorias.

Ali, já ficou claro que quem manda na situação não é os rodoviários, e sim, os empresários.

Usando o espaço da TV, Braide citou o “Cartão Cidadão”, um programa social que a prefeitura de São Luís pretende criar como uma das maneira de conter a crise no transporte público da capital.

E como isso irá funcionar?, segundo Eduaro Braide, a prefeitura de São Luís pretende conceder um auxílio emergencial as empresas de ônibus, em contrapartida, a prefeitura irá conceder tarifas de ônibus gratuita à população de baixa renda e pessoas que perderão seus empregos durante a pandemia, ou seja, mais uma vez um gestor de São Luís irá ajudar os empresários do transporte público e não aos rodoviários.

Depois que apareceu na TV, a situação da greve até parece que piorou. Afinal, após a reunião realizada por Braide, a prefeitura parou de se posicionar publicamente e o prefeito sumiu de suas redes sociais.

Diante da crise instaurada, até Justiça do Trabalho se manifestou. Segundo o desembargador José Evandro de Souza do Tribunal, a Justiça do Trabalho vem agindo como pacificadora dos conflitos trabalhistas, vem buscando uma nova mediação entre patrões e empregados do setor de transportes.

Por outro lado, o sindicato dos rodoviários veio a publico afirmar que não houve mais posicionamentos por parte da prefeitura, nem muito por parte dos empresários.

Em uma tentativa de diminuir o desgaste de sua gestão, o prefeito de São Luís, através de decreto fez uma espécie de feriadão na administração publica municipal, jogou o dia do servidor público para amanhã, sexta-feira (29) e decretou ponto facultativo na segunda-feira (1). Com isso, a capital poderá ficar sem ônibus até no feriados de finados, completado assim, cerca de 15 dias sem ônibus.

O prefeito que era visto como esperança para o luduvicense e que em sua campanha falava que estava pronto, na primeira crise do seu governo está demostrando algo totalmente ao contrário.

sábado, 30 de outubro de 2021

Greve dos rodoviários afeta popularidade de Eduardo Braide


O Instituto DataIlha fez um levantamento a partir de dados coletados na rede social Twitter sobre os impactos da greve do rodoviários, que se prolonga desde o dia 21/10/2021, na popularidade do prefeito da capital, Eduardo Braide. O levantamento apurou que o prefeito manteve o crescimento de novos seguidores na plataforma, conquistando 386 novos seguidores entre os dias 12/10 e 28/10, conforme o gráfico abaixo:


Segundo apurou o Instituto DataIlha, observou-se uma mudança no comportamento dos usuários da rede em relação ao teor dos diálogos e citações do prefeito na plataforma. Foram apuradas 1088 menções de usuários entre os dias 12/10 e 28/10. No período que antecede o início da greve dos rodoviários em São Luís, o prefeito Eduardo Braide era mais mencionado em temas relacionados à cidade, vacinação, pagamento de servidores, turismo entre outros, conforme demonstrado na nuvem de palavras abaixo:


Entre os dias 21/10 e 28/10, o prefeito Eduardo Braide foi mais citado em temas relacionados à greve dos rodoviários, aumento do bilhete de passagem, conforme demonstrado abaixo:


O Instituto apurou o sentimento observado nas menções ao prefeito Eduardo Braide nas redes sociais. Entre os dias 12/10 e 20/10, 42% das menções eram positivas, contra 58% de menções negativas, conforme:


Após o início da greve dos rodoviários, há uma mudança acentuada na opinião dos usuários da rede sobre a atuação do prefeito Eduardo Braide. As menções positivas que eram 42%, passaram a ser 31%. Já as menções negativas que eram 58% saltaram para 69%, conforme o gráfico:


O que demonstra o crescimento da insatisfação dos internautas quanto ao desfecho que tem tido a greve dos rodoviários em São Luís.

quinta-feira, 28 de outubro de 2021

Câmara de São Luís mantém veto governamental sobre a LDO


A Câmara Municipal de São Luís (CMSL) manteve, nesta quarta-feira (27), vetos do prefeito Eduardo Braide (Podemos) a emendas à LDO (Lei de Diretrizes Orçamentárias) que dispõe sobre as diretrizes orçamentárias para o exercício de 2022. A manutenção do veto veio após entendimento entre Legislativo e Executivo, o que explicou a votação maciça favorável ao veto.

