Mostrando postagens com marcador Cidadania. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Cidadania. Mostrar todas as postagens

sexta-feira, 4 de fevereiro de 2022

"A senadora Eliziane Gama é 'bom nome' para vice", diz João Dória


O ensaio para a oficialização de uma federação entre o Cidadania e o PSDB ganhou um novo capítulo.

A senadora Eliziane Gama se reuniu, nesta quinta-feira (3), com o governador paulista, João Doria (PSDB), no Palácio dos Bandeirantes, em São Paulo.

O encontro foi marcado para tratar de temas relacionados à vacinação infantil. A senadora pelo Maranhão ganhou popularidade durante a CPI da Pandemia.

Segundo integrantes dos partidos ouvidos pela reportagem, a reunião também serviu para apresentar a senadora como possível candidata à vice-presidência da República, caso Doria seja escolhido como cabeça da chapa.

Conforme as fontes ouvidas pela reportagem, o governador paulista gostou da sugestão. Oficialmente, Doria não se manifestou. Procurado, o presidente do Cidadania, Roberto Freire, não confirmou a oferta, mas disse que, caso ela se concretize, seria algo positivo para o seu partido.

Uma possível federação entre o PSDB e o Cidadania ganhou força na semana passada. Contudo, o Cidadania também negocia federação com o Podemos, que tem como pré-candidato o ex-juiz Sergio Moro, e o PDT, do ex-governador Ciro Gomes.

Na última terça-feira (1), após reunião da Executiva Nacional da legenda, ficou definido que a decisão final será tomada na reunião do Diretório Nacional do Cidadania, do dia 15 de fevereiro.

Já em relação ao PSDB, nesta quarta-feira (2), os tucanos anunciaram que abriram conversas com o MDB para a criação de uma federação entre as legendas.

A federação é um mecanismo novo nas eleições brasileiras, que permite a partidos unirem forças no cálculo do quociente eleitoral e a somarem tempo de TV. É um modelo parecido com o das coligações, com a diferença de que os partidos que fecharem acordo agora terão, obrigatoriamente, a ficar juntos pelos próximos quatro anos.

Em entrevista à CNN, Doria declarou que ficou feliz e honrado com a proposta. “É uma pessoa com dimensão para fazer esse pleito. E tem o apoio de uma parcela considerável do Cidadania”, disse o governador.

Ele lembrou que o senador Alessandro Vieira, do Cidadania, também busca se viabilizar como pré-candidato. “Mas a figura da senadora, até pelo fato de, agregando ao seu histórico, à sua biografia, o fato de ser uma mulher contundente na sua posição na defesa dos pontos que ela prioriza: educação, a democracia e a saúde. Portanto, um bom nome”. Da CNN

segunda-feira, 31 de janeiro de 2022

Eliziane poderá montar palanque para Dória no Maranhão


A senadora Eliziane Gama (Cidadania) poderá ter de montar palanque para o governador de São Paulo, João Dória (PSDB), no Maranhão para as eleições de outubro. Isso porque os partidos da parlamentar e do chefe do Executivo paulista, pré-candidato à Presidência da República, devem se unir por meio do processo de uma federação partidária.

Na última quinta-feira, 27, a executiva do PSDB aprovou, de forma unânime, a continuidade das discussões com o Cidadania, que é comandado por Roberto Freire, que aposta todas as fichas na candidatura de Dória ao Planalto.

A única saída para Eliziane em não apoiar um palanque do PSDB no Maranhão, que tem o vice-governador Carlos Brandão para a sucessão governamental, seria deixar as hostes do Cidadania ou se manter isolada das discussões políticas eleitorais, para não ser acusada de infidelidade partidária.

Vale lembrar que no estado, a senadora Eliziane mantém o apoio à candidatura do senador Weverton Rocha (PDT), contragosto do seu principal aliado, o governador Flávio Dino (PSB), que deve concorrer ao Senado, no pleito vindouro.

quinta-feira, 2 de dezembro de 2021

Eliziane sugerida como vice de Moro


A senadora Eliziane Gama, relatora da sabatina de André Mendonça na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, foi sugerida a Sergio Moro como possível vice em sua chapa ao Planalto. A recomendação foi feita em um jantar no último dia 23 em Brasília pelo líder do Cidadania na Câmara, Alex Manente.

Manente organizou um jantar de Moro com os parlamentares do Cidadania na semana passada. Eliziane Gama, da mesma sigla, não conseguiu comparecer ao evento. Durante o encontro, Manente sugeriu o nome da senadora para a vice de Moro, que se mostrou aberto ao diálogo. Depois desse jantar, Gama e Moro conversaram.

O deputado do Cidadania elencou a Moro que Eliziane Gama é nordestina, evangélica e deu trabalho ao governo Bolsonaro na CPI da Pandemia, características que poderiam se tornar ativos eleitorais ao ex-juiz.

Como relatora da indicação de André Mendonça ao STF, aprovada no Senado nesta quarta-feira (1º/12), Gama não criou obstáculos para o nome do Planalto e defendeu quebrar preconceitos contra os evangélicos. (Do site Metrópoles)

quinta-feira, 12 de agosto de 2021

Eliziane não consegue organizar o Cidadania para as eleições de 2022


Que Eliziane Gama, presidente estadual do Cidadania, não possui grupo político não é segredo pra ninguém. O que muitos desconhecem é a completa incapacidade administrativa da senadora maranhense.

Eliziane é tão inábil que não consegue gerir um partido político. Gama é incapaz de montar de forma competitiva o partido para as eleições de 2022. E um dos motivos é a falta de prestígio junto a classe política.

Ninguém acredita em Eliziane. Falta-lhe credibilidade. Fator que afasta pretendentes a cargos eletivos de ingressar no partido comandado pela senadora.

Para se ter uma ideia do naniquismo do partido, sob a presidência de Eliziane, o Cidadania não conseguiu eleger nenhum vereador em São Luís.

A situação do partido fica ainda pior se levado em consideração que não possui nenhuma das 42 cadeiras na Assembleia Legislativa e muito menos ocupa qualquer assento em uma das 18 vagas na Câmara Federal pertencentes ao maranhenses.

Outro número desolador é o desempenho da agremiação partidária na eleição municipal de 2020, ocasião que das 217 prefeituras em disputa, o Cidadania elegeu apenas uma. Repito, uma prefeitura: a de Sucupira do Norte!

Portanto, no Maranhão, o Cidadania é um partido nanico, do tamanho da presidente!

quarta-feira, 30 de junho de 2021

Weverton amplia base política para 2022


Com apoio consolidado, declarado e público de sete dos 15 partidos que compõem a base do governo Flávio Dino – PDT, DEM, PSB, PP, PSL, PRB e Cidadania – o senador Weverton Rocha está ampliando também a sua aliança com prefeitos em todo o Maranhão.

Para isso, conta com a articulação direta do presidente da Federação dos Municípios, Erlânio Xavier (PDT); é o prefeito de Igarapé Grande quem faz a ponte entre o senador e os colegas.

Foi assim em Tuntum, São Domingos do Maranhão, Graça Aranha e Coelho Neto, onde participou de inaugurações e fortaleceu alianças.

A articulação de Weverton ganha ainda mais força por que todos os sete partidos que compõem sua aliança, assim como os prefeitos que o apoiam, já declararam votos para o senado em Flávio Dino, o que reforça a unidade da base tão pretendida pelo governador.

Além dos prefeitos articulados por Erlânio Xavier – e aqueles que compõem a base dos partidos que já estão com ele – Weverton tem como cereja do bolo a aliança com gestores dos principais colégios eleitorais.

Já está fechado, por exemplo, com os prefeitos de Imperatriz, Assis Ramos (DEM); de Timon, Dinair Veloso (PSB); de Pinheiro, Luciano Genésio (PP); de Bacabal, Edivan Brandão (PDT); e de Balsas, Dr. Erik (PDT).

E espera consolidar o apoio do prefeito de São Luís, Eduardo Braide (Podemos).

Com informações do Blog do Marco D`eça

domingo, 18 de abril de 2021

O Partido Cidadania quer cassar o mandato de Karla Sarney

Com informações do Blog do Kiel Martins

Após sucessivas derrotas, Karla Sarney terá seu mandato questionado na Justiça Eleitoral


O Partido Cidadania, aparentemente é o verdadeiro dono da cadeira na Câmara de Vereadores de São Luís, cadeira hoje ocupada por KARLA SARNEY, filiada ao PSD, o que tem sido de longa espera, e dificuldade inexplicável para o Cidadnia, que de fato atingiu votação superior ao partido PSD.

Conforme cálculo das sobras, o partido Cidadania, nas eleições municipais proporcionais do ano de 2020 obteve 11.060, dos quais 10.754 votos para candidatos e 306 votos para legenda. Em lado oposto, o partido PSD obteve 11.137 votos, dos quais 10.944 votos para candidatos, e 193 votos para legenda.

A superioridade de votos do partido Cidadania, detentor da cadeira na Câmara Municipal, passa pelo imbróglio de validação dos votos obtidos por WILSON NUNES FERREIRA, o Wilson Picolezeiro, que obteve concorrendo ao cargo de vereador pelo partido cidadania o número de 244 votos, que ainda não foram validados sob a justificativa de dupla filiação de tal candidato.

Ocorre que o partido Cidadania ajuizou ação de CANCELAMENTO DE FILIAÇÃO COM REVERSÃO DE FILIAÇÃO LEGÍTIMA, através do processo nº 0600029-85.2020.6.10.0010, afirmando que WILSON NUNES preencheu ficha e pedido de filiação junto ao partido Cidadania, gerou boletos de dívidas partidárias que foram tempestivamente pagos pelo filiado na data de 28.03.2020, antes do fim do prazo de filiação (04.04.2020), e que tais documentos consistem em provas bilaterais, conforme entendimento do TSE.

Corrigindo-se tal erro de percurso, o vereador eleito pelo cálculo das sobras seria Nogueira Protetor, filiado ao Cidadania, conhecido defensor da causa dos animais, cuja trajetória política recente atingiu patamares impressionantes e promissores, uma vez que o partido Cidadania irá concorrer ao cálculo das sobras com o total de 11.304 votos, enquanto o PSD de Karla Sarney apenas obteve o total de 11.137 votos.

sábado, 17 de abril de 2021

Dino descartou pesquisa como ‘critério de escolha’ de candidato em 2022


Não procede a informação disparada por aliados do senador Weverton Rocha (PDT) de que o governador Flávio Dino (PCdoB) teria decidido, na reunião com o pedetista e Brandão, no Palácio dos Leões, que pesquisas seriam realizadas para a definição do candidato do grupo em 2022.

Na verdade o comunista mostrou insatisfação com a antecipação do debate eleitoral, e reafirmou que ele conduzirá o processo.

E sobre a escolha do candidato, o governador usou o exemplo do próprio Rocha – além da também senadora Eliziane Gama (Cidadania) – para expor seu pensamento.

Segundo Dino, se fosse depender de pesquisa um ano antes da eleição, nenhum dos dois teria sido sequer candidato, uma vez que pontuavam bem baixo meses antes do pleito – situação parecida, ainda, com a do ex-prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT), que tinha menos de 5% quando foi escolhido candidato do grupo em São Luís em 2012.

Ou seja: pelo visto, Flávio Dino há decidiu mesmo seu candidato no ano que vem. E, a jugar pelos recentes sinais, não será Weverton.