Mostrando postagens com marcador filiação. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador filiação. Mostrar todas as postagens

segunda-feira, 27 de setembro de 2021

Para se filiar ao PTB, Bolsonaro exige definir candidatos ao Senado nos estados

Exigência foi feita por Flávio Bolsonaro em reunião com Otávio Fakhoury, que comanda o PTB em SP. Partido de Roberto Jefferson é uma das poucas opções de Bolsonaro para 2022.


Por meio do filho, Flávio Bolsonaro (Patriota-RJ), Jair Bolsonaro (Sem partido) determinou uma de suas condições para se filiar ao PTB, de Roberto Jefferson: escolher os candidatos ao Senado do partido em todas os estados.

Segundo Guilherme Amado, no site Metrópoles, Flávio levou o recado do pai a Otávio Fakhoury, presidente do PTB em São Paulo, na última segunda-feira (20), quando a sigla oficializou o convite a Bolsonaro para filiação.

Segundo o jornalista, “Bolsonaro poderia indicar até ex-ministros para disputar o Senado, como Ricardo Salles, ex-ministro do Meio Ambiente, Ernesto Araújo, ex-chanceler, e Abraham Weintraub, ex-ministro da Educação.

Disputa interna

Em carta divulgada neste sábado (25), Roberto Jefferson volta a atacar o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), e faz ameaças para tentar amenizar uma disputa internado no PTB.

“Vejo numa rebelião doméstica pelo poder dentro do PTB. Há um pequeno grupo, que identifico, vozes mexicanas, paulistanas e alagoanas, tentando desestabilizar a Graci visando o meu lugar”, relata, referindo-se à presidenta em exercício do partido Graciela Nievov.

“Preparei a Graciela Nievov desde de sua meninice para me substituir. Ela galgou desde a base, nos movimentos, jovens e da mulher as posições da hierarquia partidária. Ela é cristã, honrada, correta, leal e comprometida com o nosso ideário. Ela está pronta para maiores desafios. Saibam: Brigou com a Graci brigou comigo”, ameaçou Jefferson aos membros do partido que comanda com mão de ferro.

domingo, 5 de setembro de 2021

Prefeito Fernando Pessoa se filia ao PDT durante evento em Presidente Dutra


Em um dos maiores eventos políticos da região Central do Maranhão, na Chácara Arapuá de propriedade do ex-prefeito Juran, o prefeito de Tuntum, Fernando Pessoa se filiou ao PDT.

Durante sua fala Fernando Pessoa chamou a frente o seu grande amigo e aliado político Dr. Ricardo presidente do PDT em Tuntum e assinou na presença do senador Weverton e do presidente Erlânio Xavier a ficha de filiação no partido.

A filiação do prefeito de Tuntum, Fernando Pessoa ao PDT na presença de aproximadamente de mais de 5 mil pessoas, foi um ato de confiança e lealdade ao senador Weverton e ao presidente da Famem Erlânio Xavier.

Fernando Pessoa foi ao evento acompanhado da primeira dama Erika Costa e de uma comitiva de mais de 200 pessoas, entre vereadores, secretários e aliados políticos.

O senador Weverton com em suas redes sociais o ato de filiação do prefeito Fernando Pessoa. “Foi uma feliz surpresa a filiação do prefeito de Tuntum Fernando Pessoa, ao PDT, durante o evento de ontem em Presidente Dutra”, disse o senador Weverton.



quarta-feira, 18 de agosto de 2021

Mesmo crescendo no governo, PP resiste a filiar Bolsonaro


O deputado federal André Fufuca (PP) encontra-se com um baita problema na sua mesa de trabalho no posto de atual presidente nacional do partido: a tentativa de filiação do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), seus filhos e sua tropa de choque ao seu partido.

Corre o zumzum dando conta de que o presidente está em conferência com os líderes do partido – além de André Fufuca, pesam na legenda o deputado federal alagoano Arthur Lira, presidente da Câmara Federal, e o senador piauiense Ciro Nogueira, atual chefe da Casa Civil – para definir uma posição. Isso porque boa parte dos deputados federais do PP já avisou que não quer saber do presidente e sua turma no partido, criando assim um clima de constrangimento para os líderes.

Antes do PP, Jair Bolsonaro foi rejeitado no PMB, depois mirou no Patriotas, que igualmente lhe fechou as portas por meio de uma crise entre apoiadores e não apoiadores do presidente dentro do partido. Agora está causando um estica-encolhe dentro do PP presidido no Maranhão e no plano nacional pelo deputado federal André Fufuca, onde também é rejeitado por parte dos deputados federais do partido. 

Nos três casos, a rejeição ao presidente é justificada pelo temor de que Jair Bolsonaro e sua tropa estabeleçam um clima de bagunça dentro do partido. No caso específico do Maranhão, o temor dos líderes é que o senador Roberto Rocha acompanhe o presidente e reivindique o comando estadual do partido. Nesse contexto de rejeição, sua procura poderá terminar nos portões do PTB, que poderá ser apressada com o presidente do partido, Roberto Jefferson, na cadeia. Parece ser o único em que o presidente será acolhido, caso resolva entrar. É o sonho colorido da presidente do partido no Maranhão, deputada Mical Damasceno.

segunda-feira, 9 de agosto de 2021

Roberto Rocha ainda não sabe em qual partido vai se filiar

Senador maranhense mostra dificuldade em encontrar uma nova legenda depois que saiu do ninho tucano; situação complica ainda mais o futuro político no MA


Correram ontem no bastidores políticos mais especulações sobre mudança de partido envolvendo o senador Roberto Rocha. Filho do saudoso governador Luiz Rocha, Roberto já arrumou as malas para sair do PSDB, após perder o comando do partido para o vice-governador Carlos Brandão, em março.

No entanto, cinco meses se passaram e o senador ainda não tem noção onde desembarcará para disputar a reeleição ou buscar novos voos no pleito do próximo ano. Em sua mesa de trabalho, ele analisa os convites, mas sem nenhuma opção capaz de lhe agradar.

O caminho poderá ser o PTB, PP, Patriotas ou até mesmo voltar ao PSDB, caso Brandão venha migrar para o PSB, mas esse é um assunto para nossa próxima abordagem.

quinta-feira, 5 de agosto de 2021

Sem presença da classe política, Edivaldo se filia ao PSD


Sem presença da classe política maranhense, principalmente, dos prefeitos do próprio partido, assim foi o ato de filiação de Edivaldo Holanda Júnior no PSD, em cerimônia realizada no início desta tarde em Brasília, numa minúscula sala na sede nacional da sigla.

Edivaldo merecia uma “boas-vindas” à sua altura e condizente com seu tamanho político, entretanto, isso não aconteceu. E se a logística da filiação desagradou, o discurso de Edivaldo foi pior ainda. Quem esperava algo contundente, teve de se contentar com palavras mornas.

Com um tom ameno, Holanda Júnior confirmou sua pré-candidatura ao Palácio dos Leões e disse que a partir de agora trabalhará para levar seu nome aos quatro cantos do Maranhão.

Quem participou?
Dos 18 deputados federais maranhenses, apenas um estava no evento, Edilázio Júnior, exatamente o presidente estadual do PSD;

Dos 42 deputados estaduais, apenas um se fez presente, César Pires;

Dos 31 vereadores de São Luís, só um estava lá, Karla Sarney;

Dos 217 prefeitos maranhenses, apenas dois participaram do ato: Letícia de Siba, de Bacurituba e Accioly Cardoso, de São Raimundo das Mangabeiras.

Luz amarela
O pouco prestígio político acendeu a luz amarela no PSD, pois fica nítido que Edivaldo sofrerá resistências em diversos municípios maranhenses nas eleições de 2022. Tornando a tarefa mais difícil para os deputados Edilázio Jr e César Pires (ainda no PV)


sexta-feira, 9 de julho de 2021

Contrariando Bolsonaro, TSE afasta presidente do Patriota


O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Luís Roberto Barroso, decidiu acatar um pedido da ala do Patriota contrária à filiação de Jair Bolsonaro (sem partido) e afastar Adilson Barroso do comando do partido. A decisão é passível de recurso, mas já significa um revés para Bolsonaro, que quer se filiar ao Patriota para lançar sua candidatura ao segundo mandato.

“Foram anuladas todas as atitudes dele (Adilson Barroso), que nós chamamos de irregulares. Estão voltando todos os delegados (afastados pelo presidente) e contrários a filiação de Bolsonaro), está afastando Adilson e Ovasco Resende assume a presidência”, afirmou Jorcelino Braga, secretário-geral do Patriota, ao Estadão.

Uma convenção nacional do Patriota decidiu, no dia 24 de junho, afastar por 90 dias Adilson Barroso da presidência do partido. A reunião foi convocada pelo vice-presidente da sigla, Ovasco Resende, que assume o comando de forma interina. A mudança ocorre no momento em que o presidente Jair Bolsonaro negocia a filiação à legenda para lançar sua campanha à reeleição. Barroso é a favor da entrada de Bolsonaro no partido e Resende, contra.

A articulação de Bolsonaro para se filiar ao Patriota e controlar diretórios estratégicos deflagrou uma guerra entre correligionários. Barroso, por exemplo, já promoveu duas convenções com o objetivo de abrir caminho para a filiação de Bolsonaro, mas uma ala contestou a validade dos encontros por delegados da Executiva Nacional terem sido trocados. A convenção do último dia 24 foi a terceira em menos de um mês.

Resende disse ao Estadão que Bolsonaro está exigindo o comando dos diretórios do Patriota em São Paulo, Rio e Minas Gerais, os três maiores colégios eleitorais do País. Desde que deixou o PSL, em novembro de 2019, o presidente procura uma sigla para abrigar sua candidatura a um novo mandato, em 2022. Tentou montar o Aliança pelo Brasil, mas a empreitada não deu certo.

segunda-feira, 31 de maio de 2021

Flávio Bolsonaro se filia ao Patriota, e partido convida presidente


O senador Flávio Bolsonaro (RJ) anunciou nesta segunda-feira (31/5) sua filiação ao Patriota, partido do qual será líder no Senado — passa a ser o único senador da sigla. O partido tem hoje seis representantes na Câmara dos Deputados. Em participação por videoconferência, Flávio sinalizou que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) também se filiará à sigla.

Na ficha de filiação do senador fluminense consta a data de 26 de maio, quarta-feira da semana passada.

A convenção ainda aprovou o novo estatuto do Patriota, que dá poder de voto aos diretórios estaduais e abre caminho para o controle da sigla por Jair Bolsonaro. O presidente da sigla, Adilson Barroso, afirmou que irá enviar o convite oficial ao presidente da República.

“A minha vinda para esse partido é para somar”, disse Flávio, afirmando ter intenção de construir o maior partido do Brasil após as eleições de 2022.

¨Com muita honra comunico minha filiação ao Patriota. Participei diretamente de sua refundação, em 2018, desde a elaboração de seu Estatuto, com previsão inédita de ser o 1ª partido de direita do Brasil, até a escolha do nome “Patriota”. Que Deus nos abençoe nessa nova jornada!¨, disse Flávio Bolsonoro no Twitter.

quinta-feira, 22 de abril de 2021

Bolsonaro articula filiação com Patriota, PMB e DC


Com as eleições de 2022 cada vez mais perto, muito é especulado desde agora. Uma das maiores dúvidas é por qual partido Jair Bolsonaro, que atualmente não tem filiação, irá concorrer para tentar a reeleição. Em entrevista ao jornal O Globo, Flávio Bolsonaro, um dos filhos do presidente, revelou que eles planejam uma coligação com o PSL.

"A tendência é ir para um partido menor", disse o senador do Republicanos. Flávio falou que ele e o pai conversaram com o Patriota, PMB e DC e que, mesmo se o presidente não fechar com o PP ou PSL, já foi feito um compromisso de coligação com os dois partidos para 2022.

Um dos maiores motivos para o presidente procurar um partido menor, segundo o senador, é para ter controle dos diretórios estaduais. "Mesmo que Bolsonaro se filie ao PMB, que não tem deputado, por exemplo, já começaríamos com uma chapa bem forte. Só com PSL e PP na coligação, já iniciamos com 5 minutos de TV", afirmou. Flávio disse que há "conversas bem encaminhadas" também com o PL e o Republicanos.

Ainda falando do PSL, antiga filiação de Bolsonaro, Luciano Bivar, presidente do partido, tinha revelado que planeja lançar uma candidatura própria para concorrer à Presidência. Sobre isso, Flávio disso que "não fará sentido" porque uma aliança está sendo construída para o próximo ano.

"Tanto PP quanto PSL participarão juntos da indicação de nomes para disputar governos estaduais e vagas ao Senado", contou. O filho do presidente disse que a conversa foi firmada com o vice-dirigente do partido, Antonio de Rueda. "Rueda tem carta branca do Bivar para tratar dessas articulações. Bivar sabe que não há mágoa de nada do passado", afirmou.

Apesar disso, o presidente do PSL é crítico da gestão federal da covid-19 no Brasil. "Quem tiver bom senso, vai saber que é uma situação nova, que ninguém nunca teve que enfrentar antes. É inédito para todo mundo. Erros estão no pacote, mas tenho convicção de que acertamos bem mais do que erramos", falou Flávio.

O senador disse que há planos também para o governo do Rio de Janeiro em 2022. "A tendência é Bolsonaro lançar um nome ao Senado e apoiar o governador Cláudio Castro (PSC)", completou.