Com a manutenção dos vetos, os parágrafos 3º e 4º, do art. 11 da LDO perdem seus efeitos. O primeiro trata dos aportes das emendas impositivas referentes ao percentual de 50%, enquanto o segundo determina a comunicação do valor para pagamento pelo Poder Executivo ao Poder Legislativo até o dia 28 de fevereiro do exercício.

A votação ocorreu após três semanas de negociações entre Prefeitura e Câmara, encabeçados, principalmente, pelo presidente da Casa, vereador Osmar Filho (PDT), e o líder de governo, Marcial Lima (Podemos).

O chefe do legislativo avaliou a sessão e afirmou que prevaleceu a harmonia, o entendimento e o consenso. Osmar Filho disse ainda que agora a pauta está destrancada e, na próxima sessão, que será na quarta-feira, dia 3, em virtude do ponto facultativo e do feriado, a Casa vai retomar a deliberação de matérias importantes para a cidade.

“A votação mostrou uma unidade da Casa e prevaleceu a harmonia, o entendimento e o consenso. É isso que a gente busca entre os pares, que haja uma convergência naquilo que nos une que é o bem-estar da população e o avanço da nossa cidade. Os vetos foram mantidos, que foi uma decisão soberana da Casa. O Parlamento é feito disso e sempre vai prevalecer a vontade da maioria. Agora a pauta está destrancada e, na próxima sessão, que será na quarta-feira, em virtude do ponto facultativo e do feriado, iremos retomar, deliberando matérias importantes para a cidade”, declarou o parlamentar.

Lição de diálogo

Marcial Lima, que é líder do governo na Casa, lembrou que o Legislativo deu uma lição de diálogo na manutenção dos vetos. Segundo o parlamentar, a votação mostrou a convergência dos parlamentares governistas com os independentes visando o desenvolvimento da capital.

“O Parlamento dá uma lição de diálogo. Durante esses dias, nós tivemos uma satisfação muito grande de conversar com todos os segmentos, praticamente, da Casa. Não é porque sou líder do governo que eu não tenho que tratar com os vereadores que têm uma linha de independência nesta Casa. Nós voltamos com muito respeito à condição do que a cidade estar, pois hoje estamos vivendo um processo terrível, com a cidade parada, o comércio enfrentando dificuldades e, todo mundo sabe da greve dos rodoviários, então a Câmara deu uma lição importante de diálogo entre vereadores da base do governo os parlamentares independentes visando mostrar a importância do que é o trabalho do Legislativo para desenvolver o nosso capital”, completou.

Destravando a pauta

O co-vereador Jhonatan Soares, do Coletivo Nós (PT) afirmou que a votação dos vetos serviu para destravar a pauta.

“Nós já estávamos há três semanas com a pauta trancada, por conta desse veto. Por isso, considero que a questão hoje mais importante era destravar a pauta e a Câmara poder voltar, finalmente, a discutir o que realmente interessa que é discutir a cidade”, disse.

segunda-feira, 25 de outubro de 2021

Braide cede as pressões e se torna refém dos empresários


O prefeito de São Luís, Eduardo Braide (Podemos) tenta mascarar o auxílio financeiro que concederá aos donos de empresas que fazem o transporte público da capital.

De acordo com Eduardo Braide, a prefeitura de São Luís vai conceder uma ajuda em dinheiro para aos empresários para evitar ao aumento da tarifa de ônibus na capital, em contrapartida, a prefeitura lançará um programa social batizado de “Cartão Cidadão” que prevê tarifa zero as pessoas de baixa renda, em especial aos trabalhadores que perderam seu emprego durante a pandemia da Covid-19.

Se for visto pelo lado do benefício social à população, a ideia é boa, por outro lado existe um outro grande fator que temos que levar em conta, a prefeitura de São Luís mais uma vez vai se torna refém dos empresários que comandam o sistema de transporte na capital.

Sem apresentar detalhes, Eduardo Braide vai cometer o mesmo erro de outros gestores que assumiram a cadeira no Palácio de La Ravardière, ceder à pressão dos empresários. Vale ressaltar, que desde o início do ano, a prefeitura São Luís já paga um subsídio para os empresários do sistema como uma espécie de ajuda.

Agora, por meio dessa ajuda de custo, Eduardo Braide elimina todo seu discurso que tinha durante a sua campanha para prefeito de São Luís, tornando-se mais um político que para conseguir se eleger, prometeu algo que não conseguiu cumprir.

sábado, 18 de setembro de 2021

Tarifa de ônibus em São Luís deve aumentar


Segundo informações obtidas pelo blog, o aumento na tarifa de ônibus em São Luís já é dado como certo. Na justificativa, estaria os sucessivos aumentos no preço dos combustíveis e o investimento das empresas e da prefeitura de São Luís em adquirir ônibus novos.

Diante da situação, o prefeito Eduardo Braide estaria sendo pressionado pelos empresários a anunciar o aumento ainda esse mês.

Com apenas 9 meses à frente da prefeitura, Eduardo Braide tem tentado a qualquer custo não falar no aumento de passagens de ônibus na capital, afinal isso causaria uma certa revolta da população, ainda mais neste momento que o país se encontra.

Segundo informações, os empresários estão querendo que o valor da tarifa fique em R$ 4,50, porém Eduardo Braide pretende dá o reajuste de apenas R$ 0,50, ficando o valor da passagem em R$ 4,20.

Apesar da prefeitura não confirmar o aumento, no último dia 15 de junho, a Secretaria de Trânsito e Transporte de São Luís (Smtt), editou a Portaria Nº 77, onde criou um grupo de trabalho para revisar os contratos de concessão do serviço público de transporte de passageiros por ônibus da cidade de São Luís, firmados entre Município e os Consórcios Primor, Via SL, Upaon Açu e Central. De acordo com fontes, é a partir desta portaria que a prefeitura pretende conceder os reajustes tão esperado pelos empresários, mesmo já tendo previsão legal na lei.

segunda-feira, 13 de setembro de 2021

Ingratidão faz Braide “esconder” Bolsonaro da vacinação em São Luís


Nesta semana foi registrada a aplicação da segunda dose em mais de meio milhão de pessoas em São Luís. Apesar da marca ter sido atingida após o Governo Federal priorizar a vacinação na capital maranhense temendo a disseminação da cepa indiana, o prefeito Eduardo Braide aproveitou a situação para assumir a marca e “esconder” o presidente Jair Bolsonaro e Marcelo Queiroga do feito. Braide tratou a vacinação na cidade como “exemplo para o resto do país”.

“Nosso propósito, desde o início da nossa gestão, é promover a saúde e o bem-estar da nossa população, combatendo a pandemia e a vacina, sem dúvidas, é fundamental neste contexto. Por isso mesmo, estamos muito felizes em saber que já imunizamos contra a Covid-19 mais de meio milhão de pessoas. São Luís é uma cidade comprometida com a saúde do seu povo e minha gestão tem trabalhado diariamente para que a gente possa disponibilizar as doses das vacinas para todos, inclusive as terceiras doses, cujo calendário também avança na capital, que, novamente, dá exemplo para o restante do país”, disse o prefeito.

Braide tem evitado fazer qualquer menção ao Governo Federal em suas falas. O aumento da vacinação em São Luís só foi possível graças a ações do Ministério da Saúde em maio de 2021. Na ocasião, Braide reuniu-se com o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, que manifestou o reforço da vacinação na cidade para impedir o avanço da cepa indiana.

Apesar de ser sabedor disso, o prefeito prefere esconder que seu principal capital político na atualidade só foi conseguido graças ao Governo Federal.

segunda-feira, 30 de agosto de 2021

Eduardo Braide caminha para aliança com Weverton Rocha


Embora sem gestos públicos mais evidentes desde a posse, o prefeito de São Luís, Eduardo Braide (Podemos), mantém uma forte relação com Weverton Rocha, desde as eleições de 2020, quando o grupo do senador foi decisivo no segundo turno.

Braide venceu as eleições com apoio de Weverton; e deve retribuir a gentileza em 2022.

Aliados do prefeito já estão articulados na campanha do senador, sobretudo nos encontros do projeto “O Maranhão Mais Feliz”; são vereadores de São Luís, deputados e lideranças do interior que atuam diretamente na pré-campanha pedetista.

A definição de apoio de Braide deve se dá apenas em 2022, seguindo a linha do próprio governador Flávio Dino (PSB), que também adiou sua decisão para o ano que vem.

Mas, até lá, novos gestos de lado a lado evidenciarão a aliança.

Antes disso, porém, haverá a eleição para presidência da Câmara Municipal, em abril, quando a aliança PDT/Braide deve ser reafirmada.


Marco D'eça

quarta-feira, 11 de agosto de 2021

População faz caixão de Eduardo Braide após não cumprir promessa


Passado mais de sete meses da gestão Eduardo Braide no comando da prefeitura de São Luís a “lula de mel” entre a população e o prefeito acabou, e portanto, começaram as cobranças. E elas vieram com muita força.

Nesta quarta-feira (11), por exemplo, moradores da capital realizaram uma grande manifestação pelas ruas de São Luís até a porta do Palácio de La Ravardière e, junto, levaram um caixão do Chefe do Executivo, com direito a foto e decoração fúnebre.

O Blog apurou que o ato fez Braide bater um recorde: é o prefeito mais rápido da história a ser enterrado pelo povo em manifestação de rua.

O alvo da manifestação que contou com faixas, palavras de ordem e muita cobrança é a falta de atendimentos de saúde no Projeto Viva Bem Mais, que contempla moradores dos bairros Turú, Divinéia e Vila Luizão.

Os manifestantes contam que Braide mandou suspender os repasses que garantia o funcionamento do Projeto e, assim, interrompeu mais de 5 mil atendimentos com 16 especialidades de saúde e desempregou 47 profissionais de saúde.

sexta-feira, 23 de julho de 2021

Simplício Araújo “enquadra” Eduardo Braide no caso Havan


O secretário estadual de Indústria e Comércio, Simplício Araújo (Solidariedade), confrontou comentários do prefeito Eduardo Braide (Podemos) em suas sobre o caso Havan. Após semana de silêncio profundo em relação à polêmica, Braide usou suas redes sociais para saudar a chegada da loja após ataques de grupos de extrema esquerda anti-emprego.


Apesar de ser prefeito de São Luís e, pelo menos teoricamente, o mais interessado na atração e negócios para a cidade, Eduardo Braide foi o último a sair em defesa da Havan contra os ataques de extrema esquerda anti-emprego.

Após a manifestação tardia do prefeito, o secretário Simplício Araújo lembrou que São Luís não que o Plano Diretor e Lei de Zoneamento impedem a instalação de novos negócios. A questão é considerada delicada para a administração municipal pois a Lei de Zoneamento é de 1994 e o Plano Diretor de 2006. Ambos são, segundo especialistas, os maiores entraves para o desenvolvimento econômico de São Luís.



Simplício afirmou que o prefeito deveria agir mais na melhoria da legislação ao invés de “jogar para a platéia”. “É muito fácil posar de defensor da liberdade econômica nas redes sociais enquanto não trabalha na melhoria da legislação que iria garantir mais emprego”, disse Simplício.

Simplício usou as palavras do próprio Eduardo Braide para apontar o erro dos ex-gestores e cobrar postura diferente de Braide. Falharam na modernização do Plano Diretor e da Lei de Zoneamento Jackson Lago, Tadeu Palácio, João Castelo e Edivaldo Holanda Jr.

Outro detalhe mórbido permeia a entrada tardia de Eduardo Braide no debate sobre a Havan. Líder do movimento de extrema esquerda anti-emprego, o publicitário Félix Alberto é propietário da Clara Comunicação. A agência é apontada como futura vencedora da licitação da comunicação da Prefeitura de São LUís. Incoerência? Só o futuro dirá.

quinta-feira, 22 de julho de 2021

Construtora "abocanha" contrato de R$ 10 milhões na gestão de Braide


A Prefeitura de São Luís, administrada por Eduardo Braide, decidiu contratar a 4MA Engenharia por cifras milionárias para executar obras de reformas e manutenção em prédios das unidades de saúde.

O contrato foi firmado em 5 de maio desse ano entre o secretário municipal de Saúde (SEMUS), Joel Nicolau Nogueira Nunes Júnior, e o sócio da construtora Marcus Winnycius Carvalho do Nascimento, pelo valor de R$ 10.000.107,74 milhões.

Para realizar a contratação, a SEMUS aderiu em forma de “carona” à Ata de Registro de Preços nº 007/2020, da Secretaria Estadual de Infraestrutura. A empreiteira atuará na Prefeitura por 12 meses.

A 4MA é relativamente nova no ramo da construção. Ela foi criada em 2018 e fica localizada em prédio comercial no bairro do Jaracaty, em São Luís.

Recentemente, a construtora ganhou outro contrato de R$ 10.690.111,03 milhões na Prefeitura de São José de Ribamar. Na cidade portuária, ela deverá atuar na execução de serviços de manutenção preventiva e corretiva, reforma de prédios e logradouros públicos.

quarta-feira, 7 de julho de 2021

Exclusivo! Braide pode apoiar Edivaldo para Governo

Não será surpresa o apoio do prefeito de São Luís, Eduardo Braide (Podemos), ao ex-prefeito da capital Edivaldo Júnior para o Governo do Estado em 2022. As articulações está sendo liderada pelo presidente do PSD/MA, o deputado federal Edilázio Júnior, que tem servido como ¨elo¨ que liga Braide ao seu antecessor no Palácio de La Ravardière.

Sem compromisso para o governo estadual, Braide iniciou um diálogo com Edivaldo Jr e, se concretizado, o acordo começa na eleição de 2022 e perpassa para 2024, quando o atual prefeito da capital disputará reeleição.

De acordo com fontes, Braide estaria disposto a apoiar Edivaldo porque em primeiro lugar ganharia um importantíssimo aliado para sua reeleição e, segundo, não teria o próprio Holanda Júnior como seu adversário na próxima disputa municipal.

Porém, Eduardo Braide condiciona o apoio a Edivaldo com a garantia de que terá o apoio incondicional do ex-prefeito mesmo se ele não vencer a eleição para governo do estado. Edilázio Júnior, portanto, seria uma espécie de “fiador” do acordo entre os “cavalheiros”.

Há quem diga que o acerto já foi selado entre as partes, pois, é um ótimo negócio para as partes. Obviamente, Braide e Edivaldo negam qualquer tratativa nesse sentido.

Domingos Costa

terça-feira, 29 de junho de 2021

Filiação de Edivaldo no PSD sinaliza rompimento de Edilazio com Braide


Convencido de que o momento é para tratar da imunização da população contra a Covid-19 e não de política, o ex-prefeito de São Luís, Edivaldo Holanda Júnior, mantém o silêncio sobre filiação partidária, mas fontes próximas ao ex-chefe do Executivo da capital admitem que nos próximos dois meses ele deverá está se filiando ao PSD, partido do ex-ministro Gilberto Kassab, e pelo qual pretende lançar sua candidatura ao governo do estado.

Numa atitude considerada estranha para quem acompanha o desenrolar da pré-campanha, Edivaldo não teve seu nome incluído na pesquisa realizada pelo DataIlha, divulgada no domingo (27), mas nas pesquisas anteriores do Instituto Escutec ficou bem situado e em condição de empate técnico com Werverton Rocha (PDT) e Carlos Brandão (PSDB, os dois principais pré-candidatos do grupo do governador Flávio Dino, mesmo sem externar qualquer pretensão para 2022.

Fontes garantem que Edivaldo será candidato ao governo e que tão logo alivie a situação da pandemia, quando a grande maioria da população estiver imunizada contra a doença, voltará a falar de política e que seu primeiro passo será definir filiação a um partido político, sendo o mais cotado o PSD, legenda que possui estrutura, fundo eleitoral e tempo de televisão para que possa concorrer em condições de igualdade.


Rompimento com Braide

Ao abrir as portas do PSD ao ex-prefeito Edivaldo, o deputado federal Edilázio Júnior sinaliza para um rompimento com o prefeito de São Luís, Eduardo Braide (Podemos). Afinal, é de conhecimento público que uma candidatura de Edivaldo a governador servirá apenas para manter seu recall para as eleições de 2024 em que pretende retornar ao comando da prefeitura da capital, ou seja, indo de encontro aos interesses políticos do atual prefeito que deverá ser candidato a reeleição. Vale destacar, que atualmente a vice-prefeita Esmênia Miranda é filiada ao PSD e o partido controla a secretaria municipal de Meio Ambiente, assim como, detém diversos cargos na administração municipal